Você está lendo...
Watts prepara moto elétrica feita em Manaus com desempenho de 125 cc
Lançamentos

Watts prepara moto elétrica feita em Manaus com desempenho de 125 cc

Após fusão com a Multilaser, Watts vai ingressar no mercado de motos elétricas com mais estrutura e e capacidade de vendas e pós-vendas

Vagner Aquino, especial para o Jornal do Carro

29 de mar, 2022 · 4 minutos de leitura.

Watts E-125
Watts E-150 está em pré-venda e chegará em breve ao mercado com preço próximo de R$ 20 mil
Crédito:Watts/Divulgação

A Watts, startup brasileira de mobilidade elétrica criada em 2019, agora pertence à fabricante de eletrônicos Multilaser. O negócio foi selado nos últimos dias, por mais de R$ 10 milhões. O próximo passo da Watts é ingressar no mercado de motos elétricas. A empresa vai lançar o seu primeiro modelo, a E-150, com produção na Zona Franca de Manaus (AM). E promete que a moto elétrica terá desempenho equivalente ao de uma 125 cc - segmento que concentra a venda de veículos de duas rodas no País.

Watts E-125
Watts/Divulgação

O aporte faz da Mutlilaser - detentora da Atrio, que fabrica patinetes elétricos - a primeira montadora de veículos 100% elétricos na capital amazonense. É onde produzem as marcas tradicionais de motos, como Honda e BMW, por exemplo. Para a Watts, a entrada da Multilaser no negócio vai ampliar as perspectivas de vendas e pós-vendas.


A ideia é adotar o modelo da "loja dentro da loja" (store within a store, em inglês). Desse modo, haverá comercialização de modelos da Watts nas revendas da Atrio e vice-versa. Dessa forma, a Watts vai rivalizar com a Voltz Motors no segmento de motos elétricas. E deve abrir mais pontos de vendas. Até o momento, conta com sete lojas próprias e 15 distribuidoras autorizadas em 10 Estados do Brasil. A startup segue como controladora, mesmo após a fusão com a Multilaser.

Watts E-125
Watts/Divulgação

Duas baterias e autonomia de 150 km

Já disponível em pré-venda no site da Watts, a E-150, que antes era chamada de W-150, pode ter duas baterias de lítio de 72V e 35ah. O conjunto - removível e independente - rende autonomia de até 150 km e velocidade máxima de quase 100 km/h, segundo dados da fabricante. O motor elétrico tem 3000W de potência, o equivalente a 4 cv.




O carregamento das baterias leva até 5 horas, mas a Watts informa que é possível recuperar 80% da carga em apenas 1 hora. A moto tem peso seco de 75 kg, sem as baterias. A suspensão é hidráulica regulável e a moto street usa discos nos freios com sistema CBS. Segundo a ficha técnica, a carga máxima é de 200 kg, ou seja, a E-150 leva até dois adultos grandes.

Em relação aos equipamentos, tem carregador USB, painel de LCD e farol com LEDs. A moto elétrica da Watts é homologada pelo Detran. Por ora, não há preço oficial, mas o modelo é negociado por cerca de R$ 20 mil. A marca, entretanto, não diz quando começam as entregas.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se