Você está lendo...
Mercedes-Benz Mythos é a nova divisão de carros colecionáveis da marca
Mercado

Mercedes-Benz Mythos é a nova divisão de carros colecionáveis da marca

Acima da Maybach, nova marca da Mercedes-Benz vai produzir modelos de altíssimo luxo voltados aos clientes mais fieis e endinheirados

Vagner Aquino, especial para o Jornal do Carro

26 de mai, 2022 · 5 minutos de leitura.

Mercedes-Benz
Mercedes-Benz afirma que estratégia é concentrar até 75% dos investimentos totais em modelos topo de linha
Crédito:Mercedes-Benz/Divulgação

A ideia de deixar de lado os carros de entrada e focar em modelos mais rentáveis não é exclusividade das marcas generalistas. Até mesmo a Mercedes-Benz tem como estratégia aumentar em aproximadamente 60% suas vendas de modelos de alto luxo até 2026. Para isso, a fabricante alemã anunciou a criação da Mythos, uma nova marca dedicada apenas a modelos exclusivos e destinados a colecionadores - como faz a Ferrari, por exemplo.

Em síntese, a Mythos será ainda mais exclusiva que a luxuosa Maybach. Ainda sem muitos detalhes, a notícia se espalhou na última semana, com a apresentação da estratégia da fabricante no evento Economics of Desire. Em um dos paineis, a Mercedes-Benz mostrou a imagem de um Speedster Cabrio baseado no novo Mercedes-AMG SL. Contudo, ainda não e certo de que este seja o primeiro produto da divisão ultraluxuosa.

Esses carros, feitos em quantidade restrita, serão disponibilizados exclusivamente para os clientes mais tradicionais e fieis da marca. "Vemos um grande potencial aqui para expandir nosso portfólio Top-End com produtos ainda mais fascinantes para nossos clientes", disse Ola Källenius, presidente do conselho de administração da Mercedes-Benz.




Meta é aumentar lucros

Com a aposta em produtos mais luxuosos (e rentáveis), a Mercedes-Benz visa alcançar resultados financeiros sólidos, mesmo sob as condições de mercado ainda desafiadoras. O plano, dessa forma, é concentrar até 75% dos investimentos totais no desenvolvimento destes veículos. Um dos motivos para que a Mercedes-Benz priorize a produção de automóveis mais caros se baseia no crescimento de 30% na procura desse tipo de modelo. Dados de 2021 mostram que as vendas de modelos topo de linha contribuíram para melhorar as receitas da fabricante em 9%, mesmo com redução da produção de 5% devido à crise na cadeia de abastecimento.

Mercedes-Benz/Divulgação

A princípio, a meta da Mercedes-Benz é apostar em três categorias diferentes de automóveis: Entry Luxury, Core Luxury e Top-End Luxury. Nesta última, estão os veículos das marcas Mercedes-AMG e Mercedes-Maybach, assim como os elétricos EQ de topo, além das versões mais caras dos Classes S, G e GLS, e séries especiais e limitadas.


Novidades a caminho

Pela estratégia da Mercedes-Benz, um dos pilares vem da Maybach, que lançará uma versão do SUV EQS (apresentado no Salão de Munique de 2021). O modelo chegará à Europa em 2023. A marca também terá uma variante luxuosa do SL. A expansão da família G é estudada e, assim, deve ter o EQG, versão elétrica do 4x4 de luxo.

Mercedes-Benz
Mercedes-Benz/Divulgação

Com a aposta em produtos mais luxuosos, fica subentendido, portanto, que a marca vai reduzir seus modelos de entrada. De acordo com a fabricante, a oferta de Entry Luxury diminuirá de sete para quatro integrantes. Todos, no entanto, terão conteúdos tecnológicos mais sofisticados daqui para frente. É assim que a Mercedes-Benz quer se tornar a "marca de carros de luxo mais valiosa do mundo", disse a montadora em comunicado.


O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se
Deixe sua opinião