Você está lendo...
Carros poderão em breve atualizar sistemas de segurança 'pelo ar'
Notícias

Carros poderão em breve atualizar sistemas de segurança 'pelo ar'

Atualização "over the air" já permite upgrade em sistemas multimídia e funções como condução semiautônoma, mas meta é chegar à personalização de motor

Vagner Aquino, especial para o Jornal do Carro

20 de jun, 2022 · 12 minutos de leitura.

sistemas
Clientes BMW podem baixar atualização remota por meio de app instalado no smartphone ou diretamente no veículo
Crédito:BMW/Divulgação

Desde que alguns carros passaram a vir conectados, abriu-se um novo leque de possibilidades. Com chips próprios de internet, os veículos se tornaram capazes de baixar atualizações de forma remota. Ou seja, tal como diz a sigla OTA (em inglês), de "Over The Air", podem receber melhorias "pelo ar". De início, essa tecnologia serviu a outros serviços. Por exemplo, central de atendimento (concierge) e função SOS, que envia a localização em caso de acidente grave, para acionamento imediato da ambulância. E o hotspot de Wi-Fi.

Entretanto, os carros mais novos já podem receber upgrades dos mais diversos sistemas, inclusive para recursos de segurança. Bem-vindo à era dos algoritmos automotivos! Na Europa, o facelift do Toyota Corolla, por exemplo, incluiu recursos digitais e multimídia com atualizações contínuas entre as novidades. Logo a tecnologia chegará ao Brasil, onde o carro mais vendido do mundo ganhará a reestilização em 2023.

No Brasil

Por aqui, modelos da Volvo e da Chevrolet, pioneira com o OnStar, já dispensam a ida à concessionária para receber algumas atualizações. Ou instalar novos aplicativos, como o Spotify, por exemplo. De acordo com a GM, "a nova arquitetura eletrônica Ultifi prevê a possibilidade de personalizar até parâmetros do motor". Essa novidade, porém, deve estrear no Brasil só com o Blazer EV - que tem lançamento previsto para 2024, primeiro nos EUA.


Volvo XC60 hybrid plug-in
Volvo/Divulgação

Na visão de Leimar Mafort, gerente de engenharia da divisão Cross-Domain Computing Solutions, da Bosch, isso terá enorme impacto nos carros. "(As atualizações) vão desde o aprimoramento de funções já disponíveis, até a compra de funções que poderão ser ativadas por tempo determinado", explica o especialista. "Imagine 'alugar' um serviço de piloto automático adaptativo (ACC) para fazer uma viagem mais longa. Ou mesmo fazer a compra definitiva de funções. Estamos diante do conceito de veículos definidos por SDV (Software Defined Vehicle)", aponta Mafort.



Tesla

Por ora, ainda não é comum a atualização remota de softwares de segurança. A Tesla é exemplo disso. A fabricante já oferece todo tipo de atualização. Há desde recursos na parte de entretenimento e até melhorias no sistema de direção semiautônoma. Entretanto, a tecnologia pode trazer problemas aos órgãos reguladores. A marca de carros elétricos do bilionário Elon Musk já foi alvo de diversos recalls e investigações nos Estados Unidos. A atualização no sistema de freios do Model 3, por exemplo, deu o que falar em 2018. Como resultado, forçou o recall de milhares de exemplares.


sistemas
Tesla/Divulgação

BMW

Com chip de internet, os carros são capaz de receber correções e melhorias, e, assim, ficarem sempre "novos". A BMW já tem 100% dos veículos conectados desde dezembro de 2016. Eles trazem um cartão SIM que disponibiliza os serviços remotos por três anos. De acordo com a marca, "a atualização remota do software está disponível para mais de 30 modelos (quase toda a frota) equipados com o BMW Operating System nas versões 7 e 8".

A BMW oferece atualização remota de software periodicamente, conforme detalha Ricardo Goto, gerente de suporte ao cliente no Brasil. E nada disso tem custo extra. Os serviços conectados da marca bávara oferecem, por exemplo, gravação dos últimos segundos em câmeras 360 graus e cronômetro de voltas rápidas. Além disso, faz melhorias na condução semiautônoma, na assistência ao motorista e na conexão com casas conectadas.


sistemas
BMW/Divulgação

Como funciona a atualização remota

Para poder receber atualizações remotas, o veículo precisa de um módulo de conectividade e de unidades eletrônicas predispostas ao upgrade remoto. Tal como ocorre nos celulares, o primeiro faz a ponte entre os servidores da montadora e os diferentes módulos atualizáveis dentro da arquitetura do veículo. E a internet permite fazer o download.

