Notícias

Nove em cada 10 donos de elétricos não voltariam ao carro a combustão

Estudo britânico revela que 91% dos proprietários de veículos elétricos rejeitaram a ideia de voltar ao abastecimento convencional, com diesel o gasolina

Vagner Aquino

06 de jan, 2021 · 4 minutos de leitura.

elétricos" >
VOLKSWAGEN ID.3
Crédito:Volkswagen/Divulgação

As montadoras que vêm investindo em veículos elétricos estão no caminho certo. Pelo menos, é o que aponta um estudo feito pelo serviço de mapas de pontos de recarga Zap-Map, no Reino Unido. No total, mais de 2.200 pessoas participaram da pesquisa. Resultado: 91% dos donos de carros movidos a eletricidade rejeitaram a ideia de voltar aos modelos com motor a combustão.

Dos entrevistados, 91% disseram estar satisfeitos com os elétricos que possuem. O índice cai para 72% no caso dos proprietários de veículos a gasolina e diesel.

Híbridos

Difícil olhar para trás, também, em caso de carros híbridos. Modelos híbridos plug-in alcançaram 84% de satisfação. De acordo com o estudo, quando questionadas sobre seus veículos, 100% garantiu que não trocaria seu BMW 330e (Série 3 híbrido plug-in). O único modelo com resultado equivalente foi o Kia Niro híbrido plug-in.

elétricos
BMW/Divulgação

Da mesma Kia, contudo, o e-Niro (motorização elétrica) registrou índice na casa dos 96%. Os dados apontam que o único veículo elétrico com 100% de pontuação, em síntese, foi o Volkswagen iD.3.

Isso se deve, em partes, à preocupação com a autonomia. Mesmo que a infraestrutura esteja com melhora gradativa em todo o mundo, ainda é discrepante a comparação entre postos de combustível e pontos de recarga. Isso, por exemplo, impossibilita viagens longas, já que os modelos com melhores autonomias não passam da casa dos 500/600 km.



Elétrico é caminho sem volta?

Ainda com preços relativamente altos e a possibilidade zero de dirigir por centenas de quilômetros (principalmente, no Brasil e outros países subdesenvolvidos), muita gente se encanta com essa opção limpa e econômica de automóvel. É tanto que apenas 1% dos entrevistados afirmou sentir falta de carros a combustão/híbridos. Outros 8% disseram que não tinham certeza.

"Nossa última pesquisa mostra o impacto forte e duradouro da mudança (das pessoas) para (a compra de) um carro elétrico", disse Melanie Shufflebotham, co-fundadora da Zap-Map. Para ela, todavia, a indústria automotiva deve aproveitar a oportunidade e capacitar vendedores para apresentação de benefícios aos consumidores e interessados.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se