Mercado

Veja 10 SUVs usados que são boas opções e custam menos de R$ 70 mil

Com os preços dos 0-km batendo nos R$ 100 mil, reunimos dez opções do mercado de seminovos e usados; tem SUV "raíz", 4x4 e com motor diesel

Vagner Aquino, Especial para o Jornal do Carro

28 de jul, 2021 · 10 minutos de leitura.

SUVs Usados Kicks" >
SUVs usados e seminovos com motores flex podem ser encontrados por preços de até R$ 70 mil
Crédito:Sergio Castro/Estadão

No mês de julho, quase metade da lista que engloba os dez modelos zero quilômetro mais vendidos do Brasil é composta por SUVs. Tem os Jeep Renegade e Compass, Toyota Corolla Cross e Hyundai Creta. Mas se você também está a fim de colocar um utilitário esportivo na garagem, mas não pode arcar com os altos preços praticados pela gama 0-km, é possível encontrar boas opções na faixa até R$ 70 mil no mercado de usados. Valor menor que os modelos novos atuais – mesmo quando destinados a PcD.

Pensando nessa preferência, o Jornal do Carro elaborou uma lista com dez bons SUVs usados disponíveis em anúncios da internet. Tem opção para todos os gostos, que vão desde os SUVs “raiz” – para aqueles consumidores que não dispensam uma boa trilha off-road -, passando por clássicos, modelos com tração 4×4 e até com câmbio manual. Nesse sentido, como não pode faltar, a lista também acrescenta os SUVs “Nutella”, que são baseados em plataformas de hatches, entretanto agradam com itens de conforto e segurança e boa altura livre do solo.

Garimpar opções no mercado de usados, claro, exige esforço. Afinal, há boas ofertas tanto em usados quanto em seminovos. Vale, dessa maneira, ficar de olho na possível necessidade de arcar com despesas extras de manutenção. Dependendo do caso, o serviço pode sair mais caro que os custos com um modelo 0-km. Por isso, conforme indicam os especialistas, sempre leve um mecânico de confiança e atente-se a cada detalhe.

Lição de casa

Antes de sair para procurar, a princípio, pesquise sobre reposição de peças e custos de manutenção das opções que pretende negociar. E nunca se esqueça de fazer um test-drive antes da assinatura do contrato. Lembre-se sempre que tanto veículos com décadas de uso ou mesmo aqueles seminovos com baixíssima quilometragem podem, sim, apresentar falhas. Portanto, fique de olho – e vamos à lista.

usados
ANDRE LESSA/ESTADÃO

O SUV usado mais vendido do Brasil não poderia estar de fora desse elenco: Ford EcoSport. Foi ele, aliás, quem puxou a fila dos utilitários compactos. Lançado logo no comecinho da década de 2000 (sobre a plataforma do irmão hatch, Fiesta) logo caiu nas graças do público. Embora esteja fora de linha desde janeiro, o modelo teve quase 15 mil unidades comercializadas no mês passado. Número quase três vezes maior que o segundo SUV da lista, o Renault Duster.



No mercado, é possível encontrar o Ford EcoSport 2018 ou até 2019 por preços entre R$ 65 mil e R$ 69.990. Tanto na versão SE quanto na FreeStyle, o modelo vem com motor 1.5 três cilindros de 137 cv. O câmbio pode ser tanto manual de cinco marchas quanto automático de seis relações. Visualmente, as opções encontradas trazem aquele design mais atual, com faróis separados da grade dianteira.

SUV clássico

Para a clientela que não se importa em ter um modelo mais antigo na garagem – e já fora de linha há tempos – a Chevrolet Blazer é uma boa pedida. Com todas as credenciais de um SUV “raíz” e aposta em luxo, tem preço médio praticado de R$ 60 mil na versão Executive, ano 2006. O grandalhão (para os padrões da época, diga-se) tem tração 4×4, motor turbodiesel de 2,8 litros e câmbio manual. Combinação impossível nos dias de hoje.

GM
GM/Divulgação

Por falar em clássico, o Jeep Grand Cherokee não poderia ficar de fora. Sonho de consumo para muitos e realidade para poucos nas décadas de 1990 e 2000, o jipão, no mercado de usados, custa cerca de R$ 67 mil na configuração Laredo, de 2012. O motor é o beberrão 3.6 V6 a gasolina combinado a um câmbio automático de cinco marchas. Assim como fôlego, o SUV tem luxo de sobra, inclusive, com bancos revestidos de couro e saídas traseiras de ar-condicionado.

Mais Jeep

Voltando um pouco às opções mais modernas e projetadas para as cidades, o Jeep Renegade é excelente opção. Tem modelos 2018 por média de R$ 69.900. As versões Flex sempre sofreram críticas pelo desempenho e gasto extra. No entanto, continua um modelo atemporal. Se para você a boa lista de itens de série compensa o mínimo espaço do porta-malas (260 litros), vale como opção.

usados
Jeep/Divulgação
Continua depois do anúncio

Para quem não liga de andar com um carro que já tenha mudado de cara (e de motor), o Chevrolet Tracker antigo é uma opção recomendável. Importado do México, o modelo tem faixa de preço entre R$ 63,9 mil e R$ 68 mil, dependendo da versão. Tanto a LT quanto a LTZ contam, no entanto, com motor 1.8 MPFI 16V Flex. Ano/modelo entre 2014 e 2016. Aquele com dianteira nova e o bom 1.4 turbo sob o capô é indisponível nessa faixa de preço.

Chevrolet
JF Diorio/Estadão

Difícil, mas encontra

Raro encontrar algum Honda HR-V para cá de 2017 por até R$ 70 mil. Mas este é um modelo que está na lista dos carros espaçosos, modernos, equipados, confiáveis e que, usados, cabem no bolso. Nessa faixa, contudo, é possível apenas encontrar as versões de entrada ou, com muita procura, a intermediaria. O SUV tem motor 1.8 Flex e câmbio do tipo CVT.

Na lista de concorrentes atuais (mas que 0-km não saem por menos de R$ 100 mil), Creta e Kicks são excelentes opções quando a ideia é não ultrapassar os R$ 70 mil. Enquanto o Hyundai (2017) sai por média de R$ 68 mil, o Nissan (2018) chegou a ser encontrado a 69 mil. Ambos têm motor 1.6 Flex e acabamento simples, no entanto, apresentável. Cabe lembrar que o sul-coreano logo vai mudar de geração. Isso, todavia, deve desvalorizar o modelo atual.

usados
Valéria Gonçalvez/Estadão

Por fim, a lista será fechada com uma dupla de franceses. Pouco lembrados, os SUVs compactos Citroën Cactus e Peugeot 2008 custam média de exatos R$ 70 mil. A boa oferta de equipamentos e a proposta urbana podem ser levadas em conta na hora da escolha. E se você ainda desconfia de marca francesa, é bom lembrar que ambas investiram bastante em pós-vendas nos últimos anos. A princípio, selecionamos veículos ano/modelo 2019 no caso do Citroën e 2017 a 2018, no Peugeot, que carrega o motor 1.6 THP.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se