Você está lendo...
Os vencedores do Jornal do Carro no Prêmio Mobilidade Estadão 2023
Notícias

Os vencedores do Jornal do Carro no Prêmio Mobilidade Estadão 2023

Jornal do Carro divulga os vencedores do Prêmio Mobilidade Estadão 2023, confira a lista com os nove modelos eleitos por voto popular

Redação

12 de dez, 2022 · 15 minutos de leitura.

Publicidade

Black Friday
Citroën C3 Turbo pode ser o compacto turbinado mais barato do País
Crédito:Citroën/Divulgação

Desde 2006, o Jornal do Carro elege os melhores veículos à venda no Brasil. A primeira edição do prêmio incluía apenas modelos feitos no País. Desde então, a eleição é realizada anualmente e acompanha a evolução do mercado nacional. Entre as atualizações, passou a contemplar modelos feitos em países vizinhos do Mercosul e, mais tarde, passou a considerar todos os automóveis e comerciais leves à venda, independentemente da procedência.

Premiação do Estadão na vanguarda da indústria

Mais recentemente, entraram os caminhões, motocicletas e serviços ligados à mobilidade. Assim, a eleição se transformou no Prêmio Mobilidade Estadão. Nesta 3ª edição, a premiação traz os destaques do caderno MobilidadeEstradão, Jornal do CarroMotoMotor, marcas do Grupo Estado. Ao mesmo tempo, quatro categorias têm júri especial, formado pelo time da redação e especialistas do mercado - como o "Carro do Jornal do Carro".

Publicidade


Assim como ocorre na indústria, que no fim de cada ano lança a linha seguinte, a tradicional premiação do Grupo Estado é realizada sempre no último trimestre. Assim, os campeões de 2022 serão reconhecidos pelo Prêmio Mobilidade Estadão 2023. O evento especial de premiação terá a participação de convidados de todos os segmentos relacionados à área de mobilidade. A cerimônia foi nesta segunda-feira, dia 12 de dezembro, em São Paulo.

Confira a seguir os vencedores do Prêmio Mobilidade Estadão 2023.

Melhor hatch compacto: Citroën C3

A nova geração do Citroën C3 chegou às lojas brasileiras em setembro de 2022 tendo, nas versões de entrada, motor 1.0 flex e câmbio manual da Fiat. Isso ocorre porque, desde janeiro de 2021, a francesa faz parte do grupo Stellantis, que também engloba a montadora italiana. Assim, o novo C3 veio com outra proposta e passou a ser um dos carros mais acessíveis do País, com preço inicial abaixo de R$ 70 mil - ou seja, na disputa com Fiat Mobi e Renault Kwid.


Com produção da fábrica de Porto Real, no Rio de Janeiro, o novo Citroën C3 superou rivais de peso, como o Hyundai HB20, carro mais vendido do País em 2022. Assim como o Honda City, que trocou de geração e ganhou versão hatchback (inédita por aqui). Outro finalista de peso é o Chevrolet Onix, que foi líder de mercado até 2020. Por fim, o irmão Peugeot 208, que também ganhou motor 1.0 e câmbio manual da Fiat, era candidato a melhor hatch.

Melhor sedã compacto: Fiat Cronos

Fiat Cronos prêmio
Fiat/Divulgação

Com o fim do veterano Grand Siena, o Fiat Cronos assumiu o papel de sedã de entrada da marca italiana no Brasil e na região. Pois, em 2022, além de se tornar o mais barato da categoria, o Cronos passou a ser um dos sedãs mais econômicos pelo Inmetro. Na etiqueta do PBVE, tem Nota A de consumo com motor 1.0 flex de 75 cv e câmbio manual. Assim, faz médias de 9,9 km/l (cidade) e de 11,4 km/l (estrada) com etanol, e 14 km/l e 16,1 km/l com gasolina.


