Você está lendo...
O motor não ligou nesse frio? Verifique o tanquinho auxiliar de partida
Manutenção

O motor não ligou nesse frio? Verifique o tanquinho auxiliar de partida

Carros com motores flex que possuem o tanquinho de partida a frio podem ter dificuldades para dar a partida quando abastecidos com etanol

Diogo de Oliveira

18 de mai, 2022 · 6 minutos de leitura.

Tanquinho
Tanquinho de partida a frio já caiu em desuso nos carros mais modernos, mas merecem cuidados e gasolina de boa qualidade
Crédito:Vagner Aquino/Jornal do Carro

O inverno ainda nem chegou, mas uma onda de frio, sob influência da tempestade subtropical Yakecan, trouxe uma queda brusca de temperatura em várias partes do Brasil. E os carros flex mais antigos podem sofrer para ligar o motor nesses dias, caso estejam abastecidos com etanol. Isso porque vários modelos populares ainda possuem o tanquinho de partida a frio, que borrifa gasolina para ajudar na ignição em temperaturas abaixo de 17ºC.

Atualmente, a maioria dos carros novos trazem sistema mais moderno com bico de injetor aquecível. Ou seja, ele descarta o tanquinho auxiliar de gasolina e aquece o combustível no momento da ignição, facilitando a partida do motor nos dias mais frios do ano. Entretanto, nos modelos que ainda trazem o tanquinho, é crucial completar com gasolina de boa qualidade. Especialistas inclusive recomendam o uso de gasolina de maior octanagem.

Como funciona o tanquinho?

O sistema eletrônico do veículo verifica se a temperatura está ideal para dar a partida no motor. Caso julgue necessário enriquecer a mistura, utiliza, então, um pouco da gasolina do tanquinho auxiliar. Por isso, ele sempre deve conter combustível novo. "Há gasolinas que possuem melhor estabilidade. Ou seja, são mais resistentes à oxidação, algo benéfico para o sistema de partida a frio", explica Hiromori Mori, consultor técnico da NGK.




Por quê o motor não liga?

Nas manhãs mais frias, os carros flex abastecidos com etanol podem apresentar dificuldades na hora de dar a partida. Isso ocorre porque o combustível vegetal, sob temperaturas baixas, sofre condensação e tem menor evaporação. Assim, tende a manter-se em estado líquido, o que dificulta a combustão ao ligar os motores flex. Como resultado, caso o motorista insista em dar a partida, pode até encharcar as velas de ignição.

Mori lembra que alguns componentes também são mais exigidos. "Nos dias frios, as velas e cabos de ignição precisam estar em ótimo estado, pois trabalham sob condições severas de pressão e alta temperatura. Por isso, recomenda-se a inspeção dessas peças, já que o desgaste nem sempre é perceptível", explica o técnico da NGK.

tanquinho de partida a frio
NGK/Divulgação

Pisar na embreagem alivia o motor?

Diante da dificuldade de dar a partida no motor, alguns motoristas recorrem a soluções como acionar a embreagem ao ligar o veículo. Segundo Mori, a ação desacopla o eixo primário da transmissão, mas não tem efeito prático. "A resistência (inércia) deste conjunto é baixa. Ou seja, Não há grandes benefícios. Por outro lado, também não gera danos ao sistema. Tanto que não há recomendação das montadoras para tal prática", enfatiza o consultor da NGK.

Forçar a partida por afetar outros sistemas

Utilizar uma boa gasolina no tanquinho auxiliar é fundamental, pois reduz a sujeira no reservatório, o que evita o entupimento de mangueiras e o ressecamento das borrachas do sistema. Entretanto, há outros cuidados importantes. Uma dica é não forçar a partida quando houver pouca gasolina no sistema de partida a frio. Mori explica que, nesses casos, alguns componentes elétricos, como o alternador e o motor de arranque, podem danificar.

A bateria também requer atenção. Como o motor tem certa dificuldade em ligar nos dias frios, é normal que o número de voltas que ele dá até pegar seja maior. Dessa forma, as baterias - que alimentam o motor de partida e a ignição - também sofrem maior carga. Por isso, é recomendável verificar os sistemas de carga, de partida e o estado do componente.


Segundo Hiromori Mori, da NGK, as baixas temperaturas resultam na contração dos metais do motor (como os pistões, por exemplo). Além disso, o óleo fica mais viscoso. Assim, exige maior esforço na partida. O frio também diminui a velocidade das reações químicas na bateria. Ou seja, ele afeta vários sistemas dos carros bem na hora de sair.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se