Você está lendo...
Nova Hilux chega em novembro e Argentina já tem pré-reserva
Notícias

Nova Hilux chega em novembro e Argentina já tem pré-reserva

Picape média será reestilizada e terá motor turbodiesel mais potente também; concessionárias argentinas já fazem pré-reserva

Emily Nery, special para o JC

11 de set, 2020 · 7 minutos de leitura.

Toyota Hilux
A Toyota Hilux foi renovada no fim de 2020 no Brasil, ganhando a chamada reestilização de "meia vida"
Crédito:Toyota/Divulgação

Apresentada na Tailândia no início de junho, a nova Hilux já está em fase de pré-venda para os argentinos. De acordo com a publicação Autoblog, as primeiras unidades já foram produzidas na fábrica de Zárate. O lançamento da reestilizaçãop da oitava geração da picape média está marcada para novembro na Argentina e no Brasil. Espera-se também a atualização do SUV SW4.

Vendedores de algumas revendas pedem o equivalente a R$ 10.500 para a reserva. Entretanto, a Toyota negou que exista pré-venda do modelo. Entende-se que a campanha seria feita pela própria concessionária sem autorização da montadora. Em São Paulo, a informação passada pelas concessionárias é de que a Toyota ainda não abriu o sistema para pré-venda. Além disso, a Hilux 2020 teve reajuste de 2,2% no preço. Um possível desconto é esperado próximo ao lançamento da picape.

Para enfrentar picapes como Ford Ranger, Chevrolet S10 e Volkswagen Amarok V6, a principal mudança está no motor mais potente em versões de topo. O turbodiesel 2.8 foi recalibrado para desenvolver até 204 cv e o torque subiu para 50,9 kgfm. O câmbio, dependendo da versão, é o manual ou automático de seis marchas.




TOYOTA

No visual, as alterações não são radicais, porém a grade recebeu novos elementos, enquanto o para-choque e os faróis de neblina apresentam desenhos inéditos. Já os faróis de LEDs receberam um design mais sofisticado. Na traseira, a novidade está nas novas lanternas de LEDs em assinatura estilizada no formato do número ?3?.

A Toyota afirma que fará amplas melhorias na suspensão e estabilidade da picape, para deixá-la mais confortável de dirigir. No quesito segurança, a Hilux será equipada com o Toyota Safety Sense, pacote que inclui controle de cruzeiro adaptativo, monitor de faixa de rolamento, alerta de colisão iminente e frenagem autônoma de emergência.


Concorrente da Mitsubishi Pajero Sport e da Chevrolet Trailblazer, a nova SW4 acompanha a reestilização e nova motorização da picape, da qual é derivada. A estreia será junto da Hilux, em novembro desse ano. Assim como para a Hilux, no Brasil vai manter as opções com motor flexível.

Mercado argentino aumenta produção das picapes

A Volkswagen anunciou que duplicará a produção da Amarok na fábrica de Pacheco. Em primeira fase, o aumento será de 110 unidades para 150 unidades produzidas por dia. Em outubro, deve-se complementar a produção, que passará ao número de 230 unidades fabricadas diariamente. No país vizinho, o motor V6 de 3 litros da Amarok é mais potente e chega a 272 cv em modo overboost, contra os 225 cv da picape brasileira. Vale lembrar a motorização mais potente era esperada para o Brasil nesse ano, mas não chegou na linha 2020.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se


Também sediada em General Pacheco, a fábrica da Ford celebrou a marca das 900 mil unidades da Ranger produzidas no país. A picape, produzida desde 1996 na planta, é exportada para todo o mercado sul-americano e mexicano. Além disso, a montadora norte-americana anunciou que abrirá um segundo turno de produção e passará produzir 234 unidades por dia, cerca de 6% a mais unidades fabricadas antes da pandemia. Para isso, a Ford anunciou que contratará 220 novos funcionários em regime temporário para cobrir os que estão afastados em licença compulsória, por se enquadrarem no grupo de risco da Covid-19.

A Nissan também anunciou uma nova variante da Frontier, a X-Gear. Opção se diferencia por trazer um visual mais moderno e agressivo. Assim como a versão Frontier Attack, vendida no Brasil, a variante adota pintura em preto na grade, faróis de neblina maçanetas, rodas, rack de teto e retrovisores. Um emblema lateral em preto leva o nome do modelo.

A carroceria terá as opções de cores vermelha, preta e branca. A motorização não se altera e carrega o 2.3 turbodiesel com duas opções de potência de acordo com a tração: turbo de 160 cv para a tração 4X2 e motor biturbo de 190 cv para tração 4X4. O preço na Argentina varia entre 2.360.000 pesos e 3.480.700 pesos argentinos, algo em torno de R$ 166.500 a R$ 245.530.


hilux
TOYOTA