Notícias

Citroën registra sedã do C3 no Brasil para rivalizar com Onix Plus e Virtus

Produzido e comercializado na Índia, a versão sedã do C3 adota motor 1.2 turbo de até 115 cv

Emily Nery, para o Jornal do Carro

04 de nov, 2020 · 4 minutos de leitura.

c3" >
Citroën registra sedã de C3
Crédito:Reprodução/INPI

Embora tenha perdido espaço para os SUVs, o segmento do sedãs compactos é um dos mais renovados do mercado. A Citroën, de olho neste público, registrou a patente de um novo sedã compacto no INPI (Instituto Nacional de Propriedade Industrial).

Vendido na China, o C3L foi desenvolvido a partir do crossover C3-XR, cujo modelo já foi registrado no Brasil. A joint venture Dongfeng Peugeot-Citroën utiliza a velha conhecida plataforma PF1/BVH1 do C3, Aircross e Cactus para produzir os dois veículos.

citroen c3l
Com suspensão mais elevada, o modelo tem porte de sedã aventureiro. Divulgação/Citroën

Tamanho é similar ao Virtus

Curiosamente, o C3L tem algumas características parecidas com sedãs compactos vendidos no Brasil. Suas dimensões, por exemplo, se assemelham as do Virtus: 4,49 metros de comprimento, 1,78 m de largura, 1,51 e altura e 2,65 de entre eixos. No entanto, ele se distingue do três volumes da Volkswagen está no porta-malas: de acordo com a montadora, a capacidade do bagageiro é de surpreendentes 627 litros.

Já na traseira, os farois mais horizontalizados remetem ao Onix Plus. Do crossover C3-XR, o sedã herda principalmente os elementos frontais.

O motor escolhido pela francesa teria chances de rivalizar à altura de seus concorrentes e emplacar nas vendas. O três cilindros 1.2 aspirado de C3 brasileiro virou um 1.2 turbo, que garante até 115 cv e 19,4 kgfm. O câmbio é automático de seis velocidades.

Citroen C3L
Dianteira do sedã herda elementos do crossover C3-XR Divulgação/Citroën

Vinda do crossover e do sedã é difícil

Certamente a Citroën pretende aposentar a atual geração do C3. Contudo, o sucessor não será o C3-XR. Por sua vez, o SUV subcompacto derivado do Aircross é quem deve dar as caras por aqui.

Outro impasse para a chegada do crossover e do sedã compacto, é a plataforma antiga. A PF1, que produz os modelos da planta de Porto Real (RJ), será descontinuada para dar lugar à CMP, responsável por produzir o novo Peugeot 208. Em julho, a PSA anunciou o investimento de R$ 220 milhões para introduzir a nova plataforma na fábrica.

Apesar disso, um três volumes compacto seria uma boa escolha para a Citroën, que devido à alta do dólar, paralisou a importação do C4 Lounge da Argentina.