Lançamentos

Honda lança o Accord e:HEV, seu primeiro carro híbrido no Brasil

Sedã é o primeiro dos três híbridos que a Honda vai lançar no Brasil até 2023. Accord e:HEV combina três motores e faz 17,6 km/l

Diogo de Oliveira, Especial para o Estado

09 de abr, 2021 · 9 minutos de leitura.

Honda Accord e:HEV" >
Honda apresenta no Brasil o Accord e:HEV, primeiro modelo híbrido da marca que estreia no início do 2º semestre
Crédito:Honda/Divulgação

A Honda enfim vai entrar na disputa dos carros híbridos no Brasil, nicho atualmente dominado pela arquirrival Toyota. A montadora vai lançar no início do 2º semestre o Accord e:HEV, a versão híbrida do sedã premium da marca, que promoverá, assim, a estreia da tecnologia no país. O modelo usa três motores, dois deles elétricos, e faz até 17,6 km/l na cidade.

Esta ainda é a 10ª geração do Accord, que estreou no Brasil no fim de 2018, logo após aparecer no Salão do Automóvel de São Paulo. Entretanto, o sedã apresenta várias mudanças em relação à versão Touring com motor 2.0 turbo de 256 cv. O Accord e:HEV, segundo a própria Honda, "é um híbrido que se aproxima muito de um carro elétrico".

Sedã estreia a tecnologia e:HEV

A tecnologia e:HEV se diferencia por utilizar a eletricidade como principal fonte de tração do veículo. O Accord combina um motor 2.0 a gasolina naturalmente aspirado de ciclo Atkinson a outros dois motores elétricos. Contudo, um deles é um gerador, que funciona para alimentar o motor elétrico conectado ao diferencial e responsável por tracionar o sedã.

Dessa forma, o motor 2.0 a gasolina opera na maior parte do tempo para "abastecer" o motor gerador, que, por sua vez, fornece a eletricidade ao motor principal. O conceito é similar ao do Nissan e-Power, sistema híbrido da rival. A diferença é que o motor 2.0 do Accord e:HEV traciona as rodas do sedã em certo momento, e não apenas serve de fonte de energia.

Honda Accord e:HEV
Honda/Divulgação

Sistema alterna entre três modos

O sedã híbrido da Honda se diferencia, portanto, dos híbridos tracionais, que utilizam um conversor para distribuir a energia, como no recém-lançado SUV Corolla Cross. Assim, o Accord e:HEV alterna sozinho entre três modos: EV Drive, Hybrid Drive e Engine Drive. Nos dois primeiros, o motor elétrico move o sedã, enquanto no terceiro o 2.0 traciona as rodas.

Este terceiro modo é exclusivo da Honda e conecta o motor 2.0 às rodas por meio da transmissão e-CVT multidiscos. A embreagem permite fazer a conexão direta do motor a combustão com as rodas, atuando apenas em situações de velocidade de cruzeiro, onde o 2.0 de 145 cv e 17,8 mkgf opera em baixas rotações e com alta eficiência energética.

Dessa maneira, segundo a Honda, o sistema e:HEV minimiza as perdas de energia. A tecnologia usa ainda freios regenerativos para recuperar a eletricidade em movimento. E o Accord híbrido traz um novo pacote de baterias de íon de lítio (EPU), agora instalado sob o assento do banco traseiro, preservando o porta-malas e permitindo rebater o encosto.

Honda Accord e:HEV
Honda/Divulgação

Outro recurso interessante é a possibilidade de controlar a desaceleração por meio das borboletas no volante. Esse "freio motor manual" pode ser utilizado pelo motorista assim que o pedal do acelerador é liberado. E se destina, sobretudo, a situações como quando o semáforo à frente vai fechar e se inicia a desaceleração, ou em uma descida de ladeira.

Com todo o aparato híbrido, o Accord e:HEV tem números de consumo respeitáveis para o seu tamanho e peso (cerca de 2 toneladas). Segundo a Honda, as médias do Programa de Etiquetagem Veicular do Inmetro são de 17,1 km/l na estrada e de 17/6 km/l na cidade. Carros híbridos, em geral, são mais eficientes no "anda e para" do ambiente urbano.

Design levemente renovado

Quando chegar às lojas brasileiras, entre agosto e setembro, o Accord e:HEV passará a ser a única versão do sedã, encerrando a oferta do Touring com motor 2.0 turbo a gasolina, que custa hoje R$ 267.400. Entretanto, visualmente, as versões não apresentam muita diferença, uma vez que as mudanças de design foram bem discretas.

Por fora, o sedã premium basicamente mudou os para-choques, que exibem novo desenho para a seção das luzes de neblina. Na traseira, a marca trocou as molduras que simulavam saídas de escape por barras cromadas mais discretas. Mesmo na cabine as versões são basicamente iguais, mas o Accord híbrido apresenta novos equipamentos.

Honda Accord e:HEV
Honda/Divulgação

Há, por exemplo, um novo carregador sem fio, por indução, mais potente para smartphones, com 15 Watts. Além disso, o sedã híbrido traz duas portas USB adicionais para o banco traseiro. Outro destaque é a central multimídia com as interfaces Android Auto e CarPlay, que permite melhor conectividade com celulares.

Continua depois do anúncio

Sistemas semiautônomos melhorados

Entre os recursos avançados de segurança e condução semiautônoma, o grande destaque do sedã é o sistema Honda Sensing, que também traz aprimoramentos no Accord e:HEV. Um dos novos recursos é o Low Speed Braking Control, aciona automaticamente os freios em baixa velocidade se notar algum risco iminente de colisão.

O controle de cruzeiro adaptativo também foi recalibrado e apresenta desaceleração mais suave e precisa. O sedã também conta com um novo sensor no banco traseiro que detecta se algum objeto foi esquecido no veículo. Por ora, a Honda não anunciou quando vai custar o Accord e:HEV. Mas é provável que seja um pouco mais caro que o Touring.

Novo HR-V também será híbrido

Recentemente, a Honda apresentou a nova geração do HR-V no Japão. O SUV vai mudar totalmente ainda esse ano no exterior, e terá a sua versão híbrida e:HEV, tal como o Corolla Cross. Contudo, o novo HR-V terá outro conjunto híbrido menor, que une o motor 1.5 aspirado a gasolina a outro elétrico. Assim como a Toyota, a Honda pode criar o seu híbrido flex.



O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se