Primeira Classe Rafaela Borges

Novo Yaris chega para ‘derrubar’ Etios

Projeções da Toyota deixam claro que o sonho dos 10% de mercado não será realizado com o novo Yaris

Novo Yaris
Novo Yaris Linha deve acrescentar apenas 2.380 unidades mensais às vendas da montadora (Foto: Toyota)

Chamou muito a minha atenção os números divulgados pela Toyota durante o lançamento do novo Yaris. O carro já pode ser encomendado nas concessionárias. A produção do hatch começa na sexta-feira (15) e a do sedã, no dia 2 de julho.

LEIA TAMBÉM

Os números de expectativas de vendas da montadora deixam claro que os sonhados 10% do mercado, dos quais a Toyota fala desde 2005, não vão vir com o novo Yaris. Nem a quarta posição do ranking de montadoras.

Não este ano. Já em 2019, esse antigo sonho pode sim se tornar realidade (leia mais abaixo).

 

VEJA TAMBÉM: CARROS BONS QUE NINGUÉM COMPRA

 

Expectativa para o novo Yaris

De acordo com a Toyota, a expectativa é que a linha Yaris tenha vendas mensais de 5.800 unidades. Com isso, no fim do ano, a marca espera atingir 200 mil unidades vendidas, ante as 76 mil que comercializou até agora.

Na prática, isso significa que o novo Yaris vai somar, conforme expectativa da própria Toyota, apenas 2.380 emplacamentos mensais ao montante da marca.

Como os 5.800 se transformaram em 2.380? A explicação mais plausível: o novo Yaris vai derrubar as vendas do Etios.

A conta do novo Yaris

De janeiro a maio, a Toyota vendeu 76.396 veículos no Brasil. Ela ocupa a sexta posição no ranking de vendas. Está atrás de, respectivamente, Chevrolet, Volkswagen, Fiat, Ford e Hyundai.

Os emplacamentos totais significam média mensal de 15.280 carros até agora. Se a marca espera vender 200 mil modelos até o fim do ano, a média deve subir para 17.660 nos próximos sete meses. Ou seja: 2.380 veículos a mais que agora.

E o Etios é o carro que será prejudicado. Dificilmente, sobrará para o Corolla, veículos posicionado imediatamente acima da linha Yaris.

Em primeiro lugar, o hatch do novo Yaris não vai afetar o Corolla. Se algum modelo incomodar o veterano, será o três-volumes.

Só que o sedã mais caro da linha Yaris custa R$ 80 mil. O Corolla mais em conta começa em cerca de R$ 90 mil. É uma imensa diferença.

E esta nem é a versão mais vendida do sedã médio. O carro-chefe é a XEi, por R$ 105.690.

A própria Toyota já tirou diversas versões do Etios de linha, sem alarde. Agora, o compacto veterano não tem nem mais opção com versão multimídia. A linha foi bastante simplificada (leia aqui).

Neste ano, a linha Etios (hatch e sedã) está com média mensal de emplacamentos de quase 6 mil unidades. Se for mesmo a única prejudicada, dentro da marca Toyota, pelo novo Yaris, deverá cair para 2.500 unidades mensais, aproximadamente. Isso, é claro, se a montadora não estiver escondendo o jogo em suas projeções.

Quem a Toyota vai passar?

Se os 200 mil emplacamentos divulgados pela marca como projeção forem mesmo para valer, a Toyota deverá ganhar apenas uma posição no ranking de montadoras neste ano. Ela poderá conseguir ultrapassar a Hyundai, para ficar com a quinta colocação.

Se mantiver a média mensal de vendas até o fim do ano, a Hyundai somará cerca de 195 mil carros vendidos no encerramento de 2018. E isso, de fato, é o que deverá ocorrer.

Na sua planta de alto volume, em Piracicaba, a Hyundai tem capacidade para produzir apenas 180 mil carros por ano. E sem perspectiva de aumentar. O volume extra é de importados.

Assim, a Toyota só não ultrapassará a Hyundai se não conseguir cumprir, com o novo Yaris, as suas projeções. A perspectiva, portanto, é de que a japonesa se torne a quinta força do País em 2018. Mas ainda não será desta vez que ela entrará no clube das “quatro grandes”.

A quarta colocada, Ford, terminará o ano de 2018 com cerca de 210 mil emplacamentos se conseguir manter a média mensal registrada até agora.

É um número possível para a Toyota atingir em 2019, sem dúvidas. Até porque terá um ano completo de vendas do novo Yaris. E quanto à Ford? Será que terá um novo produto para impulsionar suas vendas?

Já a participação de 10% será mais difícil de alcançar em 2019, mas não impossível. A Ford hoje tem 9,44%. Basta, para a Toyota, fazer um pouquinho mais.

 


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Mais artigos