Diogo de Oliveira, Especial para o Estado

14/01/2021 - 6 minutos de leitura.

Sem carros nacionais, Ford vai despencar no ranking de vendas das marcas

Sem os carros nacionais de maior volume, a Ford precisará acelerar os lançamentos para conter debandada de clientes já em 2021

ecosport
EcoSport Titanium, versão sem estepe na tampa do porta-malas Crédito: FORD/DIVULGAÇÃO
Carro

Vai comprar um 0km? Nós te ajudamos a escolher.

A Ford tem uma história centenária no Brasil e é uma das marcas mais conhecidas dos brasileiros. Contudo, após decidir encerrar a produção de carros no país, a montadora agora se prepara para uma mudança radical em seu portfólio de produtos — e na imagem da marca.

A ausência da linha Ka e do SUV Ecosport, que tiveram a produção imediatamente encerrada na fábrica de Camaçari, na Bahia, vai reduzir drasticamente o tamanho da Ford no país já em 2021. É o que mostram, portanto, os números de 2020.

Linha Ka deixou de ser produzida assim que a Ford comunicou o encerramento da produção de carros no Brasil
Ford/Divulgação

Nacionais respondem por 85% das vendas

No ano passado, a Ford emplacou 139.225 veículos no Brasil, segundo dados da Fenabrave, a federação nacional das concessionárias. Dessa forma, foi a 5ª colocada entre as marcas, com 7,14% de participação de mercado.

Ocorre que 118.525 unidades — que representam 85% do total acumulado — são veículos nacionais. Assim, a montadora pode terminar 2021 com cerca de 30 mil a 40 mil carros, a depender dos lançamentos que fará.

O campeão de vendas da Ford em 2020 foi Ka hatch, com 67.446 unidades. O segundo com maior saída foi o Ka sedã, que somou 25.747 licenciamentos, terminando o ano como um dos mais emplacados da categoria.

Outrora sucesso de vendas, o Ecosport se despediu de forma melancólica. Foi só o 3º mais vendido da marca no ano com 24.031 unidades, desempenho ruim diante do avanço dos SUVs.

Inscreva-se no canal do Jornal do Carro no YouTube

Veja vídeos de testes de carros e motos, lançamentos, panoramas, análises, entrevistas e o que acontece no mundo automotivo em outros países!

Inscrever-se

Gama reduzida

Sem Ka e Ecosport, a Ford terá de agir rápido para conter uma debandada de clientes órfãos da marca. Quando acabarem os estoques dos modelos nacionais, o que deve acontecer até março, as revendas da marca, que ainda são muitas, terão poucos modelos a oferecer.

Os showrooms terão basicamente a picape Ranger, além do SUV Territory, que vem importado da China. Afora esses, seguem no site da marca o SUV Edge ST e o esportivo Mustang na versão Black Shadow. A Ranger, portanto, passa a ser o Ford mais barato, a partir de R$ 154.090.

Ford Bronco será lançado no Brasil em 2021 com produção no México livre de imposto
Ford/Divulgação

Ao menos quatro lançamentos

Para mostrar ao público que não está deixando totalmente o país, o site brasileiro da Ford traz a aba “próximos lançamentos”. Na seção, há quatro novidades confirmadas para o Brasil: a nova geração da van Transit, a Ranger Black, o SUV elétrico Mustang Mach 1 e o SUV 4×4 Bronco.

Os quatro modelos, portanto, vão estrear neste ano, com destaque para o Bronco, que promete vir do México por preços competitivos, sem pagar taxa de importação. O SUV tem design carismático ao estilo do Jeep Renegade, contudo é próximo do Compass em tamanho.

Da mesma forma, a marca tem outros planos para se reaproximar do consumidor brasileiro. Um deles é a picape Maverick, feita sobre a plataforma do Bronco para brigar com a Fiat Toro. Especula-se que o Brasil pode ser o primeiro país a receber a inédita picape média-compacta.

Entretanto, mesmo que os lançamentos funcionem, a Ford vai ter de encarar uma nova realidade no Brasil. Assim, a marca que já formou o grupo das “quatro grandes” no país, com Fiat, General Motors e Volkswagen, vai despencar em volume, participação e popularidade.

Ranking das marcas

Veja abaixo como ficou a disputa por marcas em 2020:

1º) GM — 338.549 unidades (17,35%)
2º) Volkswagen — 327.683 unidades (16,80%)
3º) Fiat — 321.836 unidades (16,50%)
4º) Hyundai — 167.443 unidades (8,58%)
5º) Ford — 139.255 unidades (7,14%)
6º) Toyota — 137.876 unidades (7,07%)
7º) Renault —131.624 unidades (6,75%)
8º) Jeep — 110.159 unidades (5,65%)
9º) Honda — 84.122 unidades (4,31%)
10º) Nissan — 61.005 unidades (3,13%)
11º) Caoa Chery — 20.089 unidades (1,03%)
12º) Mitsubishi — 17.317 unidades (0,89%)
13º) Peugeot — 13.477 unidades (0,69%)
14º) Citroën — 13.476 unidades (0,69%)
15º) BMW 12.429 unidades (0,64%)

*Números referentes ao acumulado, então, de janeiro e dezembro de 2020; Entre parênteses, a respectiva participação de mercado de cada marca. Os dados são da Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos).



Notícias relacionadas


Ofertas 0KM

Mais ofertas

Mais ofertas exclusivas

Veja todas as condições especiais