Mercado

Fiat e Volkswagen preparam despedida de Uno, Doblò, Grand Siena e Fox

Trio popular da Fiat e o veterano Volkswagen Fox sairão de linha até o fim de 2021; marcas apostam em modelos mais novos, principalmente SUVs

Jady Peroni, especial para o Jornal do Carro

06 de set, 2021 · 6 minutos de leitura.

Volkswagen Fox" >
Com 20 mil unidades emplacadas em 2020, Fox vai sair de linha até dezembro de 2021
Crédito:Divulgação/Volkswagen

Os próximos meses serão os últimos para quatro carros muito populares no Brasil. Em reta final de produção, Fiat Uno, Grand Siena e Doblò deixarão de ser feitos até dezembro, assim como o Volkswagen Fox. Embora a obrigatoriedade do controle de estabilidade nos carros nacionais tenha ficado para 2024, o quarteto veterano sairá de linha para abrir espaço para a produção de modelos mais novos.

Na Fiat, por exemplo, o fim da produção do Uno foi contornado com o lançamento da linha 2022 do Mobi. O hatch está entre os carros mais vendidos do País em 2021. Nele, a principal novidade é a multimídia com tela sensível ao toque que oferece conexão sem fio com Android Auto e Apple Carplay. Equipamento que foi herdados da picape Strada.

Volkswagen Fiat Mobi
Divulgação/Fiat

Já o Grand Siena sairá de linha para a marca italiana concentrar esforços no sedã Cronos, que recentemente vem se destacando nas vendas. Por fim, a multivan Doblò não terá substituto direto. Contudo, na tabela de preços, sua saída abrirá espaço ao SUV Pulse, que terá valores na faixa de R$ 100 mil e estreia neste mês como principal lançamento da marca no País.

Na Volkswagen, a estratégia segue o mesmo caminho. Percebendo as mudanças de mercado, a montadora alemã vai tirar de linha o Fox, que já não emplaca muito há um bom tempo. No entanto, para o seu lugar, a VW trará uma nova versão de entrada do Polo, bem como a nova geração do Gol, que se transformará em um pequeno SUV.

Fim da produção

Assim como antecipado pelo Jornal do Carro em maio, 16 carros estão próximos do fim de produção no Brasil. Veja a lista completa. Vale ressaltar que essas mudanças acontecerão por causa das novas demandas tecnológicas do mercado. Ou seja, com as novidades, os carros que não tiverem atualizações de gerações vão ficando para trás nos emplacamentos. Fora, é claro, a preferência cada vez mais domina pelos SUVs.



Fiat Uno, Siena e Doblò

De acordo com o jornalista Fernando Calmon, especialista em indústria automobilística, a previsão para o fim da produção do trio da Fiat é até o final deste ano. O Uno, por exemplo, vai encerrar em um momento onde não há vendas animadoras. Em 2020, o hatch teve 22.737 emplacamentos, montante bem menor que o obtido em seus dias de glória, quando chegou a emplacar 230 mil vendas em 2010.

Esse é o mesmo motivo para a saída do Siena. Em 2014, o sedã ultrapassou 106 mil unidades comercializadas. Porém, em 2020, somou apenas um pouco mais de 10 mil emplacamentos.

Fiat-Grand-Siena-frontal
Divulgação/Fiat

Já o Doblò teve sua última reestilização em 2009 e já vai completar 20 anos de mercado. Contudo, o preço era um dos empecilhos. O furgão está na faixa de R$ 111.990 na versão regular. Ou seja, mesmo valor de SUVs como Jeep Renegade e VW T-Cross.

Volkswagen Fox  

O hacth de teto alto, que já foi descontinuado na Argentina, chegará ao fim também no Brasil após a linha 2022 beirar os R$ 60 mil, com a versão topo chegando até R$ 70 mil.

Mesmo representando um número bom de vendas e sendo o 1.6 flex mais barato, o Fox é um projeto de quase 20 anos. Além disso, é derivado da plataforma PQ24 da antiga geração do Polo. Portanto, a marca alemã vai aposentar o hatch e substituí-lo pelo novo Polo Track, que irá estrear no Brasil em breve.

Continua depois do anúncio

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se