Você está lendo...
BYD testa no Brasil carro elétrico feito para motoristas de aplicativo
Mercado

BYD testa no Brasil carro elétrico feito para motoristas de aplicativo

Recém-lançado no México, BYD D1 está em testes no Brasil e pode chegar no 2º semestre; hatch tem porta corrediça e motor elétrico de 139 cv

Vagner Aquino, especial para o Jornal do Carro

05 de mai, 2022 · 5 minutos de leitura.

Mobilidade
BYD D1 será o terceiro carro de passeio da BYD no Brasil
Crédito:BYD/Divulgação

A BYD lançou recentemente no México o hatch elétrico D1. Ele foi desenvolvido em parceria com a Didi Chuxing, gigante chinesa de mobilidade e dona do aplicativo 99, rival do Uber. Pois a montadora já realiza testes com o modelo no Brasil, e planeja lançá-lo por aqui ainda neste ano. É o que apurou a revista Autoesporte, que flagrou uma unidade no País.

Por ora, não há data definida, mas o lançamento está previsto para o 2º semestre. Na China, o BYD D1 tem preço de 151.800 yuans, o equivalente a cerca de R$ 114 mil na conversão direta. Este valor, entretanto, já conta com bônus cedido pelo governo chinês para veículos elétricos. Também não está claro se, no Brasil, o hatch elétrico será exclusivo para uso por motoristas do app 99, ou se ficará disponível ao público geral - como ocorre na China.


Feito para aplicativo

Se vier ao Brasil, o D1 será o terceiro carro de passeio 100% elétrico da BYD no País. Aqui, a marca já comercializa o SUV Tan e o sedã Han (veja vídeo abaixo). Visualmente, o D1 aposta no formato de monovolume. Com base em relatos feitos das plataformas do grupo, a chinesa optou por criar um carro compacto com amplo espaço interno. Para isso, usou dados de mais de 550 milhões de passageiros e de 31 milhões de motoristas no desenvolvimento do hatchback.



BYD
BYD/Divulgação

Por isso, o BYD D1 inevitavelmente lembra outros modelos conhecidos dos brasileiros, como a minivan Chevrolet Spin, por exemplo. No entanto, o chinês tem até porta corrediça (com comando elétrico) do lado direito, para facilitar o embarque/desembarque de passageiros. Ele é um pouco menor que o modelo da GM, com 4,39 metros de comprimento - ou seja, é 18 cm mais comprido que a Spin. E tem distância entre-eixos generosa, com 2,80 metros.


BYD/Divulgação

Equipamentos

Conforme noticiou o Jornal do Carro em 2020, o BYD D1 é um carro simples, mas tem bom recheio. Nele, estão disponíveis sistemas de direção autônoma nível 2. Tem frenagem de emergência, alerta de saída de faixa e de colisão com detecção de pedestres, bem como sistema de monitoramento criado pela própria Didi. Dessa maneira, o veículo monitora o motorista com alertas de segurança. Há uma inteligência artificial que analisa voz e vídeo, com reconhecimento facial.

BYD
BYD/Divulgação

A central multimídia de 10,1" concentra os sistemas de entretenimento, assim como outras muitas funções do veículo. O equipamento ainda faz a verificação do motorista, embarque e desembarque, pagamento e atendimento ao cliente. Para os passageiros de trás, há duas telas sensíveis ao toque atrás dos bancos dianteiros com entradas USB.

Finalmente, na parte mecânica, o BYD D1 tem desempenho moderado, com foco no uso urbano. Na China, ele gera o equivalente a 136 cv e 18,3 mkgf de torque máximo instantâneo. Tal como os demais carros da marca chinesa, o hatch elétrico traz um pacote de baterias Blade de 50 kWh que fornece autonomia de até 418 km (ciclo NEDC).

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se