Você está lendo...
Voltz mostra sua futura fábrica de motos elétricas em Manuas
Notícias

Voltz mostra sua futura fábrica de motos elétricas em Manuas

Conhecida pelas scooters EV1 Sport e EVS, Voltz pretende produzir cerca de 15 mil unidades por mês; marca começou 2022 no “top 10” de vendas

Jady Peroni, especial para o Jornal do Carro

11 de abr, 2022 · 5 minutos de leitura.

Voltz EV1 Sport
Voltz EV1 Sport, scooter de entrada da marca, tem potência máxima de 4.500 W e chega aos 75 km/h de velocidade
Crédito:Divulgação/Voltz

A pernambucana Voltz, que produz e vende motor elétricas, divulgou um vídeo (abaixo) com imagens da sua nova fábrica no Brasil. A planta fica na Zona Franca de Manaus (AM). No polo industrial ficam as plantas de marcas como Honda, Yamaha e BMW, por exemplo. A startup mostrou imagens do galpão, bem como de equipamentos que formarão a linha de montagem, além do setor de inspeção.

No vídeo, divulgado nas redes sociais da empresa, são revelados alguns detalhes da nova planta. Porém, a Voltz não informou quando vai começar a produção. Segundo a empresa, a unidade tem 12.196 m². De acordo com a startup, serão criados mais de 500 empregos. Além disso, a empresa informa que poderá fabricar cerca de 15 mil motos elétricas por mês. Ou seja, 180 mil por ano.


Vale dizer que a nova fábrica é fruto de investimento de R$ 100 milhões. O aporte foi anunciado em 2021. A startup nasceu em 2019 em Recife e, desde então, vem ampliando sua participação no mercado. Com a nova planta, a Voltz promete ter produtos 'Made in Brazil'. Portanto, a produção local de novos componentes deve começar em breve. Por ora, as motos elétricas são importadas.

Portfólio Voltz no Brasil

A Voltz oferece três modelos no País. O de entrada é o scooter urbano elétrico EV1 Sport, com preço sugerido de R$ 14.990. O intermediário é o EVS, com uma proposta mais street e esportiva. Seu preço é de R$ 19.990. Por fim, o de topo é a EVS Work, que chegou ao mercado em 2022. Voltada ao universo corporativo e uso no trabalho, tem preço de R$ 16.490.



A EVS Work, inclusive, rodou em testes recentemente com os motociclistas do Ifood, aplicativo com o qual a Voltz tem parceria. O projeto piloto envolve mais de 30 modelos elétricos da marca e a expectativa é chegar a mais de 10 mil motos nos próximos 12 meses. Assim, a meta do Ifood é realizar 50 % das entregas com scooters e motos elétricos até 2025.


Disputa no mercado

elétricas
Voltz/Divulgação

É fato que, pouco a pouco, as motos elétricas vêm ganhando relevância no Brasil. A Voltz, por exemplo, começou 2022 entre as dez marcas mais emplacadas. Segundo dados da Fenabrave, ela ficou no 7° lugar em fevereiro. Seja como for, a disputa por novos consumidores promete ficar acirrada.  

Além da Voltz, outras marcas também querem nacionalizar seus produtos. Como é o caso da Shineray, que acabou de lançar no Brasil sua primeira moto elétrica, a SHE S. Além disso, há a Watts, startup de mobilidade elétrica adquirida recentemente pelo grupo Multilaser. Segundo a empresa, seu primeiro modelo nacional será a E-150. A produção deve começar logo e também vai ser em Manaus. De acordo com a empresa, o desempenho é equivalente ao de uma 125 com motor a combustão. Atualmente, esse é o tipo de modelo mais vendido no Brasil.


O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se