De acordo com Mafort, há diversas discussões sobre a evolução da arquitetura eletroeletrônica dos carros. "Para que todas as unidades possam receber atualizações de forma estruturada, as arquiteturas caminham para a centralização. Ou seja, um computador central assume grande parte das funções. E os demais cumprem funções locais", explica.


"O essencial para que essas atualizações remotas sejam viáveis é que exista uma unidade de conectividade. E que demais - que receberão as atualizações - tenham predisposição para que o acesso remoto seja feito", resume. O que exige também medidas de cibersegurança, para garantir o acesso seguro aos módulos atualizáveis.

O executivo da Bosch diz que haverá lojas de aplicativos no futuro para os veículos, com variados sistemas e funções disponíveis. Por exemplo: quer ter controle de cruzeiro adaptativo (ACC)? Basta um clique. Em comparação a essa possível realidade, "o exemplo dos smartphones é um ótimo ponto de partida", resume.

Hyundai HB20 terá conectividade pela plataforma Bluelink
Divulgação/Hyundai

Os serviços disponíveis no Brasil

O mercado brasileiro começou a receber mais carros conectados a partir de 2021. Foi quando a Stellantis lançou no País as plataformas de Fiat e Jeep, com serviços online, Wi-Fi e localizador. Um dos destaques foi a conectividade com smartphones por meio de aplicativo. Dessa forma, passaram a oferecer comandos à distância. É possível, por exemplo, dar a partida do motor. Ou criar alertas de segurança, acionar o ar-condicionado e destravar as portas. Tudo pelo celular.

O Jeep Compass e a picape Fiat Toro foram os primeiros a ter a tecnologia, que veio com novas telas multimídia, com até 10 polegadas. Além de conectadas, são mais rápidas. E trazem, por exemplo, conexão sem fio (via Bluetooth) com as plataformas Android Auto e Apple Carplay. Assim, basta dar a partida do motor e a tela se conecta ao smartphone. E faz o espelhamento de apps populares, como Spotify e Waze, por exemplo.

Montana
GM/Divulgação

Desde então, outros modelos ganharam tais tecnologias. A Hyundai lançou o seu sistema conectado para HB20 e Creta. Recentemente, a GM trouxe o novo Equinox com um sistema que permite conectar o SUV aos equipamentos de casa, por meio de assistentes virtuais, como a Alexa da Amazon. Assim, é possível comandar dispositivos (do carro e de casa) por voz.

Outro Chevrolet que poderá receber atualizações remotas é a nova Montana. A picape está em fase final de desenvolvimento e estreia em 2023, com produção na fábrica de São Caetano do Sul (SP). Segundo a General Motors, ela terá nova central multimídia que "nascerá como uma extensão do painel de instrumentos". Ou seja, tudo leva a crer que o painel será igual ou parecido com o do novo Tracker RS (foto acima), com duas telas integradas de 10,25".

Apple
Apple/Divulgação

Telas personalizáveis

Depois de o rival Google lançar novos comandos de voz, a marca da maçã divulgou novidades para o Carplay. O objetivo é oferecer maior integração com os carros. Chamada de "IronHeart" ("coração de ferro" em português), a plataforma está em testes. E é considerada uma grande aposta da Apple no setor automotivo. Até porque o Carplay já faz parte de mais de 600 modelos de carros de montadoras como Audi, BMW, Honda e VW.

Com as atualizações, os usuários poderão comandar funções gerais dos carros. A plataforma, assim, vai trabalhar com "troca de dados". Ou seja, terá acesso para operar controles dos veículos. Entre os principais comandos, estão o acesso ao sistema de climatização, velocímetro e ajuste de assentos. Além disso, permitirá mudar as estações de rádio e outras configurações. O novo Carplay vai permitir até customizar as telas com o padrão da Apple.

O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se

Deixe sua opinião