Você está lendo...
Carros da Tesla usarão baterias Blade da BYD 'em breve', diz executivo
Notícias

Carros da Tesla usarão baterias Blade da BYD 'em breve', diz executivo

Conjunto leva lítio-ferro-fosfato (LFP) em sua composição e fica livre de módulos; Tesla Model 3 e Model Y já usam esse tipo de tecnologia

Vagner Aquino, especial para o Jornal do Carro

11 de jun, 2022 · 4 minutos de leitura.

sistemas
Tesla Model 3 será beneficiado com as novas baterias da BYD
Crédito:Tesla/Divulgação

A BYD passará a fornecer baterias para a Tesla. A informação sobre a transação foi dada nesta semana por Lian Yubo, vice-presidente executivo da marca chinesa. De acordo com ele, a montadora de Elon Musk, de fato, consolidou o que já vinha sendo especulado há mais de um ano. Até o momento, a gigante norte-americana trabalha com alguns fornecedores para equipar seus modelos, entre eles, a também chinesa CATL.

De acordo com a entrevista do executivo à emissora estatal chinesa, CGTN, o acerto entre as duas marcas está relacionado à concessão de baterias Blade, que leva lítio-ferro-fosfato (LFP). "Agora somos bons amigos de Elon Musk. E estamos prontos para fornecer nossas baterias a ele e sua empresa", disse.



O conjunto, nesse sentido, possui formato CTP (Cell to Pack). Assim, fica livre de módulos e é formado por uma matriz de células estreitas inseridas em uma estrutura que viabiliza a otimização do espaço. Em síntese, esse tipo de baterias é cada vez mais presente não só nos modelos elétricos da Tesla, mas também no portfólio da BYD.


Vantagens

Vale lembrar que baterias LFP (que equiparam praticamente a metade das unidades produzidas pela Tesla no primeiro trimestre) saem mais baratas que as células baseadas em níquel e cobalto - dominantes nos modelos vendidos no ocidente. Dessa maneira, além de se valer da tecnologia, a Tesla diminui a dependência da CATL. Afinal, o mercado vem exigindo precaução.

BYD
BYD/Divulgação

Outras vantagens para a Tesla, portanto, além do menor espaço e economia, é a maior segurança. De acordo com a BYD, quando o componente é perfurado, não há emissão de fumaça ou fogo. Nesse sentido, em situações como acidentes, por exemplo, nada de incêndio. Afinal, 60°C é a temperatura máxima atingida pela bateria. Para se ter ideia, modelos de lítio ultrapassam os 500°C.


As novatas deverão equipar as versões de entrada dos elétricos da Tesla, como Model 3 e Model Y. São eles que, hoje, recebem esse tipo de bateria.

Informações apontam que, em síntese, a Tesla tem outra carta na manga para recorrer à BYD. Rumores dão conta de que a Tesla irá usar as baterias LFP em seu próximo veículo. O modelo, a princípio, estria previsto para ser o mais barato da gama. Ainda não se fala em datas. Estimativa de preços rondam os US$ 25.000 (pouco mais de R$ 124.000, na conversão direta).

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se