GM é ‘ameaçada’ por Trump nos Estados Unidos

Presidente americano quer que GM encontre solução para que empregos dentro do País não sejam perdidos

GM
Donald Trump. CRÉDITO: Alex Brandon/AP

O anúncio feito ontem pela General Motors (GM) sobre a reestruturação das operações da companhia com o fechamento de fábricas, continua gerando fortes reações. A mais recente veio do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que “ameaçou” a companhia.

“Estamos pressionando muito a GM. Me disseram que o Chevrolet Cruze (que deve ter a produção encerrada) não está vendendo bem. Pois encontrem um veículo bom de venda e voltem a produzi-lo (em Ohio)”, disse Trump.

Na cidade de Lordstown fica uma das fábricas que a companhia anunciou que irá fechar. A atenção para essa planta é porque Ohio é um dos Estados mais importantes para as eleições norte-americanas e onde Trump venceu a disputa para a Casa Branca.

GM está em Estado importante

“Falei com ela (Mary Barra, presidente da GM) e expressei meu descontentamento. Sabe, os Estados Unidos salvaram a GM e tirar a companhia de Ohio não é bom. Mas acredito que logo produzirão algo novo ali”, afirmou Trump.

+ Volvo reage às ameaças de Trump
+ Chevrolet Cruze sairá de linha nos EUA 

Mesmo antes de assumir a presidência, Trump já havia comprado briga com as montadoras norte-americanas. Com o discurso de gerar mais empregos, o candidato eleito prometia tirar fábricas americanas de outros países para gerar postos de trabalho no país.

Com essa promessa, ele chegou a vencer algumas batalhas. A Ford cancelou o investimento de uma nova fábrica que pretendia erguer no México e voltou a investir nos EUA.

Trump x Harley-Davidson

Por outro lado, com as novas tarifas impostas ao aço importado, vários produtos feitos nos EUA ficaram mais caros. É o caso das motocicletas da Harley-Davidson, um dos símbolos do estilo de vida americano.

+ Inscreva-se no canal do Jornal do Carro no YouTube

A fabricante centenária anunciou que poderia levar a produção toda para a Europa. De acordo com informações da Harley, essa seria a única forma de fugir das barreiras comerciais imposta pela União Europeia em relação aos novos impostos aplicados nos EUA.

A Harley-Davidson prevê que as tarifas da UE custariam à empresa entre 30 milhões e 45 milhões de dólares para o restante de 2018 e entre 90 milhões e 100 milhões de dólares para o ano inteiro.

Trump x China

Além disso, o governo Trump sobretaxou todos os produtos chineses vendidos nos EUA. A China é a principal concorrente comercial dos Estados Unidos.

Com isso, vários carros feitos no país asiático ficaram mais caros. É o caso dos Volvo XC60 e XC90, que até recentemente eram produzidos apenas na Suécia.

Para escapar das sanções, a marca acaba de inaugurar uma planta na Carolina do Sul. De lá já está saindo a nova geração do S60. Como o sedã (acima) utiliza a mesma base do XC60 e XC90, é praticamente certo que logo os dois SUVs vendidos aos americanos sejam feitos por lá.

OS DEZ CARROS MAIS VENDIDOS DOS ESTADOS UNIDOS:


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais


Notícias relacionadas