Você está lendo...
Quem enfrenta enchente perde o direito ao ressarcimento; entenda
Defenda-se

Quem enfrenta enchente perde o direito ao ressarcimento; entenda

Em dias de chuva a recomendação é não tentar ultrapassar enchente, pois isso acarreta em perda de indenização do seguro

Vagner Aquino, especial para o Estadão

17 de fev, 2024 · 4 minutos de leitura.

Publicidade

enchente
Em oficinas especializadas, higienização de carro alagado não sai por menos de R$ 500
Crédito:TIAGO QUEIROZ/ESTADÃO

Nos últimos dias, diversos lugares do Brasil sofreram com as fortes chuvas de verão. E a situação só tende a piorar. O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu aviso meteorológico especial de nível vermelho para chuvas intensas em áreas dos Estados do Rio de Janeiro e de São Paulo. E, de fato, os pontos de alagamento se espalharam por todo lado. Portanto, é bom que motoristas tenham cuidado para não cair em uma cilada, afinal, se ficar provado que houve tentativa de enfrentar a enchente, o seguro não paga a indenização por dano.



Por isso, a recomendação é não entrar em áreas alagadas. Isso porque não é possível saber se há buracos ou pedras pelo caminho. Ou seja, se o carro parar, o motorista pode ficar preso. Além do risco à saúde e integridade dos ocupantes, o prejuízo financeiro pode chegar a dezenas de milhares de reais. Confira mais sobre gastos com carros alagados.

Como fazer?

Ao se deparar com um alagamento, o melhor é dar meia volta. Se não for possível, só tente atravessar a enchente se a água não ultrapassar a metade da roda. Mantenha a primeira marcha e siga em velocidade baixa para não formar ondas. Não dê a partida novamente se o carro morrer - para que o motor não aspire água. E se a inundação subir rapidamente, desligue o veículo e procure abrigo.

Publicidade


JESSICA AQUINO/ESTADAO
JESSICA AQUINO/ESTADAO

Desde o início dos anos 2000, as seguradoras passaram a incluir na cobertura básica os danos causados por enchentes. Quando o custo de reparo for inferior ao valor da franquia, há companhias que oferecem uma cláusula de assistência que cobre higienização do veículo até um valor pré-determinado.

Coberturas

A cobertura mais comum e abrangente é a compreensiva. Nela, o veículo fica segurado em casos de colisão, incêndio, roubo e furto, bem como eventos da natureza - inclui inundação, chuva de granizo, ressaca do mar e ventos fortes. Tem, ainda, inundações provenientes de águas das chuvas (alagamento), e até fenômenos naturais, como terremotos, por exemplo. Isso vale não só para empresas tradicionais, mas também para novatas, que prometem planos mais baratos e contratação online.


Cuidados gerais

Todas as seguradoras são unânimes em recomendar que, em nome da segurança, o ideal é, quando possível, evitar sair às ruas com carro durante chuva forte. Além disso, o motorista não deve, sob hipótese alguma, agravar o risco. Desse modo, terá a indenização negada se atravessar regiões alagadas de forma deliberada.

Siga o Jornal do Carro no Instagram!

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se

Deixe sua opinião