Notícias

T-Cross e Renegade para PCD têm vendas suspensas

Após novas normas que aumentam o prazo de troca do veículo PCD, modelos como o Renegade e o T-cross podem entrar em extinção

Emily Nery, para o Jornal do Carro

03 de nov, 2020 · 6 minutos de leitura.

Volkswagen" >
EM 2020 T-CROSS É O PRIMEIRO SUV A LIDERAR OS EMPLACAMENTOS
Crédito:Volkswagen/Divulgação

A partir de hoje, não será mais possível encontrar nas concessionárias o Jeep Renegade e o T-Cross para PCD. As marcas suspenderam as vendas dos SUVs compactos por tempo indeterminado. Os anúncios surgiram após a mudança feita pelo Governo de São Paulo no prazo para que o público solicite a isenção do ICMS na compra de um veículo novo.

Uma série de novas mudanças estão tornando mais complicada a aquisição de um veículo para pessoas com deficiência (PCD). Tanto é que as vendas do T-Cross Sense pararam por alguns momentos neste ano. A Volkswagen, na época, declarou ?excesso de demanda?.

Desta vez, o aviso da montadora compartilhado para os concessionários afirma que já atingiram a meta de produção da versão Sense 2021 para o ano de 2020. Entretanto, quem solicitou o veículo até o dia 30 deste mês, receberá o modelo. Porém, o prazo de entrega se estende para até 120 dias. Não há previsão para as vendas voltarem.

Linha 2021 do T-Cross já enfrentava problemas

No entanto, a oferta da linha 2021 para o público PCD já estava em xeque. Para se manter ao teto de R$ 70 mil, o modelo deixou de lado central multimídia, rodas de liga leve, tampão do porta-malas e até os logotipos. O preço da versão Sense é de R$ 69.990, mas com a isenção do IPI e ICMS o valor cai para R$ 57.630

A Jeep também determinou que as vendas do Renegade para PCD fossem suspensas Divulgação/Jeep

Jeep aponta impossibilidade de comercialização

A Jeep também anunciou nesta terça-feira (27), a suspensão das vendas do Renegade para PCD. Em nota, a fabricante aponta alguns fatores decisivos para a medida: ?a falta de revisão no valor do teto para isenção de ICMS, fixado em R$ 70 mil desde julho de 2009, enquanto os custos vêm aumentando substancialmente; a degradação do cenário cambial ao longo dos últimos meses, que pressionou os custos e fornecedores; além do decreto 65.259 do Estado de São Paulo, do último dia 20, que alterou consideravelmente as regras de comercialização nessa modalidade.?

A linha 2021 da configuração exclusiva também precisou excluir alguns itens para continuar dentro do teto de R$ 70 mil. O veículo perdeu porta óculos, luz de leitura traseira, tampão do porta-malas e alças de teto traseiras e a garantia passou de três anos para apenas um ano. De R$ 69.990 o preço diminuía para R$ 54.662, após isenções fiscais.

Versão STD do Renegade terá desconto exclusivo para PCD

Contudo, a Jeep afirma que, visando atender o público PCD, ela oferecerá um desconto adicional de 12% sobre a versão STD 1.8 automática do Renegade, além da isenção do IPI. Com o abatimento, o valor de R$ 73.505 diminuiu para R$ 64.684.

Teto de preço para isenções é incompatível ao veículo

Neste ano, algumas mudanças tendem a afetar tanto o público PCD, como as montadoras. A primeira, como já informado pelo Jornal do Carro, diz a respeito do teto de R$ 70 mil para isenção de ICMS. A medida, estabelecida em 2009, não passou por alterações até agora. As montadoras solicitam ao Conselho Nacional de Política Fazendária (CONFAZ) uma revisão para aumentar o valor do teto.

Nova norma em SP aumenta prazo para solicitar a isenção

Outra mudança é específica ao Estado de São Paulo. Desde julho de 2018, o público PCD de todo país podia solicitar a isenção de ICMS a cada quatro anos. Anteriormente, o período era de dois anos. Na época, São Paulo não aderiu a nova norma.

Nesta semana, o Decreto nº 65.259 adequa o Estado paulista às normas ao restante do País. Além disso, o decreto é retroativo. Ou seja, os proprietários de carros PCD com nota fiscal emitida a partir de 5 de julho de 2018 também deverão seguir a determinação.



Continua depois do anúncio