Você está lendo...
Motos elétricas disparam e vendem nove vezes mais; veja o ranking
Notícias

Motos elétricas disparam e vendem nove vezes mais; veja o ranking

Acumulado deste ano já registra alta de 878% nas vendas de motos elétricas e mais de 1.500% na comparação entre maio de 2021 e de 2022

Vagner Aquino, especial para o Jornal do Carro

06 de jun, 2022 · 7 minutos de leitura.

motos elétricas scooters
Scooter Voltz EV1 Sport chegou ao Brasil em 2021 e tem até 180 km de autonomia
Crédito:Divulgação/Voltz

O mercado de motos elétricas começou a ganhar corpo depois dos carros, mas já mostra maior aceleração nas vendas. É o que mostram os dados de 2022. Pelo balanço de maio da Fenabrave, as vendas de modelos alimentados por baterias já é mais de nove vezes maior que há um ano. O crescimento no período é de incríveis 878%.

A entidade registrou 3.062 motos elétricas emplacadas no acumulado de 2022. Enquanto isso, entre janeiro e maio do ano passado, o número ficou em 313 unidades. Em relação às vendas mensais, foram 805 unidades só em maio. Isso, portanto, representa a significativa alta de 1.543% em relação ao quinto mês de 2021, com 49 emplacamentos.

Shineray SHE S
Shineray/Divulgação

Previsão em alta

Com números tão expressivos, o Jornal do Carro conversou com a Fenabrave a fim de sondar possível revisão das projeções sobre o segmento. Para Carlos Porto, vice-presidente de motocicletas da entidade, "Ainda não dá para ter números definitivos. O que nós temos é um grande crescimento de 2021 para 2022 e acreditamos que só tende a aumentar. Novos fabricantes estão vindo para o Brasil, com fábrica em Manaus (AM). Assim, o segundo semestre apresenta perspectiva bastante promissora", afirma Porto.

Cabe salientar que a Fenabrave revisará as projeções apenas no começo do mês que vem. Até então, mantém-se as expectativas anunciadas em janeiro, com estimativa de crescimento geral de 6,2% do mercado de motos. Ou seja, mais de 1,2 milhão de emplacamentos neste ano.



motociclistas CNH
ALEX SILVA / ESTADÃO

De maneira geral, "(a categoria de motos) É, de longe, o segmento que aponta o melhor resultado até maio, e tem tudo para ter um excelente ano de 2022, apesar da restrição de crédito, que ainda está se mantendo em 30% de aprovação dos cadastros para financiamentos", diz Andreta Jr, presidente da Fenabrave.

Contudo, sobre as elétricas em si, "o mercado é bem promissor devido à consciência ecológica e ambiental das classes A e B, que estão consumindo (esse tipo de produto). E também tem a questão do custo do combustível. Isso está alavancando as vendas de motos elétricas", enfatiza Porto.

Shineray SE1 moto elétrica
Shineray/Divulgação

Ranking das elétricas

Um detalhe curioso é que as marcas líderes, como Honda e Yamaha - que detém mais de 90% do mercado total - sequer entraram nessa disputa. Por enquanto, apenas startups e fabricantes menores, como Voltz e Shineray, já comercializam modelos elétricos. Isso explica porque o segmento têm modestos 0,59% dos emplacamentos.

Entretanto, os preços mais acessíveis devem turbinar ainda mais a procura por elas. Um bom exemplo, nesse sentido, é o lançamento da moto elétrica Voltz EVS Work feita com o iFood para entregadores de aplicativo.

A fabricante, aliás, continua disparada no primeiro lugar das vendas de motos elétricas. Seu carro chefe, entretanto, atende pelo nome de EV1 Sport. Como características, o scooter elétrico de R$ 14.990 tem bateria de 60V (que recarregam em 5h em tomadas convencionais) e autonomia de até 100 km. Desse modo, chega a 75 km/h.


Voltz EV1 Sport
Voltz/Divulgação

Ao Jornal do Carro, a Fenabrave forneceu a lista das motos elétricas mais vendidas no acumulado do ano. Confira:

1) Voltz EV1 Sport - 1.886 unidades
2) Voltz EVS - 563 unidades
3) Super Soco VS1 - 55 unidades
4) Shineray PT3 - 50 unidades
5) Shineray SE1 - 46 unidades


Modelos a combustão

Essa preferência do consumidor acaba gerando reflexo nos números registrados pelas motos a combustão. O crescimento exponencial dos modelos elétricos já reflete na participação das marcas. Teve dança das cadeiras. Na participação de mercado, a princípio, a Shineray já deixou a BMW para trás na lista de 2022. Pulou, assim, do quarto para o terceiro lugar, tanto no acumulado do ano quanto na participação mensal (veja abaixo). Honda e Yamaha, por fim, continuam no topo.

motos
Fenabrave/Reprodução

Embora o pódio permaneça exatamente igual a maio do ano passado - ocupado por CG 160, Biz e NXR 160, todas da Honda -, os números do quinto mês de 2022 cresceram. Para se ter ideia, enquanto a primeira colocada vendeu 30.685 unidades em 2021, agora, emplacou 39.061 exemplares. O "top 10" de maio, por fim, você confere abaixo:


motos
Honda/Divulgação

1) Honda CG 160 - 39.601 unidades
2) Honda Biz - 19.474 unidades
3) Honda NXR 160 - 13.428 unidades
4) Honda Pop - 12.637 unidades
5) Honda CB250F Twister - 4.349 unidades
6) Yamaha YBR 150 - 3.790 unidades
7) Honda PCX 150 - 3.739 unidades
8) Honda XRE 300 - 3.562 unidades
9) Yamaha Crosser 150 - 2.834 unidades
10) Honda Elite 125 - 2.278 unidades

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se