O desempenho é compatível com a proposta. São 14,4 segundos para acelerar de zero a 100 km/h e máxima de 160 km/h com o combustível vegetal. Além do visual atraente - é até hoje um dos sedãs com a traseira mais bela -, o Fiat Cronos tem como trunfo o porta-malas com 525 litros de volume, maior que o de qualquer SUV compacto. Nesta edição do Prêmio Mobilidade Estadão, superou HB20S, Onix Plus, Novo City e o Nissan Versa.

Melhor sedã de luxo: BMW Série 5

BMW Série 5
BMW/Divulgação

O sedã de luxo da BMW foi o que recebeu mais votos no Prêmio Estadão Mobilidade 2023. Algo justo, já que o modelo da marca, que vem importado da Europa, é um dos mais luxuosos e de visual moderno da categoria. O BMW Série 5 está disponível no Brasil em versão híbrida do tipo plug-in, que é recarregável em tomadas. A versão 530e M Sport, com preço a partir de R$ 450.950, tem 292 cv de potência com auxílio de um motor elétrico.


Neste ano, para levar o prêmio de melhor sedã, o Série 5 superou concorrentes difíceis. Entre eles, o 100% elétrico BYD Han, as novas gerações do Audi A3 sedan e do Mercedes-Benz Classe C, além do - também elétrico - Mercedes-Benz EQS.

Melhor SUV compacto: Fiat Fastback

Fiat Fastback SUV prêmio
Fiat/Divulgação

O primeiro SUV cupê da marca italiana foi o escolhido dos leitores do Estadão neste ano. Dessa forma, superou concorrentes de peso, como Honda HR-V e Hyundai Creta - que ganharam novas gerações em 2022. Feito sobre a base do SUV de entrada Pulse, o Fastback estreou em setembro para disputar a liderança da categoria contra Chevrolet Tracker e VW T-Cross, dois dos SUVs mais vendidos do País neste ano. Para isso, veio cheio de trunfos.


Diferente do Pulse, que mede 4,10 metros (tamanho próximo ao de um hatch compacto), o SUV cupê é bem maior. São 4,43 m de comprimento - ou seja, 33 centímetros a mais - e 516 litros de volume no porta-malas. Além disso, o Fastback tem motores turbo e conteúdos modernos desde a versão de entrada Audace T200, como faróis e lanternas Full LEDs, frenagem automática de emergência e multimídia com tela de 8,4 polegadas, por exemplo.

Melhor SUV médio: Jeep Commander

jeep commander black friday prêmio
Divulgação/Jeep

Feito no Brasil, o SUV de sete lugares Jeep Commander foi o escolhido dos leitores do Jornal do Carro e do Estadão no Prêmio Mobilidade Estadão 2023. Com produção na fábrica da Stellantis em Goiana, Pernambuco, o modelo inédito estreou no fim de 2021 posicionado acima do Jeep Compass, que é o SUV médio mais vendido do País. Um dos diferenciais do Commander é a ampla gama com versões flex e a diesel, com tração 4x4.


De acordo com a Jeep, o Commander foi essencial para impulsionar o segmento D-SUV (SUVs grandes). Segundo a Fenabrave, no acumulado até novembro, o utilitário somou 20.074 unidades. Assim, tem ampla vantagem sobre o Toyota SW4, com 12.339 emplacamentos no período. No Prêmio Mobilidade Estadão 2023, o SUV superou os novos Audi Q3, Chevrolet Equinox e Kia Sportage, bem como o Caoa Chery Tiggo 7 Pro Hybrid.

Melhor picape: RAM 3500

picapes RAM 3500
Stellantis/Divulgação

Maior picape à venda no Brasil, a RAM 3500 é o modelo mais caro da marca de picapes da Stellantis no Brasil. Mas não é só. Trata-se da caminhonete mais potente do mercado brasileiro, bem como a mais luxuosa, com direito a muitas peças de madeira nobre pela cabine - no painel, nas portas, entre os bancos e até no volante. Por isso mesmo, a 3500 parte de R$ 485 mil e alcança os R$ 530 mil na versão de topo de linha Limited Longhorn.


