Lançamentos

Honda CG estreia linha 2022 com novo visual e preço a partir de R$ 10.893

Veículo mais vendido do Brasil, Honda CG é produzida desde 1976 e já tem mais de 13 milhões de unidades feitas

Eugênio Augusto Brito, Especial para o Jornal do Carro

16 de jun, 2021 · 10 minutos de leitura.

Honda CG 160 Start e Fan" >
Honda CG 160 Start e Fan
Crédito: Crédito: Divulgação/Honda

A Honda Motos apresenta a linha 2022 de seu principal produto à venda no Brasil, a tradicional moto CG. Com o lançamento, a marca japonesa chega aos 45 anos de produção no país, com mais de 13 milhões de unidades produzidas, um fenômeno das duas rodas.

Os preços da Nova Honda CG

Na linha 2022, a CG segue com quatro versões:

  • 60 Start: R$ 10.893
  • 160 Fan: R$ 11.760
  • Cargo: R$ 12.177
  • 160 Titan: R$ 13.502

Estes valores são sugeridos para o Estado de São Paulo, não incluindo frete e seguro. Dessa forma, segundo a Honda, a garantia é de três anos, sem limite de quilometragem, com sete trocas de óleo gratuitas.



Como é a CG 2022

Segundo a Honda Motos, a CG 160 Start 2022 traz um novo design na moldura do painel de instrumentos e na carenagem frontal, com três opções de cores (prata, vermelho e preto).

Assim, a CG 160 Fan e a CG Cargo receberam nova moldura de painel, carenagem de farol e laterais do tanque redesenhadas interna e externamente. Também há três opções de cores para a CG Fan (azul perolizado, vermelho e preto).

Enquanto isso, a profissional Cargo mantém apenas a cor branca, além do bagageiro para até 20 kg de série. Por outro lado, a Honda CG 160 Titan, modelo topo da gama popular, traz moldura do painel, carenagem de farol, laterais do tanque exclusivas, além da rabeta com laterais redesenhadas.

Mais uma vez, são três opções de cores para a CG Titan: cinza metálico, além de vermelho e amarelo perolizados.

Honda CG 160 Fan_e Titan
Linha 2022 traz principalmente mudanças de estilo
Crédito: Divulgação/Honda

Ciclística mantida

A linha 2022 da Honda CG segue com estrutura tradicional, com chassi tipo “diamond” de chapa estampada. Assim, a suspensão dianteira também se mantém do tipo SFF (Separated Function Fork), com curso de 135 mm na dianteira. O sistema foi introduzido na linha em 2018.

Na traseira, suspensão é do tipo bichoque com amortecedores de dupla ação reguláveis na carga da mola. Também segue o sistema de freios da Honda CG 2022 traz o sistema CBS (Combined Braking System). Já a CG 160 Start tem os freios dianteiro e traseiro a tambor com 130 mm.

Para CG 160 Cargo, Fan e Titan, o freio dianteiro tem disco de 240 mm de diâmetro e cáliper de pistão triplo de acionamento hidráulico. Na traseira, novamente o tambor de 130 mm.

Continua depois do anúncio

Para a CG Cargo, Fan e Titan, as rodas são de liga leve com cinco raios duplos. Na CG Start, elas são raiadas, com aros de aço “Black Chrome”. Para todas as versões, o pneu dianteiro tem medida 80/100 18 M/C 47P.

Na CG Start e Fan, o pneu traseiro tem medida 90/90 18 M/C REINF 57P, enquanto a CG Titan usa o pneu 100/80 18M/C REINF 59P.

Motor e transmissão

A Honda CG 160 Start 2022 é vendida apenas com motor monocilíndrico de quatro tempos a gasolina, 162,7 cm3, que gera 14,9 cv de potência a 8.000 rpm e torque de 1,40 kgfm a 7.000 rotações por minuto. Com isso, o tanque de combustível tem 14,6 litros, com 3,2 litros de reserva.

