Lançamentos

Renault Kwid elétrico chega ao Brasil em 2022 e quer ser o mais barato

Kwid que pluga na tomada foi confirmado pelo CEO do grupo Renault, Luca de Meo, em visita às instalações da marca francesa no Brasil

Diogo de Oliveira

15 de nov, 2021 · 6 minutos de leitura.

Renault Kwid elétrico" >
CEO da Renault, Luca de Meo confirma lançamento do Kwid elétrico no Brasil em 2022
Crédito:Renault/Divulgação

O Renault Kwid é, atualmente, o carro mais barato do Brasil, com preço a partir de R$ 48.790. Pois a marca francesa vai lançar em 2022 uma versão do seu popular recarregável em tomadas. A novidade foi confirmada pelo CEO do grupo Renault, Luca de Meo. Pela primeira vez em sua gestão, o executivo esteve no Brasil para conhecer as instalações da empresa.

Durante a visita ao complexo industrial de São José dos Pinhais, no Paraná, Luca de Meo reafirmou que a Renault vai "se posicionar em segmentos mais altos do mercado", e que "o mesmo vai acontecer no Brasil". Além disso, o CEO falou sobre os planos para avançar na eletrificação da gama da marca no País e também na região da América do Sul.

"O Brasil é um mercado estratégico para a Renault. Vamos utilizar todo o nosso ativo tecnológico de 10 anos de experiência em veículos elétricos, o que nos coloca na vanguarda neste segmento", disso Luca de Meo.

Renault Kwid elétrico
Renault/Divulgação

Como será o Kwid elétrico

Com lançamento garantido para 2022, o Renault Kwid ZE (sigla de "zero emissões") será feito sobre irmão gêmeo chinês, City K-ZE. A versão alimentada por baterias surgiu em 2019, no Salão de Xangai, mas como um modelo exclusivo para o mercado chinês. Entretanto, deste então, já se aventava a possibilidade de o Kwid elétrico vir ao Brasil.

Com a iminente reestilização do Renault Kwid, esperada para o próximo mês de dezembro, o Kwid elétrico terá, portanto, o mesmo visual da nova linha brasileira. Dessa forma, será o momento perfeito para a chegada da versão a eletricidade. Segundo Luca de Meo, o modelo brasileiro terá diferenças de estilo e de mecânica em relação ao chinês.

Renault Kwid elétrico
Renault/Divulgação

Lá na China, o City K-ZE traz um motor elétrico com 44 cv de potência e um torque máximo de 12,1 mkgf. Com ele, o hatch chega à velocidade máxima de 104 km/h e tem autonomia para rodar cerca de 200 km com as baterias cheias. Para o Brasil, a marca deverá usar um motor mais forte, que fique mais próximo em desempenho dos 70 cv do atual 1.0 flex.

Já em relação às tecnologias embarcadas, o Kwid elétrico será bem menos refinado que o Zoe e-Tech, lançado aqui no começo de 2021. Para ter preço acessível, virá com o básico, como ar-condicionado, direção elétrica, freios ABS e airbags frontais e laterais. Pode ganhar controle de estabilidade. Já a multimídia terá tela maior e mais conectividade com smartphones.



Renault Kiger
Renault/Divulgação

Futuro do Sandero em jogo

Em sua visita, Luca de Meo não deu pistas sobre o futuro do Sandero no mercado brasileiro. E esse silêncio é um sinal de que a marca vai mesmo aposentar o hatch e o sedã Logan em um futuro próximo. Tal como o Jornal do Carro noticiou em setembro, a matriz da Renault na França mandou cancelar as novas gerações de Logan e Sandero no Brasil.

Até então, a chegada dos novos modelos era considerada certa. E parecia contemplada no investimento de R$ 1,1 bilhão para a renovação da gama nacional da marca até meados de 2022. Entretanto, ao que parece, o Logan sairá de linha no Brasil, enquanto a marca planeja lançar um novo SUV abaixo do Duster para substituir o Sandero.

Continua depois do anúncio

Esse utilitário tem tudo para ser o Kiger (foto acima), que estreou esse ano na Índia. O pequeno utilitário usa a mesma base do Kwid (CMF-A), o que facilitará a sua nacionalização no Paraná.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se