Mercado

Fiat Punto pode voltar em nova geração sobre a base do Peugeot 208

Sem o Punto desde 2018, Stellantis confirma volta da Fiat ao segmento B com nova geração do hatch sobre a mesma base CMP dos franceses da PSA

Vagner Aquino, Especial para o Jornal do Carro

05 de ago, 2021 · 5 minutos de leitura.

Fiat" >
Nova geração do Punto vai colocar Fiat de volta em segmento de compactos na Europa
Crédito:Sergio Castro/Estadão
punto

Enquanto, praticamente, todas as atenções das fabricantes de veículos estão voltadas ao mercado de SUVs, a Fiat parece querer investir no segmento de hatches. Foi isso que a Stellantis deu a entender, nesta semana, durante apresentação dos resultados do 1º semestre. Dentre as afirmações, o grupo deixou claro que voltará ao segmento B – de compactos – em 2023. A citação causou alvoroço, pois, trata-se da nova geração do Punto.

O modelo – que nasceu em 2005 pelas mãos do designer Giorgetto Giugiaro – usará na nova geração, de acordo com o grupo, uma plataforma comum. Nesse sentido, o hatch seguirá a mesma cartilha do atual Opel Corsa, Citroën C3 e Peugeot 208, e adotará a arquitetura modular CMP da PSA Peugeot Citroën, que desde janeiro faz parte da Stellantis.

Fiat
Peugeot/Divulgação

Antes de contar sobre o que é esperado, cabe salientar que o Punto saiu de linha em 2018. No Brasil, foi substituído pelo Argo. Na Europa, no entanto, a lacuna não foi preenchida. Por lá, a italiana aposta na família 500 e, no mais, trabalha com Panda (equivalente do Uno) e Tipo.

Novo Punto será eletrificado

Com o Argo já em meia-vida (a média de uma geração de veículo dura oito anos), e o “Grande Punto” europeu fora de linha, uma solução natural da Stellantis é usar a mesma arquitetura (mecânica e eletrônica) para várias marcas. Isso otimiza custos. Assim, com o mercado europeu cada vez mais rígido em relação às emissões, é fato que a Fiat – querendo ou não – vai investir em sistemas híbridos para o hatch.

Mas, até o momento, não há nada de concreto. Pode até ser que a Stellantis se beneficie do brasileiro Pulse, e fabrique um Punto com ares de SUV para vender mundialmente. Afinal, a moda agora são os mini-SUVs, e até o Volkswagen Gol deve aderir. Tudo é possível.

Motor T4 1.3 turbo GSE da Stellantis terá potência acima dos 180 cv com etanol
Stellantis/Divulgação

Em questão de motorização, o novo Punto poderá se beneficiar dos motores a combustão 1.0 e 1.3 da família GSE (já usados por marcas do grupo por aqui, como Fiat e Jeep). E, quem sabe, uma versão elétrica, a exemplo do próprio Peugeot 208.

Carros da Stellantis terão mesma base

Por falar em eletrificação, a Stellantis, nesse sentido, também tem planos para Alfa Romeo, DS e Lancia, que são marcas do grupo menos conhecidas dos brasileiros. Com a meta de unificar todos os modelos de suas marcas sobre arquiteturas compartilhadas, e cada vez mais sustentáveis, todas já têm planos de excluir a combustão de vez do portfólio a curto prazo.

A italiana terá apenas carros elétricos a partir de 2027. Isso valerá, no entanto, para Europa, EUA e China. Já as demais, não abandonarão totalmente a combustão, mas terão algum tipo de eletrificação em todos os modelos do portfólio. Seja como for, uma coisa é certa: o novo Punto, atualmente, está fora dos planos para o Brasil.

Por aqui, a marca italiana seguirá com Argo e Cronos por alguns anos. A tendência, assim, é que a dupla receba uma reestilização em 2022 que virá com os novos motores turbo da família GSE. Ou seja, o 1.0 GSE turbo (que estreia em setembro no SUV Pulse), bem como o 1.3 turbo já presente na picape Fiat Toro e no SUV Jeep Compass.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se