Por outro lado, nas demais versões o motor da mesma família recebe o sistema de de alimentação por injeção eletrônica (PGM-FI) e incorpora a tecnologia flex, chamada pela Honda de FlexOne.

Assim, Honda CG Cargo, Fan e Titan têm potência de 15,1 cv (etanol) e 14,9 cv (gasolina). Torque é de 1,54 kgfm (etanol) e 1,40 kgfm (gasolina). Dessa forma, a capacidade do tanque vai a 16,1 litros, sendo 3,1 litros de reserva.

O câmbio é sempre de cinco marchas, com embreagem de acionamento mecânico por multidisco em banho de óleo. Segundo a Honda, autonomia da CG é superior a 600 km, quando abastecida com gasolina.

HONDA CG 125 1976
Honda inaugurou fábrica de Manaus (AM) com produção da CG em 1976
Crédito: Divulgação/Honda

Moto mais vendida do Brasil

Com histórico de mais de 13 milhões de unidades fabricadas desde 1976, a Honda CG não é apenas a moto mais popular no Brasil. Assim, a CG também é praticamente imbatível como veículo mais vendido do país, nestes 45 anos de mercado nacional.

Apenas para citar os números mais recentes, em 2020, a Honda emplacou 269.226 unidades da CG, com domínio de 71,7% do mercado de duas rodas. Por outro lado, entre os automóveis, o mais emplacado foi o Chevrolet Onix, com ?apenas? 135.351 unidades.

Por sua vez, no acumulado de 2021, de janeiro a maio, a Honda CG já somou mais 114.313 unidades emplacadas, segundo dados oficiais da Fenabrave, a entidade que reúne os concessionários do país.

Legado da Honda CG

Honda Motos chegou oficialmente ao país como importadora, em 1971. Em cinco anos, a fabricante japonesa efetivou a fabricação local, com a unidade de Manaus (AM). Dessa forma, a Honda CG 125 foi modelo pioneiro, que chega à oitava geração, com um legado vencedor.

Por isso, a CG sempre foi líder de mercado no Brasil, colocando a Honda como principal fabricante do segmento de duas rodas, com dominância. Sendo assim, em 45 anos, a Honda CG apresentou diferentes variantes para atrair público consumidor cada vez mais amplo, desde o modelo inicial de 125 cc (1976).

Logo após, foi a vez da CG 125 a álcool (1981), que surgiu dentro do contexto da crise global de combustíveis e do programa nacional Pro-Álcool, sendo a primeira motocicleta do mundo a se mover com etanol.

HONDA CG 125 ALCOOL 1981
Honda CG 125 a álcool surgiu em 1981
Crédito: Divulgação/Honda

Em 1988, surgiu a CG para uso profissional, dentro da segunda geração. A Cargo trouxe banco mais largo e baú de transporte para mercadorias. Por sua vez, a CG 125 Titan foi lançada em 1994, na quarta geração, com mudança visual e mais 90 alterações técnicas. Também foi a Titan que estreou o motor de 150 cm³, em 2004, dentro da sexta geração.

CG na era flex

Em 2009, com a sétima geração, a CG Titan trouxe novo estilo e incorporou sistema de injeção eletrônica de combustível para atender novas regras de emissão de poluentes. Assim, a tecnologia trouxe o sistema bicombustível na CG Titan Mix, permitindo gasolina ou etanol.

HONDA CG TITAN 125 5 MILHÕES 2003
Crédito: Divulgação/Honda

A atual geração da CG estreou em 2015, sendo que, em 2016, o modelo incorporou a motor de 160cm³, em substituição às versões de 150cm³. Por conta disso, a Honda Motos destaca que, apesar da evolução tecnológica da CG, “a fórmula original continua a mesma”.

“A CG é sucesso e a razão sempre foi, e continua sendo, a confiabilidade, resistência, economia e uma imbatível relação custo-benefício, bem como o menor índice de depreciação do mercado”, diz a fabricante.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se
Fiat Cronos Drive 1.3
Oferta exclusiva

Fiat Cronos Drive 1.3