Você está lendo...
Caoa Chery lança SUVs Tiggo 5X, 7 e 8 híbridos, e elétrico iCar; veja os preços
Mercado

Caoa Chery lança SUVs Tiggo 5X, 7 e 8 híbridos, e elétrico iCar; veja os preços

Caoa Chery vira a chave da eletrificação e venderá carros híbridos e elétricos até 2023; marca inicia pré-venda da gama com cinco lançamentos

Eugênio Augusto Brito, Especial para o Jornal do Carro

15 de jun, 2022 · 12 minutos de leitura.

Caoa Chery iCar
Caoa Chery iCar é o mais novo elétrico com menor preço do Brasil, após tomar posto do Renault Kwid E-Tech
Crédito:Caoa Chery/Divulgação

Ao contrário das previsões iniciais, a eletrificação dos carros avança rapidamente no Brasil. E a Caoa Chery mostra agilidade com esse novo cenário da indústria no País. A fabricante sino-brasileira revelou uma linha completa de veículos híbridos, bem como o hatch elétrico iCar, que chega já em julho para ser o modelo a bateria mais acessível do mercado.

Tal como o Jornal do Carro publicou no início do mês, o Tiggo 8 Pro virá em versão híbrida plug-in desafiar o Jeep Compass 4xe. Mas a Caoa Chery surpreendeu e revelou, de uma só vez, todos os demais híbridos. Tiggo 5X Pro e Tiggo 7 Pro também terão versões eletrificadas. A montadora ainda mostrou o sedã médio Arrizo 6 híbrido.

A nova gama eletrificada já em pré-venda a partir desta quarta (15) com os seguintes preços:


  • iCar EV (100% elétrico) - R$ 139.990
  • Arrizo 6 Pro Hybrid Flex - R$ 159.990
  • SUV Tiggo 5X Pro Hybrid Flex - R$ 169.990
  • Tiggo 7 Pro Hybrid Flex - R$ 199.990
  • Tiggo 8 Pro Plug-in Hybrid - R$ 269.990
Caoa Chery
Eugênio Augusto Brito/Estadão

Só híbridos e elétricos

Em evento na noite desta terça-feira (14), na cidade de São Paulo, a Caoa Chery anunciou seus novos planos para o Brasil. A marca partirá para a eletrificação total dos carros à venda no País até o final de 2023. O direcionamento foi anunciado pelo gerente geral da Chery International, Charlie Zhang, em vídeo gravado na China.

Executivos da Caoa também falaram em modificar de forma "agressiva" o atual portfólio da marca. Assim, a estratégia é ter um número crescente de veículos híbridos leves (com alternador reforçado e bateria de 48V), do tipo plug-in (que une motor a combustão com motor elétrico e baterias recarregáveis na tomadas), e os carros 100% elétricos.


Caoa Chery/Divulgação

Essa oferta vai incluir as novas gerações de modelos feitos em Anápolis (GO), mas com conjunto híbrido importado da China. Os elétricos também virão do país asiático. A preparação deste plano já acontece há algum tempo. A fábrica goiana teve aporte de R$ 1,5 bilhão em 2020, e conta com incentivos públicos, com regime especial de isenções e tributos.

Há ainda um plano para reabrir a fábrica de Jacareí (SP) em 2025. A unidade foi desativada e os funcionários demitidos há dois meses. Inaugurada em 2017, tinha capacidade para entregar até 150 mil carros por ano, mas nunca chegou perto disso. Entre janeiro e março de 2022, entregou menos de 4 mil unidades do crossover Tiggo 3X e do sedã Arrizo 6, que tiveram a produção encerrada, assim como o Tiggo 2 e o Arrizo 5.


iCar
Caoa Chery/Divulgação

iCar chega em julho

Tudo começa com o elétrico iCar, no final de junho. O emblema tem as letras minúsculas. Aqui no Brasil, é um nome curioso, já que remete ao que poderia ser o nome do futuro carro da Apple, o iCar (com a letra "C" maiúscula). Polêmicas à parte, o hatch vem para ser o carro elétrico mais barato do País, contra Renault Kwid E-Tech e JAC eJS1.

Na China, o modelo se chama eQ1. Ele tem duas configurações disponíveis. A mais básica tem 45 cv de potência, 12 mkgf de torque e autonomia de 280 km. Já a topo de linha tem 75 cv e 15 mkgf de torque, e autonomia para até 350 km com as baterias cheias. Além disso, em estações de carga rápida, leva entre 30 e 40 minutos para recarregar 80%.


iCar
Caoa Chery/Divulgação

Com duas portas, espaço é bom para dois adultos na dianteira, mas existe um banco traseiro bem estreito. Porta-malas também é diminuto e permite abrigar duas malas pequenas. Diferente de outros carrinhos urbanos, o nível de acabamento surpreende com ótimos arremates. Os bancos da frente têm ajuste elétrico e há teto solar panorâmico.



SUVs híbridos flex

Mas a cereja do bolo em termos de volume de vendas são os SUVs. Logo em julho, a Caoa Chery vai lançar os Tiggo 5X e 7 com o sobrenome Pro Hybrid. A dupla terá sistema híbrido leve com bateria de 48V e alternador reforçado. E ambos serão montados na fábrica de Anápolis (GO). O sistema híbrido alivia o motor a combustão em algumas situações, fornece 10 cv e 4 mkgf extras e ajuda a reduzir o consumo. Assim, a média com gasolina deve ficar em torno de 17 km/l (13% melhor).


Caoa Chery/Divulgação

Esse mesmo sistema híbrido será usado no sedã Arrizo 6 Pro Hybrid, que chega às concessionárias em agosto. De início, ele virá importado da China, já que a fábrica de Jacareí, onde era feito, foi fechada. Por fim, a Caoa Chery receberá as primeiras unidades do SUV Tiggo 8 Pro Plug-In Hybrid no fim de agosto. O utilitário vem para ser o modelo topo de linha da marca, e vai concorrer com o Compass 4xe que recarrega em tomadas.

Tiggo 8 Pro com recursos semiautônomos

Para além do conjunto híbrido que combina motores a combustão e elétrico, o Tiggo 8 Pro híbrido vai estrear a nova identidade visual da Caoa Chery. Além disso, terá itens modernos de conforto, conectividade e segurança, que prometem desafiar marcas tradicionais, como a Jeep, e até luxuosas, como BMW, Mercedes-Benz e Volvo.


Caoa Chery Tiggo 8 Pro híbrido
Caoa Chery/Divulgação

O SUV terá, por exemplo, os assistentes semiautônomos de condução, como ACC, manutenção ativa de faixa, frenagem automática e alertas de colisão traseira e de ponto cego. A bordo, o painel tem três telas. Uma atrás do volante, para o quadro de instrumentos, outras duas na parte central, para a multimídia e outros ajustes de conforto. O sistema virá em português. Curiosamente, a unidade exposta tinha o novo emblema da Chery, com letras no miolo do volante. Fica a dúvida se a Caoa Chery vai mudar isso.

Tiggo 8 Pro
Caoa Chery/Divulgação

Já o sistema híbrido plug-in vai estrear um novo câmbio. O conjunto vai unir o motor 1.5 turbo de 170 cv e 25,5 mkgf de torque a uma bateria e dois outros motores elétricos. Segundo a Caoa Chery, a potência deles passa dos 320 cavalos, com mais de 50 mkgf de torque e autonomia para 100 km apenas com uso de eletricidade.

Caoa Chery/Divulgação

A tração é dianteira e o conjunto híbrido promete superar os 450 cv de potência e encostar nos 80 mkgf de torque no modo de condução híbrido. Por enquanto, a marca não informou dados oficiais sobre consumo de combustível.


Outro patamar

Em 2018, a Chery era a 18ª colocada em participação de vendas no Brasil, com 8.639 unidades emplacadas naquele ano. O anúncio da compra da operação brasileira pelo Grupo Caoa alterou este cenário. No primeiro ano da Caoa Chery, a marca sino-brasileira saltou para 20.182 unidades, ou seja, mais que dobrou de volume.

Em 2020, apesar da pandemia, a montadora se manteve estável, com 20.089 unidades emplacadas. Entretanto, com uma estratégia de lançamentos mais agressiva, a Caoa Chery entrou no top 10 das marcas de carros no País em 2021, com um total de 39.747 unidades emplacadas entre janeiro e dezembro do ano passado. Dessa forma, superou as francesas Citröen e Peugeot, a japonesa Mitsubishi e até a gigante Ford.

Porém, com o mercado em constante movimento, a marca também acelera a eletrificação de olho em novas concorrentes chinesas, como BYD e Great Wall Motors. Enquanto a primeira já vende seus carros elétricos no País, a segunda comprou a fábrica da Mercedes-Benz em Iracemápolis (SP) e já anunciou que só venderá veículos híbridos e elétricos.


O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se
Caoa Chery Arrizo 6 PRO
Oferta exclusiva

Caoa Chery Arrizo 6 PRO

Deixe sua opinião