Você está lendo...
Viagem espacial de Jeff Bezos tem carros elétricos da Rivian, rival da Tesla
Notícias

Viagem espacial de Jeff Bezos tem carros elétricos da Rivian, rival da Tesla

Tripulação da Blue Origin, incluindo o fundador da Amazon, Jeff Bezos, é resgatada por picape e SUV elétricos da Rivian, concorrente da Tesla

Vagner Aquino, Especial para o Jornal do Carro

22 de jul, 2021 · 6 minutos de leitura.

Jeff Bezos Rivian Tesla
Rivian R1S foi o modelo que conduziu o bilionário e ex-CEO da Amazon para voo histórico ao espaço sideral
Crédito:Reprodução/Internet

Ao que parece, Elon Musk encontrou um concorrente à sua altura. Nesta terça-feira (20), o bilionário Jeff Bezos realizou o sonho de sua vida, ao concluir o primeiro voo tripulado até o espaço sideral com sua empresa espacial, a Blue Origin. Mas a viagem - que durou 11 minutos e levou quatro pessoas - chamou a atenção por outro detalhe: os carros que conduziram a tripulação para o feito. Os modelos (elétricos, claro) são da Rivian, uma das maiores rivais da Tesla.

Nesse sentido, ao checar um pouco melhor a história, é possível notar que essa aparição não foi por acaso. Em 2019, Bezos, que é fundador da Amazon, investiu US$ 700 milhões na Rivian. O valor, na cotação de hoje (21), supera os R$ 3,6 bilhões.

A marca, que nasceu em 2009 e atualmente conta com modelos destinados à entregas próprias na Amazon, teve grande destaque em 2018, quando mostrou sua linha de elétricos no Salão de Los Angeles, EUA. Em março, a rival da Tesla divulgou abertura de showrooms em Nova Iorque, Chicago e Los Angeles (EUA) para expor a picape R1T e o SUV R1S. A ideia, nesse sentido, é apenas exibir os modelos aos compradores. As vendas em si são feitas diretamente aos clientes, sem a necessidade de revendedores.


Picape e SUV

Batizada como R1T, a picape tem porte de GMC Hummer EV e Tesla Cybertruck. São, no entanto, quatro motores elétricos que, juntos, entregam potência entre 400 cv e 750 cv, dependendo da versão de acabamento. O torque máximo é de absurdos 114.6 mkgf que, como em todo modelo elétrico, é entregue instantaneamente. Com tanta força, a picape vai dos 0 aos 100 km/h em 3 segundos, informa a marca. O preço base gira em torno de US$ 75.000 (R$ 395 mil, na conversão direta). A autonomia pode chegar a 643 km.

elétricos
Rivian/Divulgação

O SUV da marca, R1S, tem praticamente as mesmas credenciais da irmã picape - inclusive, a tração 4x4. E é justamente esse o modelo que, todavia, transportou o bilionário que retornara da viagem ao espaço - altura que superou os 100 km, onde a gravidade é zero.


Outras características dos modelos elétricos

Com sete lugares, o SUV elétrico R1S segue o mesmo visual quadradão da picape. Com ela, a princípio, compartilha todas as características desde o nariz até a coluna dianteira.

elétrico
Rivian/Divulgação

Do lado de dentro, destaque para o painel de instrumentos com tela de 12,3 polegadas e a gigante central multimídia, com 15,6". No mais, uma terceira tela (6,8") vai na segunda fileira de bancos.


O SUV elétrico, que tem sistema de direção semiautônoma nível 3, pode ser comprado de forma online desde novembro do ano passado. A data de chegada às garagens dos compradores, entretanto, não tem data específica.



Como foi a viagem?

Este foi o primeiro voo para o espaço da Blue Origin. O bilionário Bezos, nesse ínterim, foi acompanhado por seu seu irmão, Mark, pela veterana aviadora Wally Funk (de 82 anos) e por um jovem holandês chamado Olivier Daeman.

O voo partiu - exatamente na data em que o homem pisou na lua pela primeira vez (20 de julho) - da base da Blue Origin, no Texas, EUA. Essa, contudo, foi a primeira viagem tripulada ao espaço sem a presença de um piloto. Nesse sentido, o foguete foi controlado apenas pela equipe em terra. A gravidade zero (que permitiu aos tripulantes darem piruetas durante o passeio) durou cerca de 3 minutos.


elétrico
Reprodução/Internet

Quando o foguete foi, por fim, desconectado, a cápsula continuou subindo até o ponto máximo. Foram, no entanto, 107 quilômetros de altitude em relação ao nível do mar. A descida do foguete foi tranquila, sem intempéries.

Antes do pouso, com auxílio de três paraquedas, a velocidade máxima da cápsula caiu para 25 km/h (chegou a picos de 320 km/h).


E se você está se perguntando sobre qual o sentido disso tudo, a resposta é simples: abrir precedente para viagens comerciais ao espaço.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se