Emily Nery, para o Jornal do Carro

11/02/2021 - 8 minutos de leitura.

Audi e-Tron GT faz estreia mundial e chega ao Brasil em 2021

Bastante parecido com seu primo Porsche Taycan, o cupê esportivo elétrico da Audi chega em duas versões que atingem até 646 cv

Audi e-tron gt
Audi e-Tron GT Crédito: Audi/Divulgação
Carro

Vai comprar um 0km? Nós te ajudamos a escolher.

A Audi acaba de apresentar o e-Tron GT, modelo convencional do nicho GT. Com um design invocado e moderno, o elétrico promete dar dor de cabeça ao Taycan. Assim como o esportivo da Porche, o cupê oferece duas versões invocadas, e-Tron GT quattro e RS e-tron GT.

Trazendo um design marcante e avassalador, o cupê divide a plataforma “J1” do grupo VW com o Taycan. O veículo surgiu como conceito em 2018, no Salão de Los Angeles, e desde então, sutis mudanças o deixaram menos futurista e mais musculoso.

Ele mede 4,99 metros de comprimento, 1,96 metros de largura, 1,41 m de altura e possui 2,90 metros de distância entre-eixos. Focado na aerodinâmica, o esportivo atinge um dos menores coeficientes de arrasto da história da Audi, um valor de 0,24.

Para isso, o carro é desenhado a favor da aerodinâmica. A dianteira, por exemplo, possui uma enorme entrada de ar que se estende até os faróis em LED e uma grade fechada na cor do veículo. Na ponta do longo e rebaixado capô, as lanternas em formato de seta se unem por um fio em vermelho. A bateria é disposta no assoalho do carro, a fim de diminuir o centro de gravidade.

De acordo com a Audi, o difusor traseiro, o piso plano e a suspensão com amortecimento a ar (que ajusta a carroceria a 22 mm para baixo e 20 mm para cima) ajudaram a adicionar quase 30 km de autonomia ao esportivo. Além disso, esse conjunto consegue se ajustar automaticamente conforme o modo de condução escolhido pelo motorista (há quatro disponíveis).

Divulgação/Audi

Perfomance

Em duas versões, a convencional quattro GT e a ainda mais esportiva RS GT, o e-Tron apresenta dois motores, um para cada eixo, um modo diferente de oferecer tração na quatro rodas, que por sua vez, são direcionais.

Mais potente, o motor do eixo traseiro oferece 435 cv na versão quattro GT e 598 cv na configuração mais radical. O propulsor dianteiro oferece 238 cv em ambas as versões. Como resultado, o e-Tron de entrada oferece 476 cv de potência e 64,4 mkfg, mas que no modo boost pode chegar a 530 cv (só que por apenas 2,5 segundos).

Audi e-tron gt
Audi/Divulgação

Cabe à versão RS GT desenvolver até 646 cv e 84,6 mkfg no modo boost. Em comparação ao Taycan Turbo S, versão topo de linha, a potência overboost chega aos 761 cv. Assim como seu primo da Porsche, o câmbio é automático de duas velocidades. A velocidade máxima é limitada eletronicamente a 245 km/h na versão básica e 255 km/h na variante RS.

No rápido modo boost o e-Tron GT quattro acelera de 0 a 100 km/h em 4,1 segundos, enquanto seu irmão necessita de 3,3 segundos para chegar aos 100 km/h.

Autonomia

Nos EUA, dados preliminares da fabricante nos ciclos de teste apontam que o e-Tron GT quattro roda até 383 km e o RS GT oferece autonomia de 373 km. O veículo dispõe de duas portas de carregamento em cada lado, bem atrás das rodas dianteiras.

Audi e-Tron GT
Divulgação/Audi

Seguindo o Taycan, o esportivo consegue ser abastecido em redes de carregamento ultrarrápidas de 800V. Ou seja, ele consegue reabastecer até 80% da bateria em cerca de 22 minutos. Em pouco mais de cinco minutos de carregamento, o carro garante autonomia para até 100 km.

Saudades do ronco do motor?

Para nenhum purista colocar defeito, a Audi compôs um sistema de som (que vem como opcional) que imita o ronco do motor a combustão. Inclusive, o recurso varia conforme a rotação dos motores elétricos, a carga e a velocidade do veículo.

O habitáculo oferece um bom espaço, com uma posição baixa dos bancos, para seguir a moda dos cupês esportivos e adota um enorme console, onde fica o seletor de marchas. Há também um painel de instrumentos digital de 12,3 polegadas e uma tela multimídia de 10,1 polegadas.

Interior Audi e-Tron GT
Divulgação/Audi

No entanto, para ir de acordo com a pegada sustentável, o cupê elétrico dispõe a opção do acabamento interno não ter couro. Desse modo, há uma série de acabamentos que simulam couro artificial, mas utilizam microfibra e até fibras de poliéster feitas a partir de garrafas PET.

Segundo Markus Däsch, membro da equipe responsável pelo design de interiores do veículo: “É um carro que mostra que o termo ‘luxo’ está mudando na área de mobilidade elétrica e se forma por sustentabilidade e eficiência.”

Audi e-tron gt
Acabamento dos bancos são de microfibra ou de fibras de poliéster de garrafas PET Divulgação/Audi

Se antes a comparação envolvia o Audi Q8 e o Lamborghini Urus, o contraste entre os carros dos bem afortunados deve ocorrer entre o Porsche Taycan e Audi e-Tron GT.

Preço mais baixo que o Taycan

Dessa forma, o valor do modelo da Audi é realmente menor do que de seu concorrente. O preço começa em € 99.800 (cerca de R$ 650,1 mil na conversão direta) na versão GT quattro Premium Plus e vai até € 138.200 (R$ 900,2 mil) na RS GT. No caso do elétrico da marca austríaca, o preço parte de € 83.590 (R$ 545.282) e custa até € 186.336 (R$ 1,2 milhão).

A montadora produzirá o elétrico em seu país natal, na fábrica de Neckarsulm. O modelo está confirmado para chegar no Brasil ainda neste ano. Ele concorrerá frente a frente com o Porsche Taycan, cuja versão de entrada também vêm ao mercado brasileiro em 2021.



Notícias relacionadas


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais