Primeira Classe Rafaela Borges

Toyota do Brasil comete erro estratégico

Central multimídia salvou o Etios, mas só está disponível no novo Yaris de R$ 70 mil

Toyota do Brasil Yaris
Yaris Versão nacional só traz central multimídia a partir do terceiro catálogo, a quase R$ 70 mil (Foto: Toyota)

Junto com o câmbio automático, a central multimídia foi um dos fatores que salvou a vida do Etios. O modelo da Toyota do Brasil só decolou em vendas após cinco anos de mercado, e depois de receber esses dois itens.

A Toyota do Brasil, porém, parece não ter aprendido a lição. Em minha análise, a marca cometeu um grande erro estratégico com aquele que é um dos lançamentos mais aguardados do ano, o Yaris.

Todos os detalhes sobre a linha (sedã e hatch), incluindo preços e versões, você encontra aqui. O carro já pode ser encomendado nas concessionárias, mas a produção só começa em julho.

Os preços são altos? Até são, mas isso já era previsto. Além disso, não são escandalosamente altos.

O hatch Yaris parte de R$ 59.590. Seu principal concorrente, o Polo, começa em R$ 56.090 com motor 1.6 (o Toyota não tem versão 1.0). Não é uma diferença muito grande.

O principal problema, no entanto, não é este. Imagine pagar R$ 60 mil em um carro e não ter central multimídia nem como opcional?

O Polo 1.6 não vem com multimídia de série. Porém, basta adicionar um pacote de R$ 2.670, que eleva a tabela para R$ 58.760, para ter o sistema.

Aliás, não apenas o Polo, a maioria dos hatches compactos à venda no País (mesmo os que não são premium), têm a central multimídia como opcional desde as versões mais simples.

Isso porque, no mercado de hoje, o pacote obrigatório não é mais “ar, direção, vidro e trava”. É ar, direção, vidro, trava e central multimídia. Entre os modelos de entrada, pode-se até dispensar o sistema de entretenimento. Entre os hatches premium, jamais.

 

VEJA TAMBÉM: OS CARROS MAIS DE ‘TIOZÃO’ DO BRASIL

 

O erro da Toyota do Brasil

O novo Yaris traz central multimídia, é claro. Porém, só a partir do terceiro catálogo do hatch. Isso porque a marca não trabalha com itens opcionais.

No catálogo mais simples, XL 1.3, e no segundo, XL 1.3 CVT (R$ 65.590), há apenas um sistema de som com quatro alto-falantes. As informações que vazaram em uma página do Facebook não oficial da Toyota (oficialmente, elas só serão reveladas na noite desta quinta-feira, 7) mostram que essas opções vêm com controle do som e do celular por botões no volante.

Já a central multimídia, no hatch, está disponível a partir da versão XL 1.5 Pure Tech CVT. Preço? R$ 69.590.

No sedã, ocorre o mesmo. Ele parte de R$ 63.990. O multimídia só vem a partir da terceiro catálogo, que sai por R$ 73.990.

Considero a estratégia da Toyota do Brasil errada. Quem paga R$ 60 mil em um hatch e R$ 70 mil em um sedã faz questão de central multimídia.

De acordo com a Toyota do Brasil, no entanto, o Yaris tem um pacote de acessórios vendido em concessionárias. Entre eles, há a central multimídia que, embora não venha de fábrica, pode ser instalada como acessório nas revendas.

A Toyota informa também que essa central multimídia inclui tela integrada ao painel. No entanto, não revelou o preço do acessório.

 

Toyota do Brasil vai conseguir vender o Yaris?

Meu palpite inicial, aqui, é que sim. O Yaris vai vender bem. Mas não é um palpite tão confiante, para falar a verdade.

Há duas experiências diferentes na própria Toyota do Brasil, para ajudar vocês a formarem uma opinião. O Corolla sempre vendeu bem. Por anos, foi criticado por não ter ESP, que os rivais ofereciam. ESP que o Yaris já traz de série.

O cliente do Corolla, porém, não parecia se importar com o ESP. Ele continuava comprando o carro, que lidera há anos, com margens, o segmento de sedãs médios. Por quê? Pois, entre outras razões, ele é um Toyota, e a marca tem credibilidade.

Com o Etios, no entanto, a história foi diferente. Ele é um Toyota, e muitos esperavam ansiosamente sua chegada, em 2012. Porém, ele decepcionou.

Apesar de mecânica eficiente e robusta, o Etios foi considerado feio e mal acabado. A Toyota do Brasil não desistiu do produto, e conseguiu salvá-lo. A central multimídia foi primordial nessa missão (leia detalhes aqui).

Vendendo bem ou mal, creio que a central multimídia desde a versão de entrada poderia fazer o Yaris vender mais. Quem faz questão desse item e tem apenas R$ 60 mil, não R$ 70 mil, para investir, vai acabar abandonando a ideia de ter um Toyota e partindo para o Polo, ou outros modelos do segmento.

Minha aposta é que, em alguns meses, a Toyota do Brasil passe a oferecer multimídia desde a versão de entrada. Ou, ao menos, a partir do segundo catálogo.

Nesse caso, o sucesso estrondoso será inevitável. Afinal, estamos falando de uma das marcas mais amadas do País. E de um carro Toyota do Brasil que pode até não ser lindo, mas tem visual bastante agradável.

ATUALIZADO ÀS 14H58 DE 12 DE MAIO


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Mais artigos