Você está lendo...
Porsche sela união entre Bugatti e Rimac, e cria startup de hipercarros
Mercado

Porsche sela união entre Bugatti e Rimac, e cria startup de hipercarros

Com participação maior da marca croata, Bugatti-Rimac vai manter modelos atuais, como Chiron e Nevera, e criar novos hipercarros elétricos

Redação, Com Thiago Conceição, especial para o Jornal do Carro

04 de nov, 2021 · 5 minutos de leitura.

Bugatti-Rimac
Bugatti e Rimac formam maior fabricante de hipercarros do planeta e vão focar em modelos elétricos como o Nevera
Crédito:Rimac/Divulgação

A Bugatti-Rimac está oficialmente sacramentada. Após poucos meses de conversas, a Porsche anunciou nesta semana a formação da maior fabricante de hipercarros do mundo. A nova startup une a centenária marca francesa, Bugatti, que era controlada pelo Grupo Volkswagen, e a Rimac, fabricante croata de superesportivos elétricos.

A nova empresa terá sede em Sveta Nedelja, cidade da região metropolitana de Zagreb, na Croácia. A fusão se consumou no dia 1º de novembro, menos de quatro meses após o anúncio da joint-venture.

A Bugatti-Rimac terá 45% dos papéis sob posse da Porsche, que tem participação na Rimac Automobili desde 2018. E os 55% são da croata Rimac, que passa, então, a ser majoritária. A ideia é desenvolver, em conjunto, novos modelos de hipercarros.


Bugatti-Rimac
Porsche/Divulgação

Marca croata é jovem

Enquanto a Bugatti foi fundada em 1909 (e já acumula 112 anos de história), a Rimac nasceu em 2009 - ou seja, no ano do centenário da francesa. Mas é o seu CEO e criador, Mate Rimac, quem vai comandar os negócios da nova companhia. Já o posto de diretor de operações ficará com Christophe Piochon, então ex-diretor geral da Bugatti.

O conselho de supervisão da Bugatti-Rimac terá, ainda, as presenças do presidente da Porsche, Oliver Blume, e do vice-presidente, Lutz Meschke, como membros. Por enquanto, as fabricantes vão manter suas instalações em Molsheim (França) e Zagreb (Croácia).


"Estou honrado por liderar esta nova fusão e começar o que, sem dúvida, será um novo capítulo de sucesso, revolucionário e emocionante para todos. É difícil encontrar uma combinação melhor que Bugatti e Rimac. As operações aceleradas, assim como as tecnologias de eletrificação da Rimac são o complemento perfeito para a excepcional herança e habilidade artesanal da Bugatti", afirma Mate Rimac no comunicado oficial.

Bugatti-Rimac
Bugatti-Rimac/Divulgação

Foco nos carros elétricos

A Rimac começou no mercado há 12 anos, dentro de uma garagem. Desde então, desenvolveu supercarros elétricos, como, por exemplo, o Rimac Concept One, seu primeiro modelo, com insanos 1.224 cv. Recentemente, a marca croata revelou o Nevera, primeiro hiperesportivo de produção em série da marca. O modelo custa US$ 2,4 milhões (mais de R$ 12,5 milhões) e passa dos 1.900 cv. Isso com autonomia para rodar até 500 km.




Projeções

A Rimac continuará a construir e desenvolver seus próprios modelos, incluindo o lançamento do novo Nevera. No caso da Bugatti, ela continuará a comercializar o hipercarro Chiron, mas também passa a ter acesso às tecnologias de motores elétricos e baterias da croata.

Para 2023, a previsão é que a Bugatti-Rimac passe a operar em um novo prédio da Rimac, que está em construção. Assim, o setor de pesquisa de ambas as montadoras também vai funcionar no local.


O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se