Você está lendo...
Civic, Etios, Fox, Ka, Uno e mais: relembre os carros aposentados em 2021
Mercado

Civic, Etios, Fox, Ka, Uno e mais: relembre os carros aposentados em 2021

Ao menos 30 modelos saíram de linha em 2021; lista dos aposentados tem desde hatches populares, como o Fiat Uno, até SUVs e picapes, relembre

Jady Peroni, especial para o Jornal do Carro

26 de dez, 2021 · 15 minutos de leitura.

aposentados 2021
Novas tecnologias, mudanças de estratégia e limites mais rigorosos de emissões forçaram a aposentadoria de muitos modelos em 2021
Crédito:Ford/Fiat/Honda/Toyota/Divulgação

O ano de 2021 exigiu uma grande reestruturação em várias montadoras de carros no Brasil. A pandemia da Covid-19 trouxe mudanças na indústria, não apenas na forma de vender os veículos, mas também nas estratégias de cada marca em relação aos produtos. Nesse sentido, o mercado brasileiro se despediu de pelo menos 30 modelos desde janeiro.

Além da alta do dólar e da escassez de semicondutores, a chegada de novas tecnologias influenciaram - e muito - na compra de veículos. Além disso, a preferência pelos SUVs é cada vez maior, o que forçou a aposentadoria de vários carros tradicionais. Alguns veteranos, como Fiat Uno e Volkswagen Gol. Outros já fora de linha no exterior. E há ainda os que vendem pouco ou quase nada, e foram substituídos ou terão a oferta encerrada.

Veja a seguir os modelos que se despediram do Brasil em 2021.


Volkswagen

up
Volkswagen/Divulgação

Uma das marcas há mais tempo produzindo carros no País, a Volkswagen promoveu algumas mudanças importantes na sua gama nacional em 2021. Logo no início do ano, aposentou o Up!, que, àquela altura, tinha apenas uma versão. Mais caro de produzir que o Gol, o hatch perdeu o sentido e já não vendida como nos anos anteriores. Assim, saiu de linha.

Em outubro, foi a vez do Fox. Há muito o hatch compacto esperava por sua merecida aposentadoria. Sem previsão de ganhar uma nova geração, o modelo abriu espaço na fábrica de São José dos Pinhais, em Curitiba, para a Volkswagen ampliar a produção do SUV T-Cross.


Volkswagen Fox
Volkswagen/Divulgação

Agora resta saber qual será o futuro de Gol e Voyage. Se saem de linha já neste fim de ano ou se ainda seguem firmes em 2023. Caso isso aconteça, ambos virão apenas com o motor 1.0 flex de 84 cv, e deixarão de oferecer o 1.6 8V flex de até 104 cv, por causa dos novos limites de emissões de poluentes do Proconve L7.

Entretanto, ao que parece, a dupla feita sobre a plataforma PQ24 está de saída. A Volkswagen já confirmou que vai substituir o Gol pelo Polo Track, que chegará às lojas em 2023 sobre uma versão mais moderna na base MQB. Porém, tal como contamos aqui no Jornal do Carro, a picape Saveiro vai seguir pelo menos até 2024, quando deve ganhar nova geração.


Por fim, a Volkswagen tirou de linha o SUV Volkswagen Tiguan, que passou por uma reestilização no exterior. ''A Volkswagen está preparando o lançamento do novo Tiguan Allspace, com design revisto e muito mais tecnologia, reforçando a maior ofensiva de SUVs do mercado brasileiro. Por isso, o modelo atual não está disponível para venda''.

Fiat

Fiat Uno perto do fim de linha
Fiat/Divulgação

A Fiat deu adeus a um trio de peso. Entre eles, está o triste fim do Uno, que ocorre em um momento em que as vendas estão desanimadoras. Até novembro de 2021, o modelo emplacou apenas 19.420 unidades. Para se ter uma ideia, quando o ''Novo Uno'' estrou em 2010, com apelo mais jovem e urbano, suas vendas junto as do antigo Mille se aproximaram de 230 mil unidades. Além disso, também seria necessário adequar o modelo às novas normas do Proconve L7, mas a marca não deverá investir na mudança.


Fiat
Fiat/Divulgação

O próximo foi o Doblò, que estava prestes a completar 20 anos. Assim como o Uno, seus emplacamentos eram garantidos pelas vendas diretas, mas não compensavam mais para manter o modelo no mercado. Por fim, o Grand Siena encerra o ''trio'' da Fiat que vivia graças aos frotistas e também diz adeus aos brasileiros.

Honda

A Honda foi outra marca que surpreendeu o mercado com a saída de 3 modelos. O que mais impactou foi o Civic, que saiu de linha após 24 anos de mercado. A decisão de encerrar a produção local do sedã se deve, sobretudo, ao sucesso dos SUVs. Mas, não será o fim completo do Civic no Brasil. Em 2022, a Honda lançará a nova geração do modelo, que virá importado. No lugar, portanto, vem a nova geração do City sedã, apresentada nesse ano.


Honda Civic
Honda/Divulgação

Logo depois, a marca se despediu de um dos seus queridinhos: o Honda Fit. O principal motivo da despedida é o custo para implementar a plataforma da nova geração, apresentada em 2019 no Salão de Tóquio. Por isso, o modelo cai e abre espaço para uma novidade da marca, o City hatch.

