carros
Rolls-Royce/Divulgação

Novo Rolls-Royce Arcadia Droptail custa mais de R$ 150 milhões

Somente quatro exemplares do Droptail serão feitos no mundo, totalmente personalizados por clientes abastados; este é o terceiro entregue

Por Thais Villaça 08 de mar, 2024 · 5m de leitura.

O título de carro mais caro do planeta tem um novo representante: o Rolls-Royce Arcadia Droptail. O nome Arcadia, aliás, vem da cidade descrita na lenda da Grécia antiga onde se praticava a filosofia de “Paraíso na Terra”. Com construção artesanal, o modelo luxuosíssimo é o terceiro de quatro exemplares personalizados do Droptail, encomendados por clientes multimilionários. Depois da última entrega, a produção termina.

O preço? A montadora não fala abertamente em números, mas a estimativa é de que o carro tenha custado 25 milhões de libras, ou US$ 32 milhões – aproximadamente R$ 158 milhões. É praticamente o mesmo valor dos anteriores Droptail La Rose Noire e Droptail Amethyst, que estrearam no fim do ano passado. Entretanto, há especulações de que o Arcadia possa ter atingido cifras maiores, na casa de R$ 180 milhões.

Rolls-Royce Arcadia
Rolls-Royce/Divulgação

Como é o Droptail Arcadia

A produção do roadster demorou mais de quatro anos para atender todos os desejos do comprador anônimo, que recebeu o veículo finalizado durante uma cerimônia em Singapura. Cada detalhe é selecionado a dedo. Apenas o relógio mais complexo que a marca já criou levou cinco meses para ser ficar pronto. Já o acabamento de madeira à prova d’água precisou de 8 mil horas para ficar pronto, de acordo com a Rolls-Royce.

E nada de eletrificação por aqui! Sob o capô está o conhecido V12 6.7 biturbo que entrega 601 cv e 85,8 mkgf de torque, conectado a um câmbio automático de oito marchas. O conjunto impulsiona o veículo até os 100 km/h em cerca de cinco segundos e a uma velocidade máxima (limitada) de 250 km/h.

Rolls-Royce Arcadia
Rolls-Royce/Divulgação

Inspirações e exclusividade

O design e o acabamento foram inspirados pelas regiões favoritas pelo mundo do abastado cliente, por exemplo, os jardins e a arquitetura de países como Singapura, Indonésia, Inglaterra e Vietnã. Tudo foi pensado nos mínimos detalhes para trazer exclusividade, desde os pigmentos presentes na pintura da carroceria, o estilo interno e os toques pessoais que remetem à história do comprador.

Falando na pintura, a cor do Arcadia mistura um tom banco sólido com partículas de alumínio e vidro, resultando em um “brilho efervescente” com a incidência da luz, de acordo com a montadora. Já o couro da cabine mescla as cores branca e marrom para combinar com o exterior e com a madeira dos detalhes internos. Nenhum outro cliente da Rolls-Royce terá permissão para utilizar algumas dessas configurações com o intuito de manter o nível extremo de exclusividade.


Fibra de carbono aparece nas partes de baixo da carroceria, mas em vez de exposta, traz um tom exclusivo de cinza para contrastar com a pintura branca. Por fim, a grade dianteira e os raios das rodas de 22 polegadas têm acabamento espelhado.

Siga o Jornal do Carro no Instagram!

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se
Mercedes-AMG G63 é o jipão dos sonhos para acelerar e ser visto
Newsletter Jornal do Carro

Complete seu cadastro para receber as últimas notícias do Jornal do Carro diretamente no seu e-mail.

Campo obrigatório
Campo obrigatório
Cep inválido
CPF/CNPJ inválido
Telefone inválido
Tudo certo!

Seu cadastro foi enviado. Em breve você receberá as últimas notícias do Jornal do Carro diretamente no seu e-mail.