GWM Poer
GWM/Divulgação

Primeira picape híbrida feita no Brasil é da GWM; veja detalhes

GWM promete iniciar produção da picape com sistema híbrido flex em sua fábrica no interior de São Paulo em maio de 2024

Por Vagner Aquino 30 de abr, 2023 · 5m de leitura.

Por mais que o mercado de veículos no Brasil esteja longe de atingir números da década passada, quando ultrapassava as 3 milhões de unidades vendidas por ano, ainda há muita montadora olhando para cá. A GWM é um bom exemplo disso. Afinal, já chegou comprando a antiga fábrica da Mercedes-Benz, em Iracemápolis (SP), e apostando forte em eletrificação. Hoje, já tem três versões do SUV Haval H6 (foto abaixo) à venda. Mas esse portfólio vai crescer. Afinal, a fabricante acaba de confirmar sua primeira picape feita no País.

GWM
GWM/Divulgação

O modelo vai chegar com o status de ser a primeira picape híbrida feita no Brasil. Afinal, a Ford Maverick híbrida é importada. Batizado de Poer (leia-se: póuer), o motor a combustão vai ser flex. Ou seja, diferentemente da picape da marca norte-americana, poderá ser abastecida tanto com gasolina quanto etanol. Trata-se do primeiro modelo da marca chinesa com essa tecnologia.

Na fábrica, o desenvolvimento segue a todo vapor. Afinal, é preciso adequar os projetos às preferências do brasileiro. Assim como às condições de rodagem do País. Por isso, a marca informa que motor e os sistemas de suspensão, direção e conectividade, por exemplo, têm desenvolvimento específico.

Assim, a nova concorrente de modelos como Toyota Hilux, Chevrolet S10 e companhia vai ter dois motores elétricos, sendo um em cada eixo, além do 2.0 turbo flex. Não há dados de potência, por exemplo. Afinal, a picape ainda está em fase de desenvolvimento. Seja como for, a tração 4×4 é algo praticamente mandatório nesse tipo de carro. Portanto, virá também na picape da GWM.

Great Wall
GWM/Divulgação

Produção em 2024

De acordo com a GWM, a fábrica paulista, que é a maior da empresa no Ocidente, só vai começar a produzir daqui a um ano. Ou seja, no dia 1° de maio de 2024. Entretanto, o projeto de modernização e ampliação da linha de montagem e da capacidade instalada já está em andamento.

Nesse sentido, a primeira fábrica do Brasil dedicada exclusivamente à produção de veículos híbridos e elétricos, terá capacidade para produzir 100 mil unidades por ano. Como resultado, deve gerar cerca de 2.000 empregos diretos. A meta é que planta produza veículos híbridos convencionais, híbridos plug-in, 100% elétricos e até mesmo a célula a hidrogênio.


GWM
GWM/Divulgação

Com o objetivo de exportar veículos eletrificados para toda a América Latina, a unidade brasileira da GWM é fruto de investimentos de R$ 10 bilhões. Conforme a empresa, esse montante inclui a ampliação da fábrica, contratação de colaboradores e início da produção de dois modelos. Ou seja, a Poer e um SUV, feito sobre a mesma plataforma.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se
Newsletter Jornal do Carro

Complete seu cadastro para receber as últimas notícias do Jornal do Carro diretamente no seu e-mail.

Campo obrigatório
Campo obrigatório
Cep inválido
CPF/CNPJ inválido
Telefone inválido
Tudo certo!

Seu cadastro foi enviado. Em breve você receberá as últimas notícias do Jornal do Carro diretamente no seu e-mail.