Você está lendo...
Toyota Yaris é rebaixado para uma estrela no teste de colisão do Latin NCAP
Notícias

Toyota Yaris é rebaixado para uma estrela no teste de colisão do Latin NCAP

Relatório do Latin NCAP aponta que Yaris oferece baixa proteção para adultos e teve abertura espontânea de porta durante o teste de colisão

Vagner Aquino, especial para o Jornal do Carro

28 de out, 2021 · 8 minutos de leitura.

Latin NCAP
Toyota Yaris foi rebaixado em auditoria de teste realizado em 2019, quando conquistou quatro estrelas
Crédito:Latin NCAP/Divulgação

Há pouco mais de um ano, o Hyundai HB20 teve sua nota rebaixada de quatro estrelas para uma estrela no Programa de Avaliação de Veículos Novos para a América Latina e o Caribe (Latin NCAP). Agora, foi a vez do Toyota Yaris (hatch e sedã) amargar o mesmo resultado. Caiu de quatro para uma estrela após teste de colisão realizado pelo órgão.

O resultado do teste mostra que, durante a bateria de impacto lateral, uma das portas foi aberta. E o sistema de uso do cinto de segurança não detectou o passageiro da frente. Nesse sentido, o Latin NCAP pede à fabricante que faça melhorias de forma urgente.

"Essa abertura da porta em um impacto lateral requer ação imediata por parte da Toyota", recomenda o Latin NCAP. Afinal, o resultado apresenta sério risco de ejeção do passageiro no caso de um impacto lateral.


Em números, o Toyota Yaris atingiu 41,43% em relação a Proteção de Ocupantes Adultos; 63,85% em Proteção de Ocupantes Crianças; 61,63% em Proteção de Pedestres e Usuários Vulneráveis de Estradas. E, por fim, 41,86% em Sistemas de Assistência à Segurança.

Latin NCAP
Latin NCAP/Divulgação

Importante salientar que os modelos em questão tratam-se de unidades fabricadas na Tailândia. De lá, saem os modelos comercializados em diversos países da América Latina, incluindo o México. O modelo brasileiro, vendido localmente, é exportado apenas para Argentina e Colômbia. Em todo caso, a estrutura e oferta de equipamentos é a mesma nos respectivos países.


Equipamentos

Basicamente, o modelo oferece na lista de segurança air bag duplo e controle eletrônico de estabilidade (ESC). Não tem bolsas laterais como é oferecido no modelo asiático.

O modelo da Toyota oferece, como equipamentos opcionais em alguns países da América Latina, air bags laterais. Isso, no entanto, contribuiria para melhor desempenho. A marca japonesa, todavia, se recusou a avaliar o item opcional. A ideia seria mostrar seu desempenho. Isso, por fim, levanta dúvidas sobre eficácia do componente por parte do Latin NCAP.



Posição da Toyota

Questionada sobre o resultado decepcionante atingido pelo Yaris durante a auditoria do Latin NCAP, a Toyota enviou nota ao Jornal do Carro. O texto diz que a segurança é sempre prioridade para a marca, e que continuará a trabalhar com firmeza para aumentar ainda mais o nível do modelo. "Entendemos os novos critérios de avaliação do Latin NCAP e valorizamos sua contribuição para a indústria da região, o que nos ajuda a melhorar o desempenho de segurança de nossos veículos."


Toyota Vios
Toyota/Divulgação

A esperança, afinal, é de que tanto o hatch quanto o sedã recebam correções de chassi ou equipamentos para contornar o problema. Afinal, a reestilização da dupla está no forno. Entretanto, com estreia postergada para 2022 por causa de paralisações da fábrica de Sorocaba (SP), o facelift (já apresentado na Tailândia) deve focar apenas em redesenhos estéticos e nova central multimídia. Quem sabe esse reforço fique para a nova geração. Será apresentada do outro lado do mundo em agosto.

Duster zerou em teste de segurança

Ainda pior que o resultado do Toyota Yaris, o Renault Duster tirou nota zero no teste de segurança do Latin NCAP realizado em agosto, último. Mesmo equipado com controle de estabilidade, o SUV reprovou quando submetido a impacto lateral por não possuir air bags laterais e do tipo cortina.


De acordo com o Latin NCAP, o SUV feito em São José dos Pinhais (PR) obteve como resultados: 29,47% na proteção de adultos; 22,93% na de crianças, e, em síntese, 50,79% na proteção de pedestres. Além disso, ficou com uma avaliação ruim de 34,88% para os sistemas de assistência de segurança - são poucos no modelo.

Latin NCAP
Latin NCAP/Divulgação

Com base no resultado, o Latin NCAP sugeriu que a Renault fizesse um recall do Duster. Afinal, no testes de impacto frontal houve perda de combustível, o que pode causar explosões e acarretar em vítimas fatais.


Condumidor deve ficar de olho

Enquanto outros países já exigem equipamentos como controle de estabilidade, no Brasil, apenas freios ABS e air bags dianteiros são obrigatórios. Porém, para acelerar a oferta de itens de segurança nos carros vendidos localmente, é preciso que o consumidor pressione. De acordo com o próprio Latin NCAP, é necessário valorizar os equipamentos de segurança na hora de comprar um carro novo.

"A segurança básica dos veículos, considerada um dado adquirido em mercados maduros, é um direito que os consumidores latino-americanos devem exigir sem ter que pagar mais por isso", enfatiza Alejandro Furas, secretário geral do Latin NCAP.


Portanto, a lição de casa é, antes de fechar negócio, levar em consideração o bom desempenho do veículo nos testes do Latin NCAP. Trata-se, afinal, de um simples ato que pode poupar a vida.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se
Hyundai Creta Action 1.6 AT
Oferta exclusiva

Hyundai Creta Action 1.6 AT