Você está lendo...
Carros clássicos poluem menos que elétricos, diz estudo de seguradora
Notícias

Carros clássicos poluem menos que elétricos, diz estudo de seguradora

Pesquisa aponta que, além de rodarem mais que os modelos clássicos, carros elétricos chegam a emitir 70% a mais de CO2 em sua produção

Jady Peroni, especial para o Jornal do Carro

03 de jul, 2022 · 4 minutos de leitura.

carros clássicos
Segundo estudo de seguradora inglesa, os carros clássicos poluem muito menos que os elétricos atuais
Crédito:Claudio Teixeira/AE

A indústria automotiva dá passos cada vez mais largos rumo à eletrificação. Mas um estudo recente revelou que os carros a baterias podem poluir mais que os antigos. É o que aponta a pesquisa da Footman James, seguradora britânica de veículos clássicos. No levantamento, a empresa diz que um veículo elétrico emite em torno de 563 kg de gás carbônico por ano, considerando a distância média percorrida de 1.931 km anuais no Reino Unido.

A justificativa é de que os carros clássicos têm menos uso no dia a dia, pois a maioria dos donos roda com eles apenas nos finais de semana ou em ocasiões especiais. Embora seja um argumento comprovado, é claro que os modelos elétricos e híbridos poluem menos. No entanto, como percorrem distâncias maiores ao longo do ano, e, assim, emitem mais gases que os clássicos neste estudo feito pela Footman James.  

elétricos e híbridos
Divulgação/Jeep

Problema é a produção

Em uma parte do relatório, a seguradora afirma que o maior problema dos elétricos está nos processos de fabricação. Em um exemplo, o estudo relata que o Volkswagen Golf emite cerca de 6,8 toneladas de CO? no ano. Já o Polestar 2, da Volvo, pode emitir 26 toneladas de carbono em sua produção, principalmente por conta das baterias. Ou seja, em média, é 70% a mais de CO?. A seguradora ainda afirma que, para alcançar esse nível, os carros clássicos teriam que rodar todos os dias por 46 anos, algo que vai contra a proposta desses modelos.

"É sobre como esses veículos são mantidos e usados. Claro que os carros novos, modernos e elétricos, parecem melhores para o planeta no dia a dia, o problema é o impacto da sua produção", afirmou o diretor administrativo da Footman James, David Bond.



Marcas pretendem melhorar produção

No geral, diversas montadoras já se comprometeram a melhorar seus métodos de produção, e, assim, torná-los mais eficientes e sustentáveis. A Polestar, por exemplo, será uma marca totalmente neutra em emissões de carbono até 2030. Além dela, a BMW já trabalha com processos menos poluentes e com uso energia renovável.


O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se
Deixe sua opinião