Notícias

As motos elétricas que a Voltz vai produzir em Manaus a partir de 2022

Brasileira Voltz vai construir fábrica em Manaus ainda neste ano. Unidade vai gerar 500 empregos e fazer 15 mil motos por mês

Emily Nery, Especial para o Jornal do Carro

25 de mai, 2021 · 5 minutos de leitura.

Voltz" >
Moto elétrica da Voltz
Crédito:Divulgação/Voltz

Os carros elétricos ainda estão distantes do Brasil, mas a indústria de duas rodas logo terá um representante em solo nacional. A Voltz, startup brasileira de mobilidade elétrica, vai aplicar R$ 100 milhões para construir sua primeira fábrica de motos na Zona Franca de Manaus. E os modelos da marca, claro, usarão motores elétricos e baterias de lítio.

Voltz
Divulgação/Voltz

Portfólio da Voltz

A startup brasileira nasceu em Recife, Pernambuco, e está presente no mercado desde 2019. Atualmente, possui três modelos em seu portfólio: as motos elétricas EV1, EV1 Sport e EVS.

Voltz EV1 Sport

Para tanto, a montadora conta com motor desenvolvido pela Bosch e carenagem feita na China. Até o momento, a montagem dos produtos ocorre em Cabo de Santo Agostinho (PE), no centro de distribuição da Voltz.

Na configuração mais potente, com duas baterias de lítio de 60V, a scooter EV1 alcança os 100 km de autonomia, mas não ultrapassa os 60 km/h. Já no EV1 Sport, é capaz de percorrer 175 km com a carga completa da bateria, e a velocidade máxima atinge os 75 km/h.

VOLTZ EVS
Conforme informações da fabricante, o motor da EVS gera até 3.000 Watts de potência Divulgação/Voltz

Por fim, a EVS oferece duas baterias de 72V, que garantem autonomia de 180 km. Tal como uma moto de 160 cc, a street elétrica da Voltz acelera de zero a 60 km/h em 6 segundos, e chega aos 120 km/h. Conforme informações da fabricante, o motor gera até 3.000W de potência.

Para fazer a recarga, basta plugar as motocicletas em tomadas convencionais. Dessa forma, leva-se cerca de 5 horas para a bateria atingir a carga completa.

A empresa possui dois showrooms, um em São Paulo e outro em Recife, além de 30 filiais distribuídas pelo país. Entretanto, a vendas são feitas exclusivamente por meio dos canais digitais da Voltz.

Parceria com o Ifood

Recentemente, a Voltz firmou parceria com o Ifood, que por sua vez tem a meta de realizar 50% das entregas por meios de transporte não poluentes até 2025. Em um primeiro momento, o projeto piloto contará com 30 motos elétricas da marca. A expectativa, no entanto, é chegar a mais de 10 mil motos para entrega nos próximos 12 meses.

Para tanto, o Ifood está desenvolvendo parcerias para criar linhas de crédito especiais aos entregadores associados.



Continua depois do anúncio

Creditas é principal investidor

A rodada de investimentos na Voltz foi liderada pela Creditas, que fornecerá um montante de R$ 95 milhões. O restante virá do UVC Investimentos, um fundo de Venture Capital do Grupo Ultra. Parte desse valor será destinada, portanto, à construção da fábrica na região norte do país. As obras terão início ainda neste ano de 2021.

Inicialmente, a Voltz investirá R$ 10 milhões na unidade manauara, e pretende produzir 15 mil motocicletas por mês. De acordo com o CEO da Creditas, Sergio Furio, espera-se que a iniciativa gere 500 empregos.

“Por lá, vamos fabricar uma série de peças, como pedais, retrovisores, pastilhas, discos de freios, entre outros”, comenta Renato Villar, fundador da empresa de veículos elétricos.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se