Primeira Classe

NSX, o carro do Senna, faz 30 anos

Saiba como Ayrton Senna ajudou a transformar o Honda NSX em um mito da história do automóvel

Rafaela Borges

12 de fev, 2019 · 6 minutos de leitura.

Honda NSX de Ayrton Senna" >
O exemplar de Ayrton Senna
Crédito: Foto: Sergio Castro/Estadão

O Honda NSX foi lançado em 1990. No entanto, em 2019, celebra-se os 30 anos de sua primeira aparição. Ela ocorreu em 1989, durante o Salão de Chicago, nos Estados Unidos.

A mostra de 2019, uma das quatro importantes dos EUA (junto com Detroit, Nova York e Los Angeles), vai até o dia 18 de fevereiro.

Depois de sua primeira aparição, há 30 anos, o Honda NSX passou por um ano de mudanças, ganhando melhorias.


Foi depois dessa primeira aparição que Ayrton Senna entrou na história do esportivo. O NSX, aliás, é conhecido aqui no Brasil, por alguns, como "o carro de Senna". Isso porque o piloto brasileiro foi dono de um exemplar, que até hoje é guardado pela família.

Além disso, Ayrton participou deu palpites importantes, que ajudaram o superesportivo japonês a se transformar em um mito da história do automóvel.

O NSX é também um dos esportivos mais importantes da história. Ele foi o primeiro supercarro da Honda e o primeiro superesportivo todo de alumínio. Além disso, sua primeira geração durou 15 anos, despertando paixões em todo o mundo até sair de linha.


O sucesso foi tanto que o NSX ganhou, anos depois, uma releitura - ou segunda geração (leia mais abaixo).

Veja também: o incrível museu de Carrol Shelby

Senna e o NSX

Logo após a estreia no Salão de Chicago, engenheiros da Honda decidiram pedir um "pitaco" de Ayrton Senna. Era início de 1989, e eles aproveitaram a presença do então campeão da F1 (havia vencido o título em 1988) no Japão para pedir sua "interferência".


Senna estava no país para testar o novo modelo da McLaren para a temporada de 1989. Na época, a equipe usava motor Honda.

LEIA TAMBÉM

 


Então, o pessoal da Honda levou o NSX até o circuito de Suzuka, para que Senna pudesse acelerá-lo.

Após guiar a máquina, Senna disse o que achou do carro: considerou-o frágil. A apresentação do carro para a imprensa mundial estava marcada para meados do ano, mas houve tempo de fazer ajustes baseados na percepção do piloto brasileiro.

Os engenheiros da Honda conseguiram deixar o NSX 50% mais rígido. Além disso, Senna ajudou a desenvolver as suspensões do carro, que ficaram mais esportivas.


Dois NSX nas garagens de Senna

Senna morava em Mônaco. Porém, passava bastante tempo na região de Algarve, em Portugal. Por lá, acabou tendo à disposição um exemplar do NSX, que pertencia à Honda Portugal.

Trata-se do modelo vermelho que aparece no famoso documentário "Senna".

Já o exemplar preto, que era do próprio Senna, está guardado na fazenda da família, no interior de São Paulo, até hoje. Os Senna preservam também a perua S4 Avant, da Audi. O modelo foi o primeiro carro da marca alemã trazido ao País.


Veja também: os carros de luxo mais vendidos em janeiro

O primeiro esportivo da Honda

O NSX de primeira geração foi produzido entre 1990 e 2005. Foi o primeiro carro todo feito de alumínio.

O primeiro motor V6 tinha 3 litros e 280 cv. Em 1997, ele foi substituído por um 3.2, de quase 300 cv.

O modelo surgiu inicialmente como cupê, mas em 1995 surgiu a versão targa. Em 2002, alguns anos antes de sair de linha, a primeira geração ganhou facelift, com faróis maiores.


Honda NSX A geração atual (Foto: Martin Campbell/The New York Times)

 

A segunda geração do NSX foi lançada em 2016, e ainda está à venda. O modelo foi desenvolvido pela Acura, a marca de luxo da Honda voltada aos EUA. Naquele mercado, é vendido com o logotipo dessa subsidiária.


Já nos demais mercados, o superesportivo ostenta o símbolo da Honda.

O carro traz um conjunto híbrido que inclui um V6 de 3,5 litros e três motores elétricos. Sua potência combinada é de 600 cv.

Newsletter Jornal do Carro - Estadão

Receba atualizações, reviews e notícias do diretamente no seu e-mail.