Você está lendo...
Teste: Renault Stepway ainda faz sentido em meio a tanto SUV compacto?
Avaliação

Teste: Renault Stepway ainda faz sentido em meio a tanto SUV compacto?

Antes "peça-chave" para a Renault no Brasil, o aventureiro Stepway envelheceu e precisa mudar logo para ter fôlego contra os novos SUVs

Diogo de Oliveira

09 de ago, 2021 · 8 minutos de leitura.

Renault Stepway
Renault Stepway tenta sobreviver até 2022, quando Logan e Sandero ganharão nova geração no Brasil
Crédito:Renault/Divulgação

O avanço dos SUVs nas vendas em 2021 não deixa dúvidas de que o segmento é o protagonista do mercado brasileiro na atualidade. Pouco a pouco, os utilitários já superam os sedãs e, agora, aproximam-se cada vez mais dos hatches compactos. O que levanta uma questão: ainda vale a pena investir em um hatch aventureiro como o Renault Stepway?

Até 2019, antes da pandemia, a marca francesa considerava a versão aventureira do Sandero uma peça-chave no Brasil. Isso ocorria porque o modelo tinha boa saída e, aparentemente, conseguiu trilhar um caminho de sucesso, tornando-se uma referência no nicho. O problema é que o mercado mudou desde então. E a "suvização" já chegou aos hatches compactos.

Na última semana, o Jornal do Carro trouxe novidades sobre a nova geração do VW Gol. Pois o hatch de entrada campeão da marca alemã vai se transformar em um pequeno SUV sobre a base modular do Polo. A própria Renault já tem um "substituto" para o Stepway: trata-se do SUV Kiger, um derivado do Kwid com tamanho próximo do? Stepway!


Renault Stepway
Renault/Divulgação

Vícios e virtudes

Embora seja um veterano diante de tantos lançamentos, o atual Sandero Stepway ainda tem suas qualidades. Uma delas é o porte avantajado, que lhe garante espaço interno digno de carro médio. O entre-eixos com 2,59 metros e a boa largura de 1,73 metro entregam uma cabine ampla para até cinco passageiros adultos, bem como um porta-malas de 320 litros.

Para fins de comparação, o novo Renault Kiger, que pode chegar ao Brasil, tem 2,50 m de entre-eixos e 3,99 m de comprimento. Ou seja, é um tantinho menor que o Stepway, com seus 4,07 metros. Entretanto, o SUV compacto lançado na Índia é mais alto e musculoso, tem aparência mais moderna, além de um porta-malas com capacidade para 405 litros.


Renault Stepway
Renault/Divulgação

De volta ao Stepway, após sete anos de mercado, o hatch lançado em 2014 também tem seus defeitos. Por exemplo, o aventureiro nasceu de um projeto mais simples, que é a base de Logan e Sandero. E essa veia de "carro barato" ainda é vista em vários detalhes. Isso mesmo a Renault tendo se esforçado para melhorar o acabamento nas duas reestilizações.

Há ainda outras limitações tecnológicas. Enquanto vários concorrentes evoluíram para plataformas mais modernas, e assim absorveram tecnologias, o Stepway parou no tempo e traz apenas o trivial para a disputa. Ou seja, tem airbags frontais e laterais, freios com ABS/EBD, controle de estabilidade (ESC), Isofix e câmera de ré.


Stepway
Renault/Divulgação

Categoria em evolução

Um bom exemplo de antiguidade no Renault Stepway é o sistema de direção eletro-hidráulica. Embora seja uma evolução do sistema apenas hidráulico, a verdade é que o motorista sente o peso maior da direção ao conduzir o modelo e, principalmente, na hora de fazer a baliza. Quem está acostumado com a leveza das direções elétricas nota a diferença de imediato.

Só que o Stepway não é um carro barato. Atualmente, o aventureiro parte de R$ 96.490, e chega a R$ 97.990 com a pintura metálica. Assim, está exatamente na faixa dos R$ 100 mil, onde há vários SUVs mais modernos e recentes. A categoria, inclusive, começa a migrar para motores 1.0 turbo, um movimento liderado por Chevrolet Tracker e Volkswagen T-Cross.




É justamente nessa mesma faixa de preços que a Fiat vai inserir o Pulse, seu primeiro SUV nacional, em setembro. O modelo feito sobre a base refinada do hatch Argo terá motor 1.0 GSE turbo flexível com injeção direta de combustível, bem como tecnologias modernas. Umas delas, a multimídia de 10" do Jeep Compass, que é conectada à internet.

Nesse sentido, o Stepway é quase uma viagem ao passado. Enquanto o Fiat Pulse terá display colorido atrás do volante e sistemas avançados de segurança, como frenagem automática de emergência, o aventureiro da Renault traz telinha monocromática no quadro de instrumentos e a multimídia de 8" com Apple CarPlay e Android Auto, mas sem internet.

Stepway
Renault/Divulgação

Vale a compra?

Se o Stepway parou no tempo, a concorrência não o fez. Hoje, o aventureiro da marca francesa está caro pelo que entrega em termos tecnológicos. E não é só sobre os equipamentos, mas também em relação ao conjunto mecânico e à própria plataforma. O motor 1.6 16V flexível de até 118 cv e 16 mkgf (com etanol) dá conta do recado, mas não empolga.

Isso é uma característica do câmbio CVT, que prioriza o consumo e o baixo regime de giros do motor. O zero a 100 km/h leva longos 11,2 segundos. Seja como for, nem mesmo no consumo o Stepway impressiona. Segundo o Programa de Etiquetagem do Inmetro, o hatch faz médias de 7,7 km/l, na cidade, e de 8,3 km/l, na estrada, com etanol.

Renault Stepway
Renault/Divulgação

Na prática, o modelo segue a clássica receita dos hatches aventureiros. Ou seja, tem suspensão elevada, além de adereços que realçam o visual "fora-de-estrada". Assim, entrega um conjunto de molas e amortecedores que transmite robustez sobre asfalto ruim e terra. Ao volante, parece ser capaz até de encarar trilhas leves - nada, porém, que exija 4x4.

No fim, tem-se o estilo, uma suspensão mais robusta e muito espaço. De outro lado, desempenho moderado e um pacote de equipamentos apenas adequado. O problema, portanto, é o posicionamento. Para fazer sentido, o Stepway precisaria ser mais barato. Resta saber o que a Renault prepara para 2022, quando Logan e Sandero terão a nova geração.

Prós

  • Espaço interno amplo
  • Robustez da suspensão
  • Estilo fora-de-estrada

Contras

  • Simplicidade do acabamento
  • Conjunto mecânico não empolga
  • Preço muito próximo dos SUVs

Ficha Técnica

Renault Stepway Iconic 1.6 16V CVT

Preço

R$ 97.990

Motor

1.6, 4 cil., 16V, flexível

Potência

118 cv (E) e 115 cv (G) a 5.500 rpm

Torque

16 mkgf (E/G) a 4.000 rpm

Câmbio

Automático CVT; tração dianteira

Comprimento

4,07 metros

Entre-eixos

2,59 metros

Peso (ordem de marcha)

1.151 kg

Porta-malas

320 litros

Consumo (com etanol)

7,7 km/l (cidade) e 8,3 km/l (estrada)