Por fim, a Honda vai abandonar o projeto do sucessor do WR-V e investir em um novo SUV compacto. Isso porque, com o avanço do nível tecnológico do HR-V, a marca teme que se forme um abismo entre os modelos. Algo, a princípio, inaceitável num mercado ávido por SUVs. Sendo assim, o novo SUV que entrará no lugar terá a plataforma da nova geração do City.


Toyota

Toyota Etios 2020
Toyota/Divulgação

Em abril, a Toyota encerrou as vendas do Etios no Brasil. O fim da linha do modelo, oferecido com carrocerias hatch e sedã desde 2012, abriu espaço para a chegada do Corolla Cross, o primeiro SUV da marca feito no Brasil.

Entretanto, o Etios continuou a ser feito em pequenos volumes na fábrica de Sorocaba (SP). Isso porque a marca ainda vende o modelo em outros países da América do Sul. Portanto, o Etios está vivo, embora não haja possibilidade de atualização no horizonte. No lugar, a linha Yaris assumiu o posto de carro de entrada da Toyota no Brasil.


Ford

Ford
Ford/Divulgação

No caso da Ford, quatro modelos deixaram de existir em 2021. O EcoSport, em oito anos foi praticamente o único SUV compacto à venda no país. O modelo da Ford só foi ter um concorrente nas vendas em 2011, após a chegada do Renault Duster. Mas, mesmo com sua nova geração, o modelo não conseguiu encarar a legião de SUVs que veio em seguida. Portanto, chegou ao fim com o apagar das luzes das fábricas da Ford.

E se o EcoSport não vinha bem entre os SUVs mais vendidos, o Ka se despediu disputando a vice-liderança do mercado brasileiro contra o Hyundai HB20. O hatch da Ford nunca vendeu tanto no país como nos últimos anos. Esta última geração teve o hatch e o sedã aposentados juntos em janeiro, após o fechamento em definitivo das fábricas. O modelo sai de linha e encerra a participação da Ford em segmentos de carros de entrada. Agora apenas importadora no Brasil, a marca vai focar em SUVs e picapes premium.


Troller TX4
Divulgação/Troller

Uma linha que deu adeus ao Brasil foi a do Troller. Após meses de tratativas com interessados na compra da marca de jipes 4x4, a Ford encerrou as atividades em setembro. Assim, mesmo que venda a fábrica de Horizonte, na região metropolitana de Fortaleza (CE), a Troller não poderá continuar no mercado, nem o SUV T4.

Por último, temos a despedida do SUV Edge, vendido até então na única versão esportiva ST. Em nota, a marca afirma que a descontinuação do modelo ''é resultado do nosso foco na competitividade do nosso portfólio de produtos. O desafio global de disponibilidade de semicondutores antecipou essa decisão'', afirmou a VW.


Chevrolet

chevrolet montana
Chevrolet/Divulgação

Como já sabemos, o mercado de carros mudou e a busca por sedãs e hatches médios despencou. Assim, atingiu em cheio a dupla da Chevrolet Joy e o Joy Plus que, na verdade, são a dupla Onix e Prisma. A mudança no nome veio a calhar após a chegada da nova geração do hatch e do sedã Onix Plus. A sobrevivência de ambos tem a ver com as vendas diretas. Contudo, com o passar do tempo, mesmo essa categoria passará a buscar pelos modelos renovados da Chevrolet.

Outro modelo que deixou de ser fabricado por aqui foi a picape Montana. Aliás, dias antes do anúncio da produção da nova geração, a picape veterana já havia saído de cena Argentina. Seja como for, a GM vai lançar a próxima geração no Brasil logo em 2022, então, foi mais um ''até já''.




CAOA Chery

Tiggo-7-frente
Caoa Chery/Divulgação

No Grupo Caoa, dois modelos vão sair de linha completamente nesse ano. O primeiro é o sedã compacto Arizzo 5, que acabou perdendo espaço para o Arizzo 6 e o recém-lançamento da marca, o Arizzo 6 Pro. Portanto, a descontinuação do modelo aqui no Brasil foi confirmada pelo CEO da montadora chinesa no país, Márcio Alfonso. Outra perda da Caoa foi o SUV Tiggo 7, que foi substituído pela nova geração, o Tiggo 7 Pro.

Kia

Para a Kia, o Sportage foi de protagonista a coadjuvante entre os SUVs médios. E pede por uma nova geração há algum tempo. O modelo chegou no Brasil em 1995 e, desde então, passou por quatro gerações, a última lançada em 2017. Embora renovado, o SUV da Kia já passou por dias melhores. O mesmo ocorre com o Sorento. Há mais de quatro anos o SUV de sete lugares não está entre os 50 carros mais vendidos no Brasil. Em 2016, última vez que apareceu no ranking, vendeu 797 unidades no ano. Por isso, ambos saíram de linha, mas terão novas gerações em 2022.


Mitsubishi

Mitsubishi Pajero Full Legend Edition
Divulgação/Mitsubishi

Após 20 anos no mercado brasileiro e há 14 sem trocar de geração, a Mitsubishi anunciou o fim do clássico off-road Pajero Full. Um dos pioneiros na categoria que hoje faz grande sucesso no país, o SUV se despede com a edição especial Legend Edition que foi limitada a 100 unidades por singelos R$ 356.990. Além dele, também saiu de linha o ASX, que não alavancou as vendas da marca e, inclusive, já possui uma versão SUV para ser a aposta do mercado.


O Jornal do Carro está no Youtube

Inscreva-se
Ford Ranger XLS 2.2 Diesel 4X2
Oferta exclusiva

Ford Ranger XLS 2.2 Diesel 4X2