Notícias

Venda mundial de carros eletrificados cresceu 43% em 2020 e mercado brasileiro bateu recorde

Vendas de eletrificados na Europa cresceu 137% e foi na contramão da crise na indústria. No Brasil, frota de híbridos e elétricos chega a mais de 42 mil unidades

Emily Nery, para o Jornal do Carro

30 de jan, 2021 · 5 minutos de leitura.

reajuste" >
Tesla Model S e Model Y
Crédito:Tesla/Divulgação
reajuste

Embora o ano de 2020 tenha sido extremamente ruim para a indústria automotiva no geral, o segmento de eletrificados demonstrou um amplo crescimento de 43%.

De acordo com a consultoria sueca EV-volumes.com, as vendas globais de veículos elétricos e híbridos do tipo plug-in chegaram a 3,24 milhões no ano passado, representado 4,3% do marketshare automotivo. Em 2019, o acumulado de vendas chegou a 2,26 milhões. O relatório também aponta que a Europa foi a grande responsável pelo sucesso do mercado de eletrificados em 2020.

No velho continente, foram vendidos quase 1,4 milhões de veículos de zero emissão, número 137% maior do que o registrado em 2019, de 589 mil. O valor é ainda mais representativo porque vai na contramão da indústria automotiva europeia, que caiu cerca de 20% em 2020. Por lá, a participação dos eletrificados chegou a 10,2% do mercado.

Fabricante chinesa NIO eletrificado
De longe, a China tem o maior mercado de elétricos e híbridos Divulgação/NIO

Enquanto isso, a China segue liderando a venda mundial de elétricos, mas o continente europeu, como um todo, acabou vendendo mais do que o país. No acumulado do último ano, o país asiático vendeu cerca de 1,33 milhões de eletrificados, aumento de 12% ante ao ano retrasado.

Vale ressaltar que o relatório sobre as perspectivas de caros elétricos, feito pela Bloomberg em dezembro, mostrou que a participação da China do segmento de elétricos irá diminuir nas próximas décadas, chegando a 33% em 2040.

Hoje em dia, a país é uma grande potência nessa categoria, por disponibilizar incentivos fiscais, bem como uma ampla gama de novas montadoras e startups, além de tecnologia de ponta e infraestrutura.

Tesla eletrificado
Tesla Model Y foi um dos grandes responsáveis pelo contínuo crescimento da fabricante embora o atípico ano Tesla/Divulgação

Estados Unidos cresceu 4%

O país das grandes picapes e do diesel ainda caminha a passos lentos, comparado a China e Europa. Apesar do mercado ter diminuído 15%, a categoria de eletrificados cresceu 4% em comparação a 2019 e chegou a 328 mil automóveis.

Por sua vez, a Tesla continuou crescendo nos EUA, porém de forma mais lenta. entre os veículos elétricos, ela garantiu 79% do marketshare.

Em contrapartida, a marca de Elon Musk registrou 12% de queda nas vendas no continente europeu. Segundo o European Electric Car Report, seus concorrentes da Volkswagen e Renault, por exemplo, fizeram mais sucesso com o público.

Para 2021 , a consultoria EV-volumes.com projeta vendas de 4,6 milhões de eletrificados, com um aumento mais significativo na América do Norte e China. Além disso, neste ano, cerca de 150 novos modelos eletrificados chegarão às concessionárias.

Carros a combustão estão longe de se extinguir no Brasil

Se em alguns locais do mundo, como o Reino Unido, países estão colocando um prazo para nos próximos 10 anos acabarem com a produção de veículos térmicos, no Brasil o carro elétrico ainda é raridade.

Contudo, o ano de 2020 foi o melhor da série histórica desde 2012. De acordo com a ABVE, foi a primeira vez que o segmento de eletrificados chegou a participação de 1% no país. No total, foram emplacadas 19.745 unidades, número 66,5% maior do que o registrado em 2019. Hoje, estima-se que a frota de elétricos e híbridos no Brasil chegue a 42.269 automóveis.

Continua depois do anúncio