Mercado

Novo Honda City híbrido faz mais de 27 km/l de consumo com gasolina

À venda na Malásia e na Tailândia, e prestes a estrear na Índia, versão híbrida do novo Honda City combina três motores e chegará ao Brasil

Jady Peroni, Especial para o Jornal do Carro

22 de set, 2021 · 8 minutos de leitura.

Honda City" >
City híbrido está a caminho da Índia e pode chegar nos mercados emergentes, como o Brasil
Crédito:Paultan.org

A Honda está um pouco atrasada na corrida pela eletrificação dos carros no Brasil. Diferente da Toyota, que, desde 2019, já tem o seu híbrido flex, a rival somente agora lançou o seu primeiro híbrido no País, o Accord e:HEV. Porém, essa história vai mudar em breve. A Honda já confirmou que vai lançar três carros híbridos no Brasil até 2023.

Além do Accord, é certo que o SUV médio CR-V terá a sua versão e:HEV, sigla que designará todos os híbridos da marca. O terceiro provavelmente é o HR-V, o campeão de vendas da Honda no Brasil nos últimos anos. A nova geração do SUV já estreou na Ásia e na Europa, e será lançada no início de 2022 por aqui, de olho no sucesso do Corolla Cross híbrido.

No caso do HR-V híbrido, a versão dos europeus tem um consumo médio oficial com gasolina de 18,5 km/l. O número é, sem dúvida, interessante. Mas há um quatro modelo híbrido da Honda que vem chamando a atenção no oriente. Trata-se do novo City e:HEV, a variante híbrida da nova geração do City, que, então, vem se destacando pelo baixo consumo.

O sedã híbrido da marca japonesa já está à venda na Malásia e na Tailândia. Por lá, alcançou uma média de consumo superior a 27 km/l com gasolina nos dois países. Agora, a estratégia da Honda é lançar a versão na Índia em 2022. E, quem sabe, lançar o City híbrido no Brasil, onde, naturalmente, a marca poderá desenvolver o seu híbrido flex.

Honda City
Paultan.org

Três motores

O novo Honda City e:HEV é equipado com o sistema i-MMD, sigla de "Intelligent Multi-Mode Drive" ou "modo multi-inteligente de direção" na tradução livre. A mecânica combina um motor 1.5 a gasolina de 98 cv de potência e outros dois motores elétricos. Um deles também traciona o veículo e fornece cerca de 110 cv.

Dessa forma, o sistema aumenta a eficiência do conjunto mecânico operando em três modos. No primeiro, apenas os dois motores elétricos são ativados. No segundo, utiliza só o 1.5, que serve para momentos de velocidade constante. E, no terceiro, todos trabalham em conjunto, entregando mais torque e potência.

Por ora, não há confirmação de que o City híbrido chegará ao mercado brasileiro. Contudo, a Honda pretende produzir somente veículos elétricos a partir de 2040 e já iniciou o seu plano de eletrificação no Brasil. Por aqui, a japonesa lançou recentemente o seu primeiro carro híbrido, o sedã premium Accord e:HEV, que faz quase 20 km/l.



Nova geração estreia em breve

O Jornal do Carro já adiantou que a nova geração do City chegará no fim deste ano com a missão de bater de frente com rivais de alto volume, como o Chevrolet Onix Plus e o Volkswagen Virtus. O sedã compacto também terá papel importante na sucessão do Civic, que deixará de ser feito no Brasil após mais de duas décadas e virá importado na nova geração.

Honda City
Paultan.org

Como é o novo City

A nova geração do sedã é ligeiramente maior do que o atual. Apesar de manter o entre-eixos de 2,60 metros, o novo City cresceu 10 cm no comprimento (4,56 m) e 5 cm na largura (1,78 m). Em altura, teve uma redução de 0,8 cm, totalizando 1,47 m.

Sob o capô, o Honda City vai manter o câmbio do tipo CVT com simulação de 7 marchas, mas ficará mais potente. Após aprimoramentos, o motor 1.5 de quatro-cilindros adotará sistema de injeção direta. Segundo o Autos Segredos, entregará até 126 cv de potência e 15,8 kgfm de torque com etanol. No entanto, em um primeiro momento, ele não será turbo.

Continua depois do anúncio

Versão hatch

Inédita no Brasil, a versão hatch do novo Honda City vai concorrer com os modelos mais vendidos do País, como Chevrolet Onix, Hyundai HB20, Fiat Argo e Volkswagen Polo - além, é claro, do Toyota Yaris. Assim, a previsão de início de produção na fábrica da marca está prevista para novembro, com início de vendas em dezembro, mas primeiro do sedã. O hatch vem na sequência, com estreia prevista para o primeiro trimestre de 2022.

honda city hatch
Divulgação/Honda

De início, o hatch terá a mesma mecânica do sedã, com motor 1.5 e câmbio CVT. Porém, para a novidade, a Honda terá soluções como o ótimo sistema de rebatimento e deslizamento do assento traseiro, bem como o amplo espaço para o porta-malas.

Por fim, é importante lembrar que, além do hatch e do sedã, a nova geração do City também ganhou um novo integrante que pode chegar ao Brasil até 2023. O novo BR-V estreou na Indonésia com 7 lugares e preço inicial de US$ 17 mil, o equivalente a cerca de R$ 90 mil na cotação do dia. O modelo deverá substituir o WR-V no Brasil e região em dois anos.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se