Ford vai incorporar tecnologia C-V2X a partir de 2022

Sistema de comunicação sem fio da Ford permite que veículos troquem informações entre si, com outros modelos na via, pedestres e até com a infraestrutura de trânsito

Ford F-150
Crédito: Entre outras funções, sistema da Ford montado em uma picape F-150 mostra se há algum veículo se aproximando do cruzamento ou se o motorista pode seguir em segurança. Foto: Tião Oliveira/Estadão

A tecnologia C-V2X estará em todos os veículos da Ford vendidos nos Estados Unidos a partir de 2022. O novo recurso de segurança está sendo desenvolvido por uma nova empresa, que reúne, além de montadoras, companhias de várias áreas (leia mais abaixo). Por meio do recurso, o carro pode “conversar” e trocar dados com outros veículos, pedestres e mesmo com a infraestrutura de trânsito, de modo a reduzir os riscos de acidente.

INSCREVA-SE NO CANAL DO JORNAL DO CARRO NO YOUTUBE

+ ZF desenvolve computador poderoso para carros autônomos 

+ Continental mostra cachorro robô que faz entregas

Do ponto de vista prático, o C-V2X pode, por exemplo, determinar qual veículo tem a prioridade em um cruzamento sem sinalização. Além disso, o semáforo poderá avisar que está para ficar vermelho.

A informação foi divulgada pela Ford durante a edição de 2019 da CES. A feira de tecnologia em Las Vegas, EUA, que neste ano recebeu mais de uma dezena de montadoras e sistemistas, termina amanhã, dia 11.

C-V2X está pronto

Em uma demostração prática dos recursos do C-V2X em uma pista em Las Vegas, foi possível constatar que o sistema está pronto, mas ainda precisa de ajustes. Havia quatro veículos: os Ford F-150 e Fusion, um Audi Q8 e uma moto da Ducati.

Estávamos a bordo da picape, no banco de trás. Sobre o painel havia uma tela na qual o sistema projetava informações sobre o trajeto à frente. Todos os exercícios foram conduzidos por especialistas da Ford.

No primeiro deles, ao chegar a um cruzamento o dispositivo avisou, por meio de uma seta verde, que podíamos seguir em frente, pois não havia outros veículos por perto. Depois, como a Ducati avançava rápido para a esquina, embora a preferencial fosse da F-150, o dispositivo enviou um sinal mandando o motorista da picape parar.

Em outro momento, todos os quatro veículos chegaram ao mesmo tempo ao cruzamento. O sistema indicou o momento em que cada um podia avançar e “mandou” os demais permanecerem parados.

Em outra simulação a tela do sistema indicou, antes de uma curva, que havia uma faixa de pedestres à frente. O motorista recebeu um sinal de alerta e reduziu a velocidade.

Tecnologia requer 5G

A implementação da tecnologia C-V2X será possível graças à chegada, aos EUA, do 5G. O novo nível da rede de telefonia celular possibilita um volume de tráfego de dados nunca visto. Essa premissa é básica para que os recursos do sistema da Ford funcionem corretamente.

O 5G possibilita a comunicação direta entre os dispositivos conectados por meio do C-V2X. Ou seja, os dados não têm de ser retransmitidos por torres, o que reduz drasticamente o tempo de envio e recebimento de informações.

Aumento da segurança

O C-V2X se une a outros dispositivos de assistência ao motorista já disponíveis em veículos mais sofisticados. É o caso de sensores, radares e câmeras, por exemplo. Trata-se de um passo importante rumo ao veículo autônomo.

De acordo com informações da Ford, o próximo passo é fazer com que o sistema também realize operações por comunicação indireta. Ou seja, do veículo para a rede. Esse recurso será oferecido em breve.

Ainda segundo a Ford, os atuais sistemas de assistência ao motorista usam sensores que “veem” o que está ao redor. Já com o V2X o veículo pode antecipar o que virá em seguida e identificar objetos que estão fora do alcance dos sensores e câmeras. No futuro, veículos de emergência, caso de Bombeiros e Polícia, por exemplo, poderão avisar os carros autônomos à frente para abrir caminho.

Tecnologia criada por várias mãos

O C-V2X não é exclusividade da Ford. O sistema está sendo desenvolvido por um consórcio de empresas, do qual fazem parte outras montadoras, como Nissan e Audi. O grupo inclui também a sistemista Continental, a Ericsson e a Qualcomm, das áreas de comunicação e tecnologia de processamento de dados.

“É preciso haver um ambiente normativo propício para a implementação da C-V2X”, diz o diretor-executivo de Veículos Conectados da Ford, Don Butler. Ele afirma que a companhia está trabalhando tanto com outras empresas como com órgãos governamentais. “Essa tecnologia só atingirá todo o seu potencial se muitos veículos e a infraestrutura viária a utilizarem. É por isso que convidamos outras montadoras, operadores de infraestrutura e rodovias, bem como agências governamentais, a trabalhar conosco para acelerar o avanço da C-V2X”

Para o CEO da divisão de Veículos Autônomos da Ford, a sinergia entre as montadoras e as empresas de TI só vai aumentar. “A colaboração é necessária. Muito do C-V2X conta com a tecnologia do celular, serviço que depende do 5G.”

O jornalista viajou a convite da Ford


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Notícias relacionadas