Você está lendo...
Motos elétricas em alta: cinco scooters com preço a partir de R$ 10 mil
Notícias

Motos elétricas em alta: cinco scooters com preço a partir de R$ 10 mil

Scooters elétricas ganham espaço no Brasil com as marcas Voltz, Shineray, Muuv e Super Soco; motos elétricas custam entre R$ 10 e R$ 25 mil

Jady Peroni, especial para o Jornal do Carro

17 de fev, 2022 · 9 minutos de leitura.

motos elétricas scooters
Scooter Voltz EV1 Sport chegou ao Brasil em 2021 e tem até 180 km de autonomia
Crédito:Divulgação/Voltz

Pouco a pouco, as motos elétricas começam a aparecer nos números de emplacamentos. Principalmente os scooters. A Voltz, por exemplo, está prestes a inaugurar a fábrica na Zona Franca de Manaus. E começa 2022 no ''top 10'' das marcas, tendo como protagonistas o scooter de entrada EV1 e a street EVS. O mesmo acontece com a Shineray, que vende modelos tradicionais a combustão, mas que está migrando rapidamente para o segmento de elétricos.

Dessa forma, enquanto as gigantes Honda e Yamaha não lançam modelos, as marcas menores avançam com produtos acessíveis que começam a ganhar popularidade. Assim, o nicho de scooters elétricos está despertando interesse dos brasileiros. Para se ter uma ideia, o segmento representou cerca de 33% das vendas de motos no acumulado de 2021.

Confira cinco scooters elétricos a partir de R$ 10 mil

Shineray SE3: R$ 10.990

scooters elétricas
Divulgação/Shineray

A SE3 da Shineray é uma das scooters mais baratas disponíveis no mercado brasileiro. No entanto, ao contrário dos modelos com baterias de íon de lítio, ela vem com bateria de chumbo. Nesta versão, tem potência de 2.000 e velocidade máxima de 50 km/h.

Com capacidade total de 72V, a bateria de 32Ah é carregada totalmente em cerca de 8 a 10 horas em tomadas comuns (110V e 220V). Com a carga completa, a autonomia é de 80 km. Há freios a disco.

Na aparência, o scooter Shineray SE3 é moderno, mas não exibe grandes detalhes. Entretanto, apesar de ser mais simples, tem faróis de LED e display digital com odômetro e velocímetro. O modelo pesa 123 kg e tem capacidade de carga de 160 kg.


Shineray SE1: R$ 13.990

Shineray SE1 moto elétrica
Shineray/Divulgação

Outra versão que vale mencionar da marca chinesa é o SE1. Com preços a partir de R$ 13.990, a scooter vem com o mesmo motor indutivo brushless na roda traseira, que gera até 2.000W de potência. De acordo com a fabricante, a velocidade máxima fica em 50 km/h.

Com uma garantira de 60 km de autonomia, essa versão possui uma bateria de lítio que tem capacidade total de 72V. Portanto, o carregamento leva cerca de 6 a 8 horas para estar completo e pode ser feito em tomadas comuns de 110 e 220 volts.  


A SE1 pesa 86 kg e tem capacidade de carga (contando com piloto, passageiro e bagagem) de 233 kg. Além disso, a scooter possui faróis em LED com luzes diurnas em formato de ''X'', suspensão traseira e um painel digital. Ainda, vale dizer que o frete é acrescido, dependendo da região.

Voltz EV1 Sport: R$ 14.990

scooters elétricos
Divulgação/Voltz

A EV1 Sport, que chegou ao Brasil no começo de 2021, foi o primeiro modelo da Voltz em território nacional. A scooter, feita em Recife (PE), tem potência máxima de 4.500 W e permite chegar aos 75 km/h de velocidade, com uma aceleração de 0 a 60 km em 12 segundos.


Em relação a autonomia, o modelo possui uma máxima de 180 km com duas baterias. No entanto, caso o condutor opte por apenas uma bateria, esse número cai para 100 km. Ambas são de lítio e removíveis. Segundo a marca, cada uma pesa cerca de 13 kg e podem ter o carregamento completo alcançado após 5 horas, conectada a uma tomada comum de 110V ou 220V.

No pacote, a EV1 vem junto com uma entrada USB, conexão bluetooth, chave presencial e emparelhamento com smartphone. Já a estrutura comporta um conjunto ótico full LED e um display digital que permite o condutor visualizar informações como velocidade, capacidade de bateria, quilometragem, entre outros.



Além disso, é importante dizer que essa scooter possui três modos de condução. O primeiro é considerado mais econômico, limitando a velocidade média a 35 km/h. Já o modo 2 roda na faixa de 55 km/h, e o modo 3 a 75 km/h. O custo médio dessa motocicleta é a partir de R$ 14.990. Contudo, caso o condutor opte por duas baterias, há um acréscimo de R$ 3.800.


Muuv Chooper SE: R$ 17.493

Muuv Chopper scooters
Muuv/Divulgação

A Muuv é uma outra marca de distribuição e desenvolvimento de modelos elétricos que chegou recentemente no mercado brasileiro. E um dos modelos que pode interessar as pessoas que querem uma moto para o dia a dia é o Chooper SE. No total, são 50 km/h de velocidade máxima com uma bateria que rende 2.000W de potência. A bateria nesse caso rode autonomia de apenas 40 km, mas também pode ser carregada em casa.

Além do simpático visual retrô, a moto possui banco único, guidão alto, farol em LED e freios a disco nas duas rodas. Em relação a tecnologia, há carregador para celular, alarme de segurança e conexão com bluetooth.


A capacidade máxima dessa scooter é de 120 kg e a bateria de 20AH é removível. O preço parte de R$ 17.500, porém, pode variar de acordo com as customizações disponíveis.

Super Soco CUX: R$ 24.990

Divulgação/Super Soco

Com uma proposta bem urbana, o modelo CUX da Super Soco é equipado com uma bateria removível da Bosch de 2.788 W de potência. Com uma capacidade total de 48V, a bateria permite alcançar uma velocidade máxima de 55 km/h. Além disso, essa scooter é integrada com um sistema de freio disco e uma suspensão hidráulica.


De acordo com as informações da fabricante, a autonomia da CUX pode chegar a 70 km. A carga completa é feita em uma média de 7 horas e, assim como os outros modelos, também pode ser carregada em tomadas convencionais.

No mais, a scooter conta com um display LCD que apresenta informações como velocidade, autonomia, temperatura e hora ao condutor. Um dos destaques fica para o comando de bloqueio remoto, que faz parte do sistema anti-roubo com a presença de um alarme. Por fim, a marca afirma que o modelo vem com um controlador externo que dissipa o calor. Ou seja, rede mais energia e menos consumo.


O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se