Na mecânica, a picape traz o motor Cummins 6.7 turbo diesel de 377 cv e parrudos 117,27 mkgf de torque. Com essa força, a RAM 3500 pode carregar até 1.752 kg e rebocar 9.021 kg. Para efeito de comparação, a 2500 tem capacidade total de 1.088 kg e 7.861 kg de carga e reboque. Em relação às tecnologias, a picape traz tudo e mais um pouco. No painel, o destaque é a enorme central multimídia Uconnect com tela de 12".

Melhor esportivo: Ferrari SF90 Spider

Ferrari SF90 spider
Ferrari/Divulgação

Conversível mais potente da história da Ferrari, o SF90 Spider desembarcou no Brasil no início de 2022 com preço a partir de R$ 8,4 milhões. Tão impressionante quanto o preço são os 1.000 cv de potência entregues pelo conjunto híbrido do tipo plug-in, que é recarregável em tomadas. Ele combina o motor V8 4.0 biturbo de 780 cv com outros três motores elétricos com 220 cv extras e uma bateria de 7,9 kWh. A autonomia em modo elétrico é de 25 km.


A SF90 Spider é naturalmente feita sobre o cupê. Dessa forma, a maior diferença é o teto de tecido retrátil. O componente leva 14 segundos para abrir ou fechar. Sua estrutura feita de alumínio pesa 40 kg a menos que o convencional. Já o vidro traseiro traz ajuste elétrico de altura para ajudar a reduzir a turbulência com o teto aberto. Outro dado curioso é a rigidez torcional do conversível, que é 30% maior que no SF90 Stradale.

Melhor híbrido: Jeep Compass 4x3

Jeep Compass 4xe prêmio
Jeep/Divulgação

Primeiro híbrido da Jeep no Brasil, o Compass 4xe veio da Europa no meio do ano para iniciar a eletrificação da marca no País. Assim, o destaque da versão "four by e" (pronuncia-se em inglês) é o sistema híbrido plug-in recarregável em tomadas. O conjunto une o motor 1.3 turbo a gasolina a outro elétrico e uma bateria de 11,4 kWh. A potência combinada é de 240 cv e a aceleração de zero a 100 km leva 6,8 s, com máxima de 206 km/h.


O motor a combustão gera 27,5 mkgf de torque e é o responsável por tracionar o eixo dianteiro. Enquanto isso, o motor elétrico, de 25,5 mkgf, movimenta o eixo traseiro. Na versão a gasolina, o consumo médio é surpreendente e chega a 25,4 km/l. Mas a marca lembra que esse é o número no Brasil. Na aferição da Europa, o SUV supera 50 km/l.

Melhor elétrico: Volvo C40

Volvo C40 elétrico prêmio
Volvo/Divulgação

Com autonomia para rodar até 444 km e um custo de R$ 75 por recarga, o Volvo C40 Recharge foi o elétrico mais votado nesta edição do Prêmio Mobilidade Estadão 2023. O SUV cupê estreou logo no início de 2022 com um dos conjuntos elétricos mais poderosos do mercado. A versão topo de linha P8 (R$ 419.950) tem dois motores elétricos instalados um em cada eixo. Eles geram 408 cv de potência combinada e um torque robusto de 67,3 mkgf.


Nas acelerações, o empuxo é tão forte que joga os corpos contra os assentos. A Volvo anuncia aceleração de zero a 100 km/h em rápidos 4,7 segundos. É uma bela marca, afinal, o SUV com estilo de cupê pesa 2,2 toneladas. Parte desse peso vem do pacote de baterias de íon de lítio que fica sob o assoalho. Ele tem capacidade de 78 kWh, o que garante, segundo a Volvo, autonomia de até 444 km. Além disso, recupera 80% da energia em 40 minutos em estações de carga rápida.



O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se
Deixe sua opinião