Você está lendo...
JAC Motors vai produzir carros elétricos da Volkswagen na China
Notícias

JAC Motors vai produzir carros elétricos da Volkswagen na China

Conclusão do projeto para produção de carros elétricos da Volkswagen fica para meados de 2023; complexo terá até fábrica de baterias e pista de testes

Vagner Aquino, especial para o Jornal do Carro

03 de mai, 2022 · 4 minutos de leitura.

Volkswagen
Volkswagen ID.Buzz é um dos modelos elétricos que terá como base a planta chinesa de Anhui
Crédito:Volkswagen/Divulgação

O mercado chinês é o maior do mundo para os carros elétricos, mas por lá, as regras do país exigem que empresas estrangeiras tenham parcerias com fabricantes locais. Assim, já faz algum tempo que a Volkswagen mantém joint venture com a JAC Motors. A novidade é que a chinesa está reconstruindo sua fábrica em Anhui para produzir veículos elétricos da alemã.

Todos os modelos, desde o hatch ID.3 até a minivan ID.Buzz, nova Kombi elétrica, são feitos sobre a plataforma modular MEB, exclusiva dos carros alimentados por baterias. De início, a capacidade da terceira fábrica da VW na China que produz elétricos - além de Shanghai e Foshan - será de até 350.000 unidades/ano. A ideia é que tudo esteja pronto no meio de 2022.

Mas não são apenas os carros elétricos em si. Os pacotes de baterias de alta tensão também serão feitos no complexo. A capacidade anual inicial fica entre 150.000 e 180.000 unidades. Tem, ainda, um campo de provas com 10 km de extensão. A conclusão do projeto ficará para meados de 2023, quando se dará o início da produção na unidade da JAC Motors.


Elétricos Volkswagen
Volkswagen/Divulgação

Para a Volkswagen, a fábrica de Anhui será fundamental para o avanço da mobilidade elétrica dentro do grupo. De acordo com a imprensa chinesa, o complexo comportará - além da fabricação de ID.3, ID.4 e ID.Buzz - outros quatro carros elétricos. Estes, no entanto, terão base em uma nova plataforma, a SSP (Scalable Systems Platform), que fica pronta só em 2026.



Relembre a compra

Em novembro de 2020, a compra de 50% da Jianghuai Automobile (JAC) pela Volkswagen foi, então, aprovada pelo governo chinês. Na época, havia apenas a assinatura de um acordo (extraoficial, ocorrido em maio daquele ano), que deu à VW 50% dos ativos da JAC Motors.


O feito, portanto, marcou um importante avanço para o grupo VW em relação à eletrificação. Afinal, além de controlar 50% da JAC, a Volkswagen também tem o controle de 75% da joint-venture VW-JAC na China. Antes, 50%. Os 25% restantes, assim, ficam com a Jianghuai Automobile.

As mudanças da legislação chinesa, que não permitiam o controle de marcas nacionais por empresas internacionais, fez com que a Volkswagen assumisse o controle de parcerias locais. Com isso, além de ampliar a produção de carros elétricos, a fabricante alemã acrescentará seu DNA aos produtos. É tanto que o segundo elétrico mais barato do Brasil, o E-JS1 (agora o primeiro é o Renault Kwid E-Tech), tem vários componentes da Volkswagen, embora seja um carro da JAC Motors.


O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se