Você está lendo...
Stellantis quer 34 milhões de carros conectados à internet no mundo até 2030
Mercado

Stellantis quer 34 milhões de carros conectados à internet no mundo até 2030

Em evento global, Stellantis anunciou 3 novas plataformas de software para carros; uma delas poderá oferecer direção autônoma de nível 3

Jady Peroni, especial para o Jornal do Carro

13 de dez, 2021 · 6 minutos de leitura.

Stellantis e Foxconn se unem para fabricar plataformas de conectividade
Stellantis e Foxconn se unem para fabricar plataformas de conectividade
Crédito:Divulgação/Foxconn

A Stellantis anunciou sua nova estratégia de software para o futuro das marcas do grupo. Com participação de todos os CEOs das montadoras, o EV Day confirmou o investimento de mais de 30 bilhões de euros até 2025. O objetivo, dessa forma, é trabalhar em conjunto com os planos de eletrificação dos veículos das 14 marcas. Bem como alcançar nada menos que 34 milhões de carros conectados à internet até 2030.

Ainda falando sobre os projetos de eletrificação, o evento divulgou números ousados para o futuro. De acordo com os dados, a empresa pretende atingir mais de 70% das vendas de veículos na Europa, e mais de 40% das vendas nos Estados Unidos, com modelos de baixa emissão de carbono (LEV).

''Nossas estratégias de eletrificação e software apoiarão a mudança para nos tornarmos uma empresa líder de tecnologia de mobilidade sustentável, alavancando o crescimento do negócio associado com recursos e serviços transmitidos à distância e entregando a melhor experiência aos nossos clientes'', afirmou o CEO da Stellantis, Carlos Tavares


Divulgação/Stellantis

Carros conectados

Hoje, a Stellantis diz que possui cerca de 12 milhões de carros conectados monetizáveis. Em 2026, eles esperam que esse número cresça para 26 milhões, ou seja, mais que o dobro em apenas 5 anos. Porém, a meta mais ambiciosa, como falamos, é a marca de 34 milhões em 2030, que vão gerar, aproximadamente, 20 bilhões de euros em receitas anuais.

Para isso, o grupo afirmou que vai expandir seus negócios de serviços conectados através de 5 pilares. São eles: 1. Serviços e Assinaturas; 2. Recursos sob demanda; 3. Dados como serviço e serviços de frota; 4. Preço do veículo e valor de revenda; e, por fim, 5. Conquistas, retenção de serviço e venda cruzada.


Além disso, a Stellantis confirmou que vai lançar, em 2022, um programa de seguros baseado na utilização de dados. Assim, será possível monitorar a forma como o motorista dirige e seus hábitos para baratear o custo. Contudo, ainda não há mais detalhes sobre como esse serviço irá funcionar exatamente.



Parceria com a Foxconn

Em maio deste ano, o Jornal do Carro noticiou a parceira da Stellantis com a Foxconn, fabricante de componentes eletrônicos de Taiwan. Essa união tem como meta fornecer sistemas para os futuros carros elétricos e conectados das marcas do grupo. Por isso, espera-se o desenvolvimento de quatro famílias de microchips exclusivos para dar suporte à Stellantis.

Assim, esses novos semicondutores vão cobrir mais de 80% das necessidades da empresa, ajudando, até mesmo, no abastecimento. A instalação desses produtos nos veículos está prevista para 2024.


Novas plataformas em 2024

Por fim, a Stellantis afirmou que três novas plataformas chegarão no mercado até 2024. A principal delas é nova arquitetura elétrica e de software, a STLA Brain. De acordo com o grupo, a plataforma conecta unidades de controle dentro do veículo com o computador central de alto desempenho. Por isso, facilita as atualizações e, consequentemente, reduz custo para os clientes e simplificam a manutenção.

Divulgação/Stellantis

Em seguida, foi apresentado o STLA SmartCockpit. Esse produto foi desenvolvido pela joint venture Mobile Drive, fruto da união entre Stellantis e Foxconn, e oferece aplicativos baseados em IA. Entre eles, por exemplo, está a navegação por GPS, assistência de voz, mercado de comércio eletrônico e serviços de pagamento.


Por último, mas não menos importante, falaram um pouco mais sobre o STLA AutoDrive, desenvolvido em parceria com a BMW. O intuito desse recurso é oferecer uma direção autônoma de Nível 2, Nível 2+ e Nível 3. Mas, vale dizer que a Stellantis promete que os níveis podem aumentar ainda mais com as atualizações gradativas.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se
Deixe